terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Douro embrulhado, com direito a laço e tudo...

Finalmente “abri” o meu último presente de anos, um fim-de-semana prolongado no Douro. Quinta, sexta, sábado e domingo foram dias de descanso total, sol e sabores da terra.

A primeira foto refere-se à vista que tínhamos da habitação de turismo rural onde estivemos hospedados. A BBC classificou esta vista, da Casa Casal de Loivos, como a 6ª mais bonita do mundo, e depois de ter visto ao vivo e a cores, tenho de concordar, que não é um exagero. As palavras não são suficientes para descrever aquela paisagem…é um cenário surreal. É de ficar de boca aberta. Ali, no topo do Douro ouve-se o silêncio.

De destacar apenas uma história, o dono desta casa, assim que chegámos, perguntou ao F. sobre o seu apelido, de que ramo da família fazia parte. E ficámos a saber que o senhor lembra-se de ver os avós do F. a namorar, sim eu disse namorar, na casa de família do F., no Porto.

Estou a ver que não podemos sair de casa…









terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Hospital das Bonecas

Hoje foi dia de ir até ao Hospital das Bonecas, para mais uma reportagem. Fiquei fascinada, o espaço mexeu mesmo comigo… vi bonecos da minha infância (um careca e um macaquinho que encaixava o dedo polegar na boca, que era de alguém lá no colégio). O dito Hospital foi fundado em 1830, portanto podem imaginar o espólio de bonecas e brinquedos que tem, é uma loucura.
O local onde o Hospital agora está, Praça da Figueira, tinha sido uma escola primária… e agora é que vem a parte mais gira: o meu Pai andou nessa escola. Que coincidência!

Ao almoço quando relatava a minha manhã no Hospital das Bonecas, o meu Pai descrevia-me o espaço de alto a baixo. Vou ter que o levar lá, vai ser mesmo giro.

A parte má da história (para quem me está a ler) é que o Hospital não está aberto ao público. Apenas recebe algumas visitas marcadas por empresas, e por vezes turistas.

sábado, 14 de fevereiro de 2009

E na sexta-feira 13 tive a sorte de conduzir o novo BMW M3

Este automóvel tem vida própria… é muito difícil explicar a experiência de conduzir um M3… A máquina toma conta de nós, e parece que goza connosco, do tipo “vá mariquinhas, isto é o máximo que consegues acelerar? Experimenta mais um bocadinho…”. É impossível não ficar possuído! Adorei conduzir este carro que debita 420 cv de potência


The New 2008 BMW M3 - Funny bloopers are a click away

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Quando fores à cozinha trás mais uma colher…

Adorava ter esta coffee table, que ainda por cima é de um designer português, Toni Grilo. Dava já a minha cobiçada mesa de vidro... o problema é que depois não podia receber nem crianças nem cães lá em casa. Esta mesa está mesmo a pedir um acidente...

Este comentário diz tudo:
"The Precious Famine (inquire for price) limited-edition coffee table, made of entirely hundreds of pieces of Christofle silverware, was designed by Toni Grilo of Portugal/France-based Objection Design. While it's most definitely crazy, impractical, and possibly dangerous, I appreciate its inventiveness. I assume it's made from newly manufactured Christofle silverware, but I like the idea of recycling objects in your home for an entirely new purpose."

E na semana passada ao volante de um...

Lexus IS220d

Casa Cheia

Na véspera do dia de anos do F., casa cheia de amigos para comemorar. Ninguém quis faltar… maridos e crianças incluídas (Estrelinho e ZéTó).
A A. estava “on fire” a disparar para todos os lados (tentou ensinar o Estrelinho a dizer “mãe quero ir para o parque infantil mais sujo de Lisboa”, coisas simples portanto. E ninguém escapou à sua língua afiada), o Estrelinho batia palmas (porque sim) e todos repetíamos, assobios incluídos e tudo (parecia que estávamos num concerto), a J. posou com a sua barriguinha, o G. estava muito espirituoso, o F. brilhou com uma entrada (copiada de Paris)…
Foto de grupo no sofá, aliás várias, uma pior que a outra (estamos cada vez mais adultos). Gostámos muito da reunião.

Nota: Para a próxima prefiro que fumem no escritório, e não na marquise (dispenso que vejam a minha roupa interior no estendal). A comissão agradece.

Os 30 chegam a todos…

Ora depois de três meses e meio a ser massacrada lá em casa porque tinha 30 anos, “eeeeeeeee tás velhota” e coisas do género… O Senhor F. (sim, porque fez 30 anos no dia 10 de Fevereiro) agora bem que pode ficar caladinho. Primeiro comentário que fez sobre a efeméride “Ah tenho 30, mas pareço ter 20”, ora aqui está um típico comentário de cota!

Sookie

E como prometido aqui está a foto da nova cadelinha na família. Tem um mês e meio e no domingo quando a fui visitar, estava há um dia na sua casa nova. Os donos ainda estão a escolher o nome, mas em principio vai se chamar Sookie. É tão querida.





Quinta/Paris/Sexta

No fim da semana que passou fui a uma apresentação em Paris de um novo carro e também da renovação da respectiva marca. O evento foi numa sala de cinema nos Campos Elísios, e a maioria dos jornalistas eram homens (para não variar). Após uma curta-metragem que revelou as primeiras imagens do automóvel e de algumas explicações dos responsáveis, chegou o momento da refeição. Lá fomos nós pela Av. dos Campos Elísios a descer até ao Pavillion Gabriel para um Cocktail ajantarado. Os conceitos que eles inventam para dizer comida em quantidades reduzidas… e assim foi: “jantar” volante, pratinhos minúsculos (onde só cabiam quatro unidades de ravioli) e completamente rasos (descuidávamo-nos um bocadinho e a comida saía disparada), e um talher que era um mix de colher e garfo. Muito chique. Havia comida óptima e também havia outra bastante esquisita (ao ponto de não sabermos o que estávamos a comer), e tendo em conta o espaço limitado do pratinho, foi uma canseira ficar satisfeita.
No espaço do evento estava o próprio do automóvel, num palco, por detrás de uma cortina de correntes, às escuras. De vez em quando punham uma música a tocar, acendiam-se as luzes no palco, abriam a cortina e lá iam os jornalistas e fotógrafos a correr para tirar fotografias. Segundos depois fechavam a cortina, apagavam as luzes e acabava a música. Foi assim a noite toda.
Estava com mais alguns colegas do trabalho, e regressámos todos juntos para Hotel a pé, subimos os Campos Elísios, passámos o Arco do Triunfo e eu sempre a disparar fotos como se fosse a primeira vez que estava em Paris. Nem estava a acreditar que estava em Paris outra vez.

A foto da paisagem é a vista que tinha do meu quarto de hotel.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Esta semana ao volante de...

Andei ao volante do carro que sempre quis ter... o Mini! Igualzinho ao da fotografia. Também gostei de experimentar o Mito, que tinha mais vantagens logísticas (bagageira muito maior, mais espaço para os amigos que vão no banco de trás etc... etc...) mas foi unânime: toda a gente que andou nos dois automóveis preferiu sempre o Mini. Dava mais pica...

Ah! E o Mini por dentro é lindo, pouco funcional, intuitivo, mas lindo de morrer.









domingo, 1 de fevereiro de 2009

O estranho caso de Benjamin Button

Fui ver este filme porque estava nomeado para os Óscares, não esperava grande coisa, e afinal valeu mesmo a pena.

Esta é a história de um homem que nasce com 80 anos e que com o passar do tempo vai ficando cada vez mais novo. E? Pois a questão é que enquanto ele vai ficando cada vez mais novo, as pessoas que o rodeiam vão ficando cada vez mais velhas, a forma como interage com a sociedade, a maneira como vai vivendo novas experiências é completamente invertida. Mais não digo. É mesmo obrigatório ver este filme. Finalmente uma história completamente nova.

E desta vez calhou-me na rifa…

Já me calhou de tudo no cinema (por norma, mesmo à minha frente): os que não se calam, os que comem as pipocas de boca aberta, indivíduos de 3 metros de altura, mulheres com cabeleiras volumosas, o casalinho que come tudo menos as pipocas… mas um homem de chapéu no cinema, nunca. E mais uma vez troquei de lugar com o F. É a história da minha vida.