quarta-feira, 30 de junho de 2010

Dar um tempo

Não sei se já deu para reparar mas não tenho tido muito tempo para escrever no Blog. Amanhã começo a trabalhar a tempo inteiro, e deixo o meu fantástico horário das 9h30 às 14h30. Ainda estou no mesmo local de trabalho mas… agora no departamento de marketing editorial. Parece que tenho alguém cá em casa que é capaz de me dar umas dicas…

domingo, 27 de junho de 2010

Informação privilegiada II

No dia 1 de Julho começam as promoções na Zara. Já sabem que a dita marca é um bocadinho alérgica aos saldos...

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Informação privilegiada

Começam hoje os saldos na Mango e na Zara Home.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Acidente

Ontem foi dia de ter o meu primeiro acidente de carro desde que tenho carta de condução. Fiquei super nervosa, uma pilha, porque estava sozinha com o Francisco.
Segundos depois de sair de casa dos meus pais, ia na minha faixa, e vejo um carro que quer entrar na via onde estou, e nem parou. Eu apitei três vezes, e o homem não me viu e não me ouviu. Fiquei com a porta do carro toda para dentro.
Quando tentei ligar ao meu pai fiquei sem bateria. Queria chamar a polícia. Confusão gerada na estrada com os carros a querer passar e a querer contornar o acidente e a não conseguirem. Filas em todos os sentidos. A pontaria de ter o acidente num local com seis sentidos diferentes.
Peço ao primeiro condutor que vejo se me deixa dar um toque do seu telemóvel porque tinha ficado sem bateria. Ninguém andava nem para a frente nem para trás.
O “condutor” eram três homens que iam numa daquelas carrinhas enormes, e super solícitos passaram-me logo o telemóvel para a mão, e “estacionaram” a carrinha no meio da estrada em sentido contrário. Quis pagar a chamada e não me deixaram. Não consegui falar com o meu pai que estava a poucos metros de mim, mas consegui falar com o F. que estava a mais de 20Km. Assinámos a declaração amigável.
Fiquei uma pilha o resto do dia.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Coisas novas

Andei a comprar coisas novas.
Primeiro foram uns espelhos que colam, produto do Leroy Merlin, que custou cerca de 12 euros. Toda contente colei-os, eram quatro quadrados, na vertical, e fiquei finalmente com um espelho de corpo inteiro em casa, mais precisamente dentro do meu roupeiro.
Ontem, quando cheguei a casa, um dos quadrados já estava no chão… e os outros três deslizaram uns centímetros para baixo… Hum… se calhar não foi assim tão boa compra…
Depois decidi armar-me em moderna, e investi nuns decalques de sombras, ou seja, quem não percebe nada de maquilhagem, cola um decalque em cada pálpebra e já está. Ora decidi experimentar esta ideia revolucionária minutos antes do baptizado do Francisco, e apanhei um valente susto quando olhei ao espelho. Nem sei o que parecia… por acaso até sei… parecia que me estava a preparar para o ataque… para ir trabalhar para a esquina. Demorei mais tempo a tirar a dita maquihagem, “Eyeenvy” da ColorOn Professional, do que a pôr. Este “smokey kit” comprado na Sephora custou cerca de 20 euros.
Enfim, só bons investimentos.

Praia, finalmente!

O fim-de-semana que passou foi de PRAIA! Uma estreia absoluta para o Francisco e para mim. A nossa criançola não gostou da água (será porque estava fria?), caiu de cara na areia e virou panado, e sempre que regressava da praia (quatro vezes) adormecia no caminho. Um fim-de-semana fantástico a repetir.
Ah! E tirámos quilos de fotos, pois claro.

Nota: E não custou nada fazer horários de praia de criança.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Mesmo à frente dos olhos

Agora que o Francisco tem 7 meses e tal, olho para os álbuns de fotografias dele e vejo o quão gordo ele estava. Na altura não me apercebia. O facto de estar com ele a toda a hora toldava o meu discernimento… Não que achasse que o meu filho fosse parecido com a Kate Moss mas não tinha reparado nos quilos em excesso.
Esta conversa toda começa porque a mãe do Vicentinho um dia disse que só reparava que o filho era super moreno quando estava perto dos outros bebés. O que na altura me fez uma certa confusão. Parecia-me óbvio. E agora percebo-a na perfeição.
Acho que este “problema” tem um nome, chama-se "olhos de mãe".

Resposta pronta

Desde que o Francisco nasceu, deixei de ter resposta pronta para tudo. É que não é fácil!
Na loja a comprar botões de punho e um cinto para o F., a empregada arrisca: “Acho que lhe vou pedir para adoptar o seu filho”.
O que é que se responde a isto?

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Eureka, ou talvez não

O tal vestido que fui comprar com uma trupe de fashion victims acabou por ser trocado. O corte era muito giro mas a cor… castanho, não consegui gostar. Experimentei em dias diferentes para ver se mudava de opinião mas não mudou. Acabei por ir comprar o primeirinho vestido que tinha gostado, o chamado plano B, que virou A.
Como na tal loja não devolviam o dinheiro (por exemplo, na Zara devolvem) acabei por trocar por outro vestido que elas tinham sugerido, e que vai ser estreado já no casamento que tenho este ano. Decidi também devolver os sapatos que havia comprado na Zilian e desta vez tive direito a um vale com a duração de três meses.
Enfim, tanto trabalho com coisas inúteis, tanta perda de tempo precioso, e assim do nada virei a profissional da devolução. Ai que paciência.

terça-feira, 15 de junho de 2010

domingo, 13 de junho de 2010

O Baptizado

Foi um dia fantástico. Não podia ter sido melhor. Tudo esteve a nosso favor.
Tivemos quase* tudo: família e amigos (duas grávidas, amigos com filhos que vieram de Lisboa, e uma prima que veio directa do exame para o Porto).
Sem pedirmos, a Família Tanaka teve direito a reportagem completa: o primo F. filmou o baptizado todo, o cunhado, a prima P. e o avô M. tiraram dezenas de fotografias.
Depois de uma semana de chuva e frio, no sábado tivemos direito a sol e temperaturas bem agradáveis, mesmo durante a noite (a tia-avó G. tinha apelado a todos os santinhos, colocados lado a lado na cascata).
O serviço de catering esteve à altura das minhas expectativas: churrasco para receber os convidados, comida típica portuguesa, e muitos petiscos. Tudo estava óptimo e os empregados foram sempre atenciosos e prestáveis.
Nada foi deixado ao acaso, e o jardim da casa teve direito a decoração dos Santos Populares: manjericos, balões e “grinaldas”.
Família e amigos misturaram-se como se conhecessem há anos e ouvi muitas pessoas a comentarem “que o tempo tinha passado a correr”, surpreendidos com o facto já ser tão tarde. Foi o sábado mais rápido da história.
A cereja no topo do bolo, foi o discurso de agradecimento do F., que depois de proferir algumas palavras… emocionou-se. E emocionou grande parte dos convidados, ou pelo menos os que eu consegui ver por entre lágrimas.
Não foi “só” um baptizado, foi um momento em que celebrámos o Francisco na companhia daqueles que amamos.


*Ficaram a faltar algumas pessoas especiais, não porque não puderam ir mas por questões logísticas não puderam ser convidadas, e fizeram-nos muita falta. Foi muito difícil escolher. Mesmo muito.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Conselho de amigo II

Se forem a uma parafarmácia do Continente e apresentarem o cartão do dito hipermercado tem ainda um desconto maior. Agarrando ainda no exemplo do leite em pó que era 19,50€ na farmácia, na parafarmácia Continente fica a 16,20€.
Se usarem o truque do F. dos olhinhos de carneiro mal-morto com a menina da dita parafarmácia, também têm desconto sem ser preciso o cartão. Gajas…

Agora que sou mãe II…

De cada vez que vejo um rapaz na rua que aparente ter até 31 anos (a minha idade, portanto) imagino como será o Francisco, e não consigo acreditar que vá ficar daquele tamanho.
Sim, por mim, ele ficava bebé para sempre.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Juro

Adivinhem quem esteve este fim-de-semana num daqueles programas de desporto, onde vários convidados e/ou personalidades comentam semanalmente o desporto rei? A sério, não conseguem adivinhar? O Nicolau Breyner, pois claro!
Já só falta vê-lo a apresentar o Clube Disney de totós e a dizer piadas infantilóides.

domingo, 6 de junho de 2010

Agora que sou mãe...

preocupa-me o facto de não durar para sempre. Deixar o Francisco sozinho no mundo.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Eureka!

Na companhia da cunhada e respectiva melhor amiga (que é louca por compras e tem imenso jeito para coisas relativas a trapos) encontrei finalmente um vestido!
Pergunta do F. quando viu o vestido, “terias escolhido esse vestido se estivesses sozinha?” Resposta: “Não”.
Mas para que fique registado gosto muito, e o F. também.
Ponto final nesta busca secante.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Estou por aqui (visualizar uma mão a puxar uma ponta de cabelo)

No ano corrente, tenho, até ver, dois baptizados e um casamento. E depois de ir ao Colombo, ao El Corte Inglés, ao Central Park, ao Riviera e às Amoreiras não encontrei nada. Só vestidos assim-assim. E eu que me gabo de encontrar o que quer que seja em qualquer loja que entre, começo a ficar irritada com tanta perda de tempo. Há tantas coisas mais interessantes para fazer… Estou seriamente a pensar ir num estilo “o rei vai nu”.
A minha cunhada, que é uma santa, ofereceu-se para me ajudar a encontrar um vestido. Hoje, depois do trabalho, vamos as duas ao Saldanha gastar a sola do sapato, e se tudo correr bem, gastar dinheiro a comprar um vestido.
Os critérios para a minha busca são poucos: vestido cocktail, não pode nem ser preto (o que dificulta a compra) nem branco e não queria que custasse mais de 150€, o que quanto a mim, já é um excesso.

Aceitam-se sugestões de lojas. Estou a desesperar!!!!






Bruna Real soma e segue

Depois da Playboy, e depois de começar a cobrar para dar entrevistas, agora a dita “professora” vai aparecer numa reportagem ousada na revista suplemento do Correio da Manhã. Temos progressão na carreira!