quinta-feira, 30 de julho de 2009

Pontualidade nem vê-la

Ora era só para ficar registado que o meu sobrinho Zé Maria já devia ter nascido ontem (prazo limite) e ainda anda pela barriga da mãe… Gostávamos todos de saber do que é que sua excelência está à espera…

Irmandade Secreta do Tricô

E soube hoje que a Irmandade Secreta do Tricô (IST) tem mais um membro. E mais não posso dizer porque estou a escrever este post sem ter falado com a visada… mas é que estou tão feliz que tinha que marcar este momento! Parabéns!!!

Caixa exclusiva IKEA

Definição de exclusivo: restrita, particular, privativa, privilégio, especial…

De todas as vezes que fui ao Ikea, desde que estou grávida, e fui pagar na caixa EXCLUSIVA para grávidas, crianças de colo e velhinhos, há sempre alguém que tenta pagar nesta caixa sem cumprir os requisitos… Uma vez foi um casal, depois de avisados pelo empregado da caixa, ele disse que era deficiente (assim que ele disse isto, a mulher pirou-se logo para outra caixa), perguntou qual o grau de deficiência que tinha que ter, e o senhor da caixa a explicar que tinha que ter um atestado médico que o comprovasse… Ele que tinha bom ar estragou logo tudo com tanta estupidez. Ficou lá décadas a insistir.
Depois outra vez foi um homem a dizer que estava manco da perna, se não dava para ser atendido… e ontem foi a gota de água: um casal que estava na fila foi avisado da exclusividade da caixa, ela, brasileira, começou logo a dizer:”Ah! Então se é preciso estar grávida, eu estou grávida”. E a senhora da caixa a explicar que quando não é visível tem que ter um comprovativo, e a brasileira a levantar a t-shirt a mostrar o pneu e a falar no néném (não faço ideia como é que se escreve nesta língua), e a levantar o tom de voz e a fazer a maior peixeirada. E a perguntar à senhora da caixa se estava a desconfiar dela…um filme, a senhora da caixa teve que a deixar pagar… E por acaso, atrás estava uma grávida (de verdade) para ser atendida…

Até agora consegui-me controlar e não defender o senhor da caixa…até agora… Dizem os especialistas que as grávidas de verdade ficam “alteradas”, quantos mais meses têm em cima…

Nota: Roguei uma praga à brasileira para não ser espertinha.

Nova perspectiva

Na minha primeira consulta com uma Obstetra… quando chegou a altura de me pesar, a médica perguntou, então diga-me lá quanto é que marca na balança? E eu simplesmente não conseguia ver nada, nem pés, nem balança e muito menos os números, não dava. Foi uma situação estranha. Quilos à parte, gostei muito da obstetra, só foi pena ter saído da consulta às 10 da noite…

quarta-feira, 29 de julho de 2009

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Sábado por Lisboa

Para variar ficámos por Lisboa este fim-de-semana. No sábado, parecia que estava tudo contra nós para não ficarmos no Guincho. Primeiro estava vento, mas tolerava-se, depois com areia à mistura, mas tolerava-se e por fim quando estávamos deitados na toalha de olhos fechados, a lutar contra as intempéries, só ouvimos uma senhora a gritar (não nos lembramos o que é que ela disse), mas a minha reacção foi levantar e agarrar a mala. Foi tudo muito rápido. E em segundos, uma onda rasteira-matreira ensopou-nos as toalhas de uma ponta à outra, agora não tínhamos mesmo como ficar na praia. Fomos os únicos atingidos pela onda, porque a dita só fez a curva onde nós estávamos, de resto não se aproximou da areia mais do que costume…
Na fila do Santini encontrámos por acaso a Presidente da Junta, e ficámos a saber que o Salvador já começou a andar. Ainda ontem nasceu….
Sentados perto de uma esplanada a comer um gelado que sabe sempre a pouco, fomos brindados com uma animação de rua, dois homens e duas mulheres mascarados de pescadores/ peixeiras à antiga, fizeram o maior alarido, mais do que possam imaginar. E por tudo e por nada faziam trocadilhos/piadas com os mais variados peixes: “Pcht, calula!”, “Quem não tem cão, caça com peixe-gato”, “para mim é pão-pão, peixe-peixe” etc… etc… Era impossível não rir com tanta parvoíce.
Antes de um jantar lá em casa com a família do F. (o pretexto era verem o quarto do Francisco), ainda demos um saltinho ao Aki e ao Staples… há sempre coisas a faltar… O jantar foi muito giro, e a Tia R. que se tinha oferecido para levar as entradas, levou tanta coisa, que vamos ficar semanas a comer quilos de queijos…
O Francisco recebeu mais presentes da tia e da avó.

Segunda casa

Quase que arrisco a dizer que o Ikea, Aki, Leroy Merlin,Staples, Zara Home Kids, Area e afins viraram a nossa segunda casa. O escritório sempre esteve com um ar semi-acabado, com restos dos nossos quartos de “solteiros”… mas agora com a chegada do Francisco voltámos às obras de fundo.
Pintar de novo (a azul de macho), forrar a tecido o armário antigo da minha avó, comprar novas estantes, reciclar uma mesinha de cabeceira, comprar novas peças de mobiliário para o quartinho do Francisco e esperar por mais uma visita da prima-artista que vai fazer novos desenhos nas paredes. Finalmente o antigo escritório vai ficar como eu gosto. Estou em picos para que fique pronto. E já falta pouco.

domingo, 19 de julho de 2009

Oficialmente, baleia

E de um dia para o outro passei do comentário/ pergunta: “Está grávida?!” para um “Então isso está quase!”. E eu respondo sempre: “Ainda falta muito, é só em Outubro…”.

Tróia non-stop

Não há mesmo nada para contar… o máximo de acção que tive foi partir as armações dos óculos de sol no segundo dia de férias (que deu imenso jeito), e portanto para ler um livro na praia arriscava-me a ficar estilo-Camões porque a qualquer instante poderia saltar uma lente… De resto recebemos a visita de mais uns primos a “família Bernardo”, o Gaudí tentou violar mais uns quantos estranhos, muitas fotos à barriga, e dias a fio com a praia quase sempre vazia (vá, num dia cheio, tínhamos cerca de 30 pessoas na praia!), num dos dias apanhámos uma instituição de rapazes que foi passar o dia todo para a praia e os nomes (continuo a reparar nos nomes de tudo o que é rapaz) eram do género: Sandro, Ruben, Igor, Ivan, Renato… (aqui ficam algumas sugestões para quem precise).

De regresso

Este blog esteve de papo para o ar durante uma semana… e está de regresso. Uma semana de férias a meio de Julho soube mesmo muito bem…e por incrível que pareça não estou com neura. Será porque em Agosto tenho mais uma quinzena sem fazer nenhum?
Uma semana inteirinha em Tróia só a fazer praia, sestas e a passear o cão. Foi muito duro! Estou assumidamente a despedir-me da boa vida.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Despedida da barriga da J.

E finalmente os católicos conseguiram juntar-se todos com um propósito muito nobre: despedir da barriga da J. O nosso sobrinho está quase quase cá fora, e era uma pena não tirarmos umas últimas fotos aquele barrigão. A J. está uma grávida fantástica, também quero ficar assim no fim da gravidez, estava muito jeitosa.
O encontro foi na casa da J. e aproveitámos para ver o quarto já montado do Zé Maria, que tem um berço de família muito fofinho. A conversa foi à volta de um sorbet de tangerina do Pingo Doce muito bom. Recomendo a compra.
E para não variar falámos uns por cima dos outros, e com muita gargalhada pelo meio. O Francisco fartou-se de mexer e todas as tias conseguiram senti-lo. Os tios J&J aproveitaram a oportunidade para oferecer um brinquedo muito querido ao Francisco.
Foram todos ao encontro menos a A.Larika porque ficou sem electricidade em casa (esta rapariga inventa com cada treta).

Da próxima vez que vir a J. vai ser na maternidade da Cruz Vermelha… que excitação.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Confesso que não gosto muito de ti avó...

Em sentido!

Ontem foi dia de fazer a ecografia morfológica (estava tudo bem) e o meu médico (que é muito conceituado no meio) fica sempre muito “aceso” quando defende as suas ideias.
Ninguém escapou à sua crítica.
Disse mal dos 1001 cremes anti-estrias que existem no mercado para as grávidas, que não têm bula, e deviam ter. Que muitos dos ingredientes são potencialmente cancerígenos, mas que a indústria trata de contornar essa questão. No entanto ainda há esperança, parece que a União Europeia já está a começar a regulamentar isso (assim que tiver mais informações publicarei aqui no blog).
Então e qual foi a solução que ele apresentou? Óleo de amêndoas doces, não só para a grávida mas também para o bebé quando já estiver cá fora. E passo a citá-lo “todos os meus filhos só usaram óleo de amêndoas doces e nada mais”. E para além disso alimentação saudável, muita água e exercicío, são os melhores remédios para não ter estrias.
Depois criticou as mães e avós que acompanham a grávida nas ecografias e que dizem que no tempo delas comiam como se não houvesse amanhã, e as crianças nasciam todas saudáveis, que engordavam 100 quilos e não havia problema nenhum para a saúde dos bebés. O médico a fazer as vozes das mães e avós tinha muita graça.
E depois os obstetras ainda levaram por tabela porque não acompanham as grávidas como deve ser e que dizem que podem comer tudo, com conta peso e medida, quando não é verdade!
Enfim, sai de lá em sentido. O F. rejubilou com a conversa.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Santini-expresso

E depois de tentar combinar, no mínimo 50 mil vezes (fora de exageros) um café com a C.S., finalmente conseguimo-nos encontrar in loco, e pôr a conversa em dia. E foi muito bom fazer um tricôt de amigas e comer um gelado sem os olhares reprovadores de aquele que todos nós sabemos o nome. A repetir.

Francisco anda na montanha-russa

Ora na semana que passou fui a uma apresentação de uma pick-up, algo completamente novo para mim. E de uma sala pacata na Av. Da Liberdade dei por mim a trepar montes e valas em Alenquer. Nunca este bebé saltou tanto na vida, e o colega com quem fazia dupla, era super cuidadoso a conduzir e andava o mais devagar possível, mas em certas situações, como subidas íngremes, tinha que acelerar um bocadinho se não ficávamos enterrados.
O que salvou o dia foi o almoço na Quinta do Convento, com comida fantástica e uma paisagem de perder de vista. Não me importava nada de morar ali…


Fumo branco

O F. divulgou hoje o nome escolhido para o nosso bebé (ainda é esquisito dizer isto) no messenger, portanto para uma boa parte dos meus leitores já não é novidade… ora ficou mesmo decidido que se vai chamar Francisco. Era de facto o único nome que tinha consenso entre nós os dois desde o início, e o único que gostávamos verdadeiramente, todos os outros nomes soavam a segunda hipótese, fraquinhos…

E para que certas pessoas se deleitem comigo a engolir mais um sapo, caramba não aprendo, o bebé cá de casa vai chamar-se Francisco Maria, o segundo nome a pedido do pai que gosta da combinação e pelo caminho aproveita para homenagear a sua avó materna.
Glup! Sapo engolido. Venha o próximo.

Preparativos

Lá em casa andamos na excitação com a preparação do quarto do bebé: o sofá do escritório já foi para Tróia, o armário dos shots já foi esvaziado e está pronto a forrar de tecido para pôr as roupinhas miniatura (parece-me tudo tão pequeno!), e as velhas prateleiras já foram para a arrecadação e deram lugar a umas todas modernaças do IKEA. O F. hoje foi fazer umas trocas à dita loja e não resistiu a comprar mais umas coisinhas. Vai ficar mesmo giro.

Próximo passo: mudar a pintura da árvore tenebrosa e invernal que ainda lá mora…

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Primeiro prémio para a “Tocador de barriga” (so far)

Ontem numa loja de acessórios à procura de uma mala para os dois casamentos que vou ter em breve (Setembro e Outubro, respectivamente), a empregada super solícita, deu a volta comigo pela loja como se estivéssemos no paraíso. A festa total. De repente, e do nada pergunta/afirma “está grávida!”, e eu pensei “queres ver que eu não telefonei à senhora da Acessorize?”. Ao que respondi “É verdade!”, e ainda não tinha acabado a frase, já o Nico estava a ser massajado de alto a baixo. Naquele momento não me ocorreu nenhum dos truques que o livro de grávida ensinava (não tossi, não gritei como se fosse um assalto nem colei a minha mão na barriga da rapariga). Fiquei estática, petrificada sem saber o que fazer… Longos segundos depois tirou a mão da minha barriga e voltei a respirar normal. Claramente eu não sabia o que fazer… Antes de sair da loja levei mais umas festinhas na barriga para a despedida, e muita sorte para a gravidez/ parto. O rapaz que estava na loja, o outro empregado, só se ria…