segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O que aconteceu no estádio do Benfica

Não é preciso ser muito inteligente para se constatar que o que aconteceu no Estádio da Luz foi crime. E não há qualquer argumento que justifique o que aconteceu. Incendiar um espaço (independentemente do clube) seja privado ou público é um acto selvagem e triste que não deveria deixar ninguém orgulhoso. Espero que desta vez a justiça portuguesa actue exemplarmente. Actos destes não devem ficar impunes. O que aconteceu foi extremamente grave.

Confesso que fiquei mesmo chocada com este acontecimento.

Ómega 3, cadê você?

Ontem vi-me grega para destrinçar a receita da limonada da bimby. Sim, este “prato” tão elaborado… Não estava a conseguir descodificar meia dúzia de linhas e tive mesmo que pedir ajuda ao F.
A sério.
Estava na esperança que nesta gravidez o ómega não fosse todo para a criança… mas a história repete-se. Por isso, meus amigos peço-vos paciência. Muita paciência.

domingo, 27 de novembro de 2011

Ofertas

No dia de anos do Francisco (e restante maralha) quando estava na pastelaria a comprar o bolo de aniversário, disse à empregada que me atendia, que se as velas se pagassem não valia a pena pôr na caixa, porque já tinha comprado umas. A senhora disse que era oferta. Durante esta conversa toda o meu filho estava lá fora a delirar com um cão enorme. E comentei com a senhora: “O meu filho não pode ver cães, que fica doido”. Ao que a senhora responde: “Também estamos a dar o cão, andamos à procura de um novo dono”.
Declinei a oferta num misto de surpresa e choque. A facilidade com que certas pessoas se desfazem dos animais de estimação…

Fio dental

Nós os 3 fomos aos pastéis de Belém lanchar. Enquanto estávamos na fila à espera pela nossa vez, reparámos numa senhora que já estava sentada a comer, e que tinha o fio dental COMPLETAMENTE à mostra. Um grupo de pessoas que estava mesmo atrás de nós ria á gargalhada, e até tirou uma fotografia. Pensei em avisar a rapariga, mas o F. disse que era melhor não, que poderia levar a mal. E como normalmente nestas coisas de estranhos as minhas boas intenções saem sempre goradas… Mantive-me em silêncio. E a senhora ficou a dar espectáculo até ir para casa… Foi uma situação um bocadinho infeliz. E sinceramente, fiquei sem saber se fiz bem, se fiz mal.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Emoções fortes

Na próxima semana regresso ao obstetra-nazi e à sua balança implacável, vou fazer a ecografia morfológica, vou fazer a ecografia ao coração também da nossa filha e o meu pai vai ser operado às cataratas.
Vai ser uma semana difícil.

“Ó gorda!”

Numa reunião com uma cliente.

Ela: “Estou a ver que a Raquel está grávida, Parabéns!”
Eu: “Obrigada, é verdade, é uma menina”.
Ela: “Eu também estou grávida, e também é provável que seja uma menina. Mas não se nota porque eu sou muito magrinha”.
Eu: “Parabéns. Que giro também é uma menina. É a 1ª gravidez? (acena que sim) pois é normal na 2ª gravidez é tudo mais rápido”.

Ler nas entrelinhas: “Vai chamar gorda a outra ò magrinha nas olheiras”.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Benedita Vs Carolina

É oficial: temos um empate técnico.
Já estou como uma amiga minha, a criança vai nascer no dia 1 de Abril (a data prevista de nascimento é 31 de Março), e será nesse dia que vamos decidir o nome. E ninguém vai acreditar...

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O momento do registo do nome

Podia ser apenas um acto burocrático como outro qualquer… mas algumas das histórias de vidas que conheço demonstram que pode ser uma grande surpresa… pela negativa (digo eu).

A mãe do F. tem dois nomes e não um. E porquê? Porque quem foi registar o nome da minha sogra foi o pai (que estava em desacordo com a mãe). E o avô do F. decidiu no momento do registo pôr o nome que mais gostava à filha, e para que a mulher não ficasse muito aborrecida, pôs o nome que havia sido acordado em 2º. A avó do F. que era uma mulher com uma forte personalidade (digo como elogio) sempre tratou a filha pelo 2º nome. E este até hoje é o seu 1º nome e são muito poucas as pessoas que conhecem o nome original da minha sogra.

Havia um casal que até ao nascimento do filho não tinha chegado a acordo no nome que iam dar ao rapaz lá de casa. O pai assim do nada, decidiu registar o nome do filho. E depois informou a mãe. O rapazola ficou “Fernão” e a mãe não achou piada à surpresa.

E havia ainda outro casal que havia acordado dar o nome de “Cristiana” à filha. O pai quando ia a caminho do local de registo cruzou-se com uma vizinha que disse: “Ah! Se eu tivesse tido uma filha ela ter-se-ia chamado Corália”. O pai gostou, registou e quando regressou a casa informou a mulher.

Temos aqui um denominador comum: homens sozinhos a tomar decisões e a registar o nome dos filhos. E pelos vistos as respectivas mulheres não gostaram da surpresa.

No meu caso, foi muito simples, já estava mais do que acordado o nome, e antes de sairmos da maternidade fomos os 3 registar o nome do Francisco. E com a vontade que estava de regressar a casa… mais um bocado e esquecia-me de registar a criança.

sábado, 19 de novembro de 2011

Atracção Fatal

Hoje apanhei o Francisco a comer o meu creme Nivea. Estava todo lambuzado. Fiquei preocupada, e liguei à pediatra. Disse que não havia problema, que os miúdos atacarem a latinha azul do creme Nivea é um clássico… e que até teve um paciente que comia com frequência este creme acompanhado com papel higiénico (!?). E no Natal e nos Anos não falhava, quando lhe perguntavam o que queria de presente, pedia sempre a mesma coisa “Creme Nívea com papel higiénico”.

Bingo!

No dia do nascimento do Bernardo (a cesariana estava marcada para as 10h00) eu cruzo-me poucas horas depois na rua, perto de minha casa, com o obstetra que fez o parto à minha amiga.

Senha nº4

Já nasceu o Primo António (8 de Novembro), já nasceu o sobrinho Bernardo (hoje), a próxima na lista é a Madalena (lá para o início de Fevereiro) e depois sou eu. Ainda não estou bem a ver o filme.
Já percebi que o nascimento da nossa filha já anda a modificar os planos da família, a Páscoa que é sempre passada no norte, parece que desta vez vai ser em Lisboa. Eu fico por cá (com toda a certeza) não me estou a ver a ter um filho e depois agarrar num recém-nascido e em mim e meter-me numa viagem de 400 kms… Nem pensar.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Coincidências (mais uma para a colecção)

Saltou uma pedra para o pára-brisas do nosso C3 Picasso, e lá foi o F. ter que mandar substituir o vidro:

· O senhor que atendeu o F. era o mesmo (apesar de o local de atendimento não ser o mesmo)
· Reconheceu (passados 3 anos) o F.
· E ainda sabia qual era o carro que tínhamos na altura (o Saxo que passou a vida a ser assaltado).

Esquisito.

Ando com saudades de…

ir ao ginásio, fazer abdominais até cair, correr, fazer aulas puxadas até sentir dor. E mimos destes só para o ano. E do outro lado da balança… também ando com saudades de comer um saco cheio de gomas ácidas e polvilhadas com açúcar mas isso também só para o ano.

E fumo branco nem vê-lo

Apesar de ter publicado aqui no blog a nossa mais recente short list, na realidade as nossas famílias não estavam a par destes últimos desenvolvimentos (quase ninguém sabe da existência do meu blog, apenas 2 primos). O F. disse para mudar a resposta de “ainda não temos nome” para “temos uma short list”.

As reacções:

A minha mãe disse (entre outras coisas) que não bordava nada com o nome da neta se fosse “Benedita” (reacção que achei despropositada), do meu lado a maioria gosta de Carolina ou Leonor.
Do lado da família do F. o nome de eleição é “Benedita”.

Quanto a nós tudo na mesma… e epifânia nem vê-la…

Nota: As reacções de ambas as famílias não influenciam em nada a minha decisão. Zero.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Teorias comuns

A pediatra do Francisco diz que a mana dele não vai ter sequer um álbum de fotografias para contar a história, uma personalidade da televisão, que é o terceiro filho na sua família, queixa-se que os dois irmãos tiveram direito ao livro do bebé, e que ele teve apenas uma referência no livro do 2º irmão (na última página) que era qualquer coisa do género (e com alguns anos de atraso), “O José Diogo nasceu no ano X.”. E a mana do F. (irmã mais nova) de vez em quando lá se queixa do tratamento diferenciado e que não é em seu benefício.
Há uma teoria comum, os irmãos mais velhos são os preferidos. E eu enquanto filha única e com tudo a que tive direito (e tenho), não consigo imaginar o que deverá ser ter um tratamento diferenciado, ainda por cima dessas entidades supremas e únicas que são os Pais.

Desde já fica a promessa que irei tratar sempre os meus dois filhos de igual.
Para provar à pediatra que a minha filha irá ter um tratamento igual, mostrei-lhe a foto que está no visor do meu telemóvel, uma imagem da primeira ecografia da princesa lá de casa. A “Epifânia” ainda não nasceu e já tem 2 molduras em branco à sua espera, assim como a sua primeira foto (uma da eco) já está em cima do nosso aparador… Eu sei que lá por casa, enquanto entidades supremas, iremos tentar sempre ser justos. Daqui a uns anos os nossos filhos o dirão…

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Tangerina e Vaca

Este é o nome de uns desenhos animados que passam na TV2. O "elenco" principal é constituído por uma mãe que tem dois filhos e ainda uma vaca como animal de estimação. Esta família grita muito… e num dos episódios que por acaso vi com o Francisco... há uma cena em que a mãe está a repreender a filha porque fez algo que não devia… e a filha responde aos gritos…”És uma anormal!”.
Escusado será dizer que estes desenhos animados deixaram de ser vistos cá por casa…

Aqui vai um episódio (que só encontrei em inglês) para vossa apreciação.

Raquelinha a dona de casa

Fiz as pazes com a bimby. O F. levou-a emprestadada da casa da mãe (eu não digo que a casa dos sogros, é uma casa cheia de tesouros) há alguns anos e desde então nunca lhe tinha dado grande uso, a não ser para fazer doces e pouco mais. O “prato” mais que repetido nesta maquineta foi… scones.

Desde que estou grávida pela 2ª vez decidi começar a fazer pratos diferentes cá em casa, porque estou farta das refeições do costume e dos temperos do costume. Cheguei ao meu limite.

Assim nos últimos tempos o que se tem comido lá por casa: Moqueca de camarão, sopa de castanhas, Lulas de mostarda, Migas da Lousã, Raclete (esta não foi na bimby), Bacalhau espiritual… Ando maravilhada com a minha pequenininha veia de dona de casa.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Casa dos tesouros

A casa dos meus sogros é uma verdadeira caixinha de surpresas. Das boas.
A casa é bastante grande e tanto a mãe como o pai do F. gostam de guardar quase tudo. E de facto mais cedo ou mais tarde acabam por dar muito jeito.
Neste fim-de-semana saímos de lá com um saco cheio. E que continha: Um cueiro cor-de-rosa para a nossa filha (estava guardado há mais de 6 anos, pois havia sido uma compra da sogra para uma sobrinha-neta, mas só depois da compra feita é que descobriu que havia tradição na família da mãe da criança em não vestir as meninas de cor-de-rosa até a uma certa idade), carrinhos que eram do F. quando era pequenino e alguns carros réplica do meu sogro (que nem sonha que já não estão lá por casa), e ainda um misto de cachecol/lenço que herdei da sogra.
Já para não falar da roupa vintage que herdei da sogra e respectiva irmã (a tia do F. ,portanto) de quando eram novas. Sim, a minha sogra também guardou roupa da irmã!
Eu às vezes nem sei porque é que vou às compras…

2 anos

Era só para dizer que a 5ª pessoa a dar os parabéns ao Francisco no seu dia de anos foi… o Luís Filipe Vieira. Foi uma mensagem tipo que é enviada a todos os sócios do Benfica mas ainda assim teve muita graça.
Sim, o meu filho é sócio quase desde que nasceu. É uma tradição de família, e sei que o bisavô do Francisco ia ficar muito contente.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

No obstetra

Na última consulta que fui, que estava de 17 semanas e uns dias. Levei um ligeiro sermão do obstetra por já ter engordado 4 quilos. Com direito a cabeça inclinada e sobrolho levantado.
E fiquei desmotivada! Não cometi nenhuma “infracção grave” a não ser no meu dia de anos… mas tive que ganhar energias para me portar ainda melhor e não descambar com a minha “dieta” de grávida. Suspiro…
Nesta gravidez está a custar mais afastar-me dos doces…

Coisas que gosto deste tempo

· Ficar no sofá de manta a ver um filme
· Calçar meias (de preferência até ao joelho)
· Estar à lareira
· Comer sopas bem quentes e de preferência daquelas que se comem quase de faca e garfo
· Fazer bolos e scones. Comer ainda quente e ficar um cheirinho óptimo pela casa.
· Beber chá (que por norma vem da casa do Alentejo do meu tio ou do quintal da amiga da minha mãe. E que é mesmo muito bom.) às litradas. Não compro chá.
· Dormir numa cama com lençóis de flanela

A short list do pai

Ontem falámos sobre os nomes para a nossa filha (continuo a estranhar falar no feminino), e o F. revelou finalmente a sua short list, sem compromisso, e que pode mudar em qualquer momento. Cá vai:

Leonor, Benedita ou Carolina

E é isto.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Estamos à espera da Epifânia…

Toda a gente quer dar uma ajudinha no nome para a criança, toda a gente tem o melhor nome para sugerir, toda a gente tem a sua teoria, toda a gente dá o seu bitaite, desconhecidos incluídos (pois, claro!), toda gente menos o pai da criança.

Agora o F. inventou que está à espera de ter uma epifânia… que não está preparado para debater nomes… e portanto continua tudo na mesma. A minha mãe passa os dias, de agulha em riste, à espera da decisão final para poder começar a bordar o nome eleito em tudo o que é tecido. Até lá é melhor a avó guardar a agulha na caixa de costura e esperar deitada porque pelo andar da carruagem… a criança nasce e não tem nome.

Começo a perder a minha paciência.

Agora a sério...

E quando achava que já tinha visto tudo… é lançado no mercado um conjunto de 12 pensos-rápidos de marcas como Chanel, Gucci, Louis Vuitton e Burberry. Já estou a ver as fashion victims todas a inventarem cortes só para andarem com o último grito em “cuidados de saúde” colado ao dedo.
Para quem estiver interessado uma caixa de 12 pensos custa 10€.