quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

A conversa fica por aqui.

Na terça-feira foi dia de ir ao pediatra. Estava eu e o F. na sala de espera, à espera, quando entra um homem na dita sala de seu nome Jorge Ritto, ring a bell?, pois a mim, assim que o vi soaram os alarmes todos (e eu estava sem óculos!).
O F. achou piada à situação, eu fiquei em estado de choque, e não conseguia deixar de olhar para ele.
Resta referir que onde nós vamos ao pediatra existem outras especialidades, como psiquiatria, consulta externa etc…

...

Este Natal decidi oferecer à minha mãe uma massagem dos pés à cabeça no LeSpa.
Primeira reacção: “Para que é que eu quero isto?”
Segunda reacção: “Então estou deitada na minha casa e vou levantar-me para me ir deitar noutro sítio?”
Na noite de Natal tentei disfarçar a minha desilusão… e dias depois voltámos a falar no assunto, e a minha mãe disse-me com todas as letras que me dava a massagem que não queria aquilo para nada.
Eu sei que os meus pais são os “reis da electricidade” que não param quietos um segundo mas não exageremos… para a minha mãe ir fazer uma massagem é sentir-se inútil. Provavelmente se fosse, a sessão no spa acabaria com a minha mãe a fazer massagens à senhora massagista!
Tantos anos depois e ainda não conheço a minha mãe…

domingo, 27 de dezembro de 2009

1 Natal, 3 Marias, 3 Franciscos

Este foi o primeiro Natal do Francisco. Família e amigos perderam a cabeça e deram kilos de presentes para o nosso baby. Nas noites de 24 e 25 não fiz outra coisa se não abrir presentes “alheios”.
Na noite de 24 com a minha família, o F. foi o “Pai Natal” de serviço, e decidiu ler mal os nomes de toda gente nas etiquetas de todos os presentes.
No dia 25, com a família do F., o primo Francisco foi quem distribuiu os presentes, e a confusão ainda foi maior… Neste jantar estavam presentes 3 Franciscos, um deles casado com uma Maria, e os outros dois tinham como segundo nome Maria. O caos estava instalado: o primo Francisco achava que estava a dar presentes em conjunto comigo e com o F. (já que decidi acrescentar nas etiquetas de todos os presentes que oferecemos o nome do Francisco), o outro Francisco (o nº3) abriu um presente para o Francisco bebé, porque achava que era um presente para o casal “Francisco e Maria”… e só deu conta do engano quando viu um conjunto de babetes (já recebi tantos babetes que quase que conseguia abrir uma loja da especialidade).
Este Natal ficou ainda marcado por discussões acesas de futebol, a nova concorrência fotográfica da prima Constança, o facto da cozinha ter virado a nova sala do vício (onde se podia fumar) e de repente estar quase a família em peso em amena cavaqueira na dita divisória da casa, o M. recebeu mais uma guitarra (já deve ter umas cinco) e não sei onde é que ele vai buscar uma nova cara de surpresa, nós decidimos oferecer T-shirts com dizeres do tipo “ London, Paris, Amadora, New York” e mais uma vez fez falta o reboliço dos cães (que não foram convidados).

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Foleiro, foleiro é…

roubar presentes de Natal.
Foi o que aconteceu à minha sogra num dos seus “tours de compras”, quando se apercebeu, faltavam-lhe três presentes, e um deles era do F.

Comemorações natalícias

Para além dos “jantares do Sapatinho” todas as sextas, as minhas comemorações natalícias extra-Natal, começaram e terminaram este fim-de-semana. Jantar na sexta, jantar no sábado da Ca. e almoço no domingo das amiguinhas da faculdade, sempre com o Francisco atrelado.

A não repetir, levar um bebé tão pequenino para um convívio que tem cerca de 30 pessoas. Esteve muito bem o jantar de sábado todo, mas quando chegou a hora de dormir fez uma super birra e nós fomos para a nossa casinha. As crianças dos outros (que neste caso éramos nós) são muito giras, mas caladas, e já estava mais do que na altura de irmos à nossa vidinha. Fenómeno: ao contrário do que estamos habituados, éramos os únicos com filho”s”. Estranho…

Os presentes dos vários “amigos invisíveis” deste ano que levámos para casa foram: chocolate para fondue, pulseiras, uma bomba para encher balões, um cubo mágico, uma moldura-cubo muito gira e um DVD. Para o ano há mais!

Sismo

O relógio marcava 01h40 minutos, e eu estava na sala a ver um documentário sinistro na televisão. O F. dormia ferrado no sofá.
Apanhei um grande susto, demorou o suficiente para ter noção do sismo, mas foi ao mesmo tempo tão rápido que não pensei em nada nem em ninguém… acordei o F. e perguntei se tinha sentido alguma coisa, mas pelo ar dele não me pareceu… E a única prova do que eu tinha acabado de sentir era a decoração da árvore de Natal que ainda estava toda a tremer, e ficou assim uns bons segundos, a bailar.
As pessoas normais teriam esperado por uma réplica… nós fomos dormir.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Baptizado do Zé Maria

Foi no feriado de 8 de Dezembro lá para os lados da Praia Grande, a igreja escolhida foi a mesma onde havia sido o casamento da C. (começa a tornar-se um local familiar), o padre foi o mesmo que fez o casamento da mana M. (quase que o tratamos por tu) e para não variar chegámos atrasados (o que começa a tornar-se um péssimo hábito). Quase não assisti ao baptizado porque passados dois minutos de entrar na igreja, o Francisco lembrou-se que tinha fome.
A celebração continuou numa casa na Praia Grande, e grande parte dos convidados eram casais novos com um filho bebé ou pequenino… havia até um quarto especial para os bebés dormirem, mudarem a fralda… um luxo.
Foi uma tarde muito bem passada na companhia de amigos, comida excelente, e ainda tirámos umas quantas fotos. Neste dia tirámos a primeira foto do Francisco com o amigo Zé Maria em grande confraternização. Está linda!

Bem se calhar o próximo baptizado vai ser o do Francisco… e pelo andar das negociações será no Porto, na mesma igreja onde o F. foi baptizado.
Mais informações para breve…

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

New season

Começa hoje mais uma temporada do Jantar do Sapatinho. Em 2009, temos mais um elemento para se “sentar à mesa”, e o primeiro jantar de Natal começa bem, com casa cheia! Quase tantos membros da família como no dia 25 de Dezembro.

Prémio

Que a Família Tanaka tira fotografias a tudo, não é novidade. Agora que recebeu um prémio recentemente por isso… é digno de post. O F. respondeu a um concurso de um Resort com várias fotos. Como achava que tinha tantas tão boas, concorreu em nome dele, e em meu nome. E adivinhem quem é que ganhou o prémio? Eu!
Ele ganhou apenas uma menção honrosa, que significa 50% de desconto em alojamento num Hotel caríssimo, e eu ganhei o 2º lugar, que é a estadia de uma noite nesse dito Hotel, e mais uma menção honrosa. Até ao fim de Março temos de gozar o prémio.

“Sai a mim” parte II

O Francisco está com duplo queixo (a pediatra diz que é triplo) e de repente ninguém se lembra de quem é aquele queixo… não sai a ninguém. Avô paterno está ai?
O novo queixo da nossa criança morre solteiro…

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Luxo é…

…dormir 4h30 minutos de seguida! Algo que não acontecia desde 28 de Outubro. Sinto-me revitalizada!

Canções de embalar precisam-se

Há mais ou menos três semanas que o Francisco está com o nariz entupido, e o que é que isto leva? Ora a uma sequência de problemas: o nariz está entupido, logo demora mais tempo a adormecer, eu durmo menos e tenho que investir mais em estratégias de “adormecimento”. E é aqui que entram as canções de embalar… primeiro dava-lhe conversa no geral, depois cheguei à conclusão que como não percebia nada do que eu dizia, não valia a pena em preocupar-me com discursos que fizessem muito sentido, já cheguei ao ponto de lhe dar uma receita de um bolo “300gr de açúcar, 200gr de farinha, 4 ovos etc, etc…” não lhe interessa o que eu digo, desde que fale.
E depois a conversa por si só já não chegava, e tive que começar a cantar qualquer coisa. O problema é que em situações de emergência, só me vem à cabeça músicas como “atirei o pau ao gato” “Minha machadinha” ou melhor…o “Malhão”, músicas que definitivamente não são muito calmas.
O F. canta ou músicas dos Maristas que eu não conheço e que são do género “Vede Senhor” ou então inventa canções que por norma rimam sempre, e dão-me imensa vontade de rir.
Eu aguardo que os meus cultíssimos leitores sugiram algumas músicas, para eu poder brilhar cá por casa…