terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Zapping

Este blog vai fazer uma pausa.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

O ano que passou

Foi um grande ano. Em 2008 aconteceu de tudo, e quase, quase tudo bom.
Em Janeiro nasce o nosso Kiko, meses depois nasce o Salvador, o Miguel, a Leonor, a Maria e quase a fechar a temporada o meu primo. Casa um dos meus casais de namorados favoritos, e a festa é de arromba. A M. fica noiva e começa a excitação dos preparativos (o grande dia chega em Outubro).
Este é também o ano da independência, o primo C., a J.C e a A. têm finalmente a sua primeira casa.
Viajo pela primeira vez para Madrid, Barcelona, Paris (com a companhia imprescindível da M), e regresso a Amesterdão.
Começam em 2008 os baptizados, foram três, mas não necessariamente dos mesmos bebés “listados” anteriormente.
Regressam a Portugal a M. e há poucos dias (quatro, para ser mais precisa) a C., mas não necessariamente para Portugal Continental.
Entrou um novo cão na família, o Diego, que compete em hiperactividade com o Gaudí.
E quase a fechar a porta deste ano em GRANDE, nos primeiros dias de Dezembro comecei a trabalhar para uma nova revista + três extra.

Acho que não podia pedir mais para 2008. Pode trazer a conta, sff.

domingo, 28 de dezembro de 2008

"Austrália" ou "Aristocrata inglesa conhece vaqueiro australiano que podia fazer o anúncio da Coca-Cola Light"

É um filme que quer ser um épico, tem a duração de três horas (mas o tempo passa a correr), a Nicole Kidman está sempre fantástica, mesmo quando está toda desgrenhada, a criança do “Austrália” dá vontade de levar para casa, e o Hugh Jackman também…
Esta aventura passa-se pouco antes e durante o início da Segunda Guerra Mundial, e para além de retratar os bombardeamentos japoneses a Darwin, retrata também a relação dos australianos com os aborígenes e a infelizmente famosa "política de assimilação".
Gostei.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Almoço natalício a dois + cão

No dia 24 fomos almoçar os dois e o Gaudí, para uma esplanada na Marina de Cascais… já no fim da nossa refeição natalícia… um pai com uma criança loirinha e de óculos aproximou-se e pediu se a filha podia fazer uma festinha ao cão (pelo meio explicou que a Beatriz não se calou o almoço todo porque queria mesmo ir cumprimentar o cãozinho que estava lá fora) … Comecei a olhar melhor para o senhor e era um Tio da M. (eles estão em todo o lado), cumprimentei-o, falámos um bocadinho e apresentei o seu “rival livreiro”, o F. A Beatriz gostou tanto da experiência que não estava com muita vontade de regressar para o almoço de família.

O Almoço de Natal no dia 20

Almoço na casa da mãe C., grupo recebido com a prata da casa, F. não se calou que na casa da C. os presentes já estavam todos debaixo da árvore e em nossa casa não (ler esta frase 20 vezes), a C. queimou-se e originou quase sangue (a M. e o F. discutiram com muita energia o que era certo ou não pôr numa queimadura), o Estrelinho descobriu que nem tudo o que luz é ouro, quando decidiu agarrar o pavio de uma vela, soubemos neste longo almoço que o nosso sobrinho Estrelinho tem um radar incorporado “mãe não te ponhas a milhas” e que funcionava na perfeição, o amor também anda no ar para alguém do grupo, a M. foi apanhada com excesso de sangue no álcool (não me enganei) e tinha marcada uma conversinha com juiz na manhã de segunda-feira, a A. chegou mais tarde porque estava a trabalhar, a E. decidiu oferecer um livro sobre a maternidade a uma pessoa que não está grávida, o Kiko doentinho (canalizações) não esteve em grande forma, descobrimos que a M. não gosta de “circular” e sabe contar muito bem até 6… Um almoço/ lanche em grande, como sempre.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Hoje foi dia de conduzir...


Um Volkswagen Scirocco



e um BMW 123D

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Consoada-teste

Hoje testámos a receita que vamos cozinhar na noite de consoada, e ficou fantástica. O prato eleito foi: “Bacalhau com broa de milho e presunto”.
Depois de 29 Natais a comer bacalhau cozido com couve portuguesa, decidimos inovar graças à Bimby.
Para quem estiver interessado aqui vai a receita (com ou sem Bimby) para 4 pax:

Picar ao mesmo tempo a broa de milho, dois dentes de alho, 4 fatias de presunto fininho e com pouca gordura, e coentros frescos a gosto.
Cozer o bacalhau, as batatas e os grelos
Fazer um refogado (cebola e alho bem picados) e depois envolver o bacalhau

No tabuleiro:

1º Azeite
2º Uma camada da broa picada
3º Uma camada de batata cozida às rodelas
4º Bacalhau às lascas mais os grelos
5º Uma camada de broa picada
6º No fim regar com azeite
7º Basta 20 minutos no forno e está pronto!

Ingredientes:
3 postas de bacalhau gordas
500gr de broa
2 dentes de alho
4 fatias de presunto fininho
Grelos (não me lembro da quantidade)
Azeite e coentros a gosto
Receita sem sal nenhum

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

O mundo está a tratar-me

Desde a última sexta-feira que estou a fazer fisioterapia, e o tratamento divide-se em duas partes, e está a cargo de dois fisioterapeutas diferentes: uma é oriental, o outro africano. Ela é acelerada, sempre bem disposta, e troca os “Rs” pelos “Ls”, ele fala pelos cotovelos, trata toda a gente por tu (no bom sentido) e quando fala, pára de fazer a massagem. O que às vezes é complicado… ontem optei por sorrir (só de boca fechada) para ver se tinha mais terapia e menos conversa. Ele disse que eu estava muito “murcha”, eu dei a treta do costume “estou com sono”. Pouca conversa e mais acção, pensei. E funcionou.

3, 2, 1, Zero!!!!

Depois de ter mudado de uma revista para a outra de um dia para o outro, voltei à estaca zero: iniciar a relação com os novos colegas de trabalho e com o novo chefe, aprender a especialidade da revista, tema que ainda não me é familiar…

Os próximos meses vão ser assim: aprender, aprender, aprender, aprender, aprender, aprender, aprender, aprender, aprender, aprender, aprender, aprender, aprender, aprender… A ideia base é esta.

Adoro começar do zero, de aprender novos temas, especializar-me noutras matérias, conhecer novas pessoas, ter novos contactos. O nervoso miudinho de entrar num “terreno” que não é o meu é inexplicável, é muito bom, mesmo. Sinto que ganhei umas baterias novas, estou cheia de energia, cheia de pica, arrisco-me (apesar de ainda ser muito cedo) a dizer que estou feliz.
Já só tenho mais dois desejos para 2009.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Emoções fortes

O primeiro carro que conduzi, desde que estou no novo emprego, foi um Porsche 911 Targa. Sim, leram bem...
Estava a tremer, e pensei que fosse do frio, aumentei a temperatura do carro (será pecado chamar-lhe só carro?) mas afinal não, era da emoção e responsabilidade de estar ao volante de uma bomba daquelas. Que excitação.

Não andei a 300 à hora, como devem calcular, não tenho mãos para aquilo... mas foi uma emoção. Um automóvel que se conduz só com um dedo, com um poder de aceleração impressionante, confortável e com um barulho que dá muito estilo.

A cara dos homens (as mulheres nem reparavam) que me viam passar era digna de fotografia… Aquele carro é o centro das atenções.

domingo, 14 de dezembro de 2008

Pensamento do dia

"Enquanto fazes planos, a vida passa"

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Desejo sórdido

Nem imaginam a vontade que tenho de perguntar à miúda (leia-se filha do vizinho, e quem passeia o cão) se o seu animal de estimação está mesmo morto. Só por curiosidade.

Algumas simulações da pergunta:
“Então como é que o teu cão tem passado?”
“E novidades?”
A minha preferida: “O teu cão já morreu ou foi de férias?”

Nota: As perguntas são curtas, e não envoltas em conversa, porque é o tempo do elevador subir do piso 0 ao 7.

A lista que não deveria estar a fazer (versão curta)

* Já não vou acordar mais cedo porque o cão-vizinho decidiu ladrar
* Não vou precisar de todas as minhas forças para agarrar bem o Gaudí quando saímos ou vamos a entrar em casa (não imaginam o sapateado que um golden é capaz de fazer quando está irritado)
* Vou deixar de ouvir as desgarradas-dor-de-cabeça entre o meu cão e o do vizinho
* As minhas visitas não vão entrar assustadas cá em casa

Pai-nosso que…

Acho que o cão dos vizinhos do lado morreu. Será que é pecado estar contente por isso?
É que por mais que tente, só consigo pensar nos benefícios… nem me atrevo a fazer uma lista, porque tenho medo de encontrar mais vantagens…

domingo, 7 de dezembro de 2008

Ontem foi dia de me contradizer (e novidades…)

Depois de ter dito “não convém pôr a Bimby a funcionar fora de horas porque se não acordamos os vizinhos”, ontem às 23h30 lá estava eu a fazer um bolo de chocolate fora de horas. O primeiro bolo feito cá em casa, e o primeiro da máquina-maravilha.

De facto não sei se acordei os vizinhos… mas fiz o bolo de chocolate mais rápido da história! Pensei seriamente contactar o Guiness. E ficou uma maravilha. Passando aos números: bolo confeccionado em 5 minutos e 20 minutos no forno.

Não vale gozar com a forma (foi oferecida), e gosto muito dela. O meu bolo está um mimo.

Nota: O top-model pôs a folha de alface de lado e não resistiu a comer uma fatia.



quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Jantar do sapatinho

E amanhã começa mais uma temporada do “Jantar do sapatinho”. E o que é?
É um jantar que se realiza todas as sextas-feiras de Dezembro, até ao Natal, em família, e o objectivo é prolongar esta época tão especial, que só dura dois dias.
Trocam-se presentes (baratinhos/ simbólicos), come-se muitos chocolates e os jantares competem entre si, para ver quem é mais calórico.
Nunca mais é sexta-feira!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Alka-seltzer, Eno, Rennie…

E na sexta-feira de manhã a minha vida ficou virada de pernas para o ar, com a novidade: depois de amanhã vou trabalhar numa nova revista, com novos colegas e novos chefes. Ainda estou a digerir a notícia.