terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Natal, o rescaldo

Andei a celebrar o Natal desde o dia 1 de Dezembro, de sexta a domingo, com jantares do sapatinho, do amigo oculto (eu chamo-lhe invisível), lanches de primos etc... etc...
A grande diferença deste Natal é que a nossa casa foi literalmente inundada com brinquedos. Digam qualquer coisa. O Francisco recebeu de certeza. E até vou ter que ir trocar um brinquedo repetido... O quarto do Francisco é agora um verdadeiro parque infantil, não dá mesmo vontade de sair de lá.


Nesse mesmo dia...

... ouvimos uma boca de uma estranha. Já a ir embora do centro comercial, no elevador, uma senhora que ia lá dentro connosco virou-se para o Francisco e disse: „Um menino tão pequenino já deveria estar a dormir a esta hora“.
Eu e o F., maus pais por sinal, sorrimos.

Nota: Estou a pensar abrir um clube no Facebook que se chamará mais ou menos assim: „Pais que já não aguentam ouvir bitaites“ ou „O filho é meu e eu faço o que eu quiser“.

Semana antes do Natal

Andei eu a gabar-me de ter comprado os presentes todos em Novembro mas na realidade falatavm os mais importantes: o do F. e do f., e o meu. Na semana antes do Natal enfiámo-nos os 3 num centro comercial e lá decidimos que presentes queriamos receber. Ficou a faltar o do Francisco. Não sabiamos se haviamos de comprar presente... sabiamos que ia receber quilos de presentes e que não ia dar por falta do nosso. No dia 23 de Dezembro, fomos os 3 ao Colombo. Sim, eu disse Colombo. Filas para pagar em todo o lado. Comprámos o presente na Imaginarium. Giro que se farta. Foto em baixo.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Aldrabices

Estou sempre atenta a todo o tipo de promoções, descontos, vendas privadas, sms promocionais, vales via internet e tradicionais...Tudo. Mesmo tudo.
E se há coisa que me chateia são aquelas campanhas que são uma aldrabice pegada. Ora aqui vão dois exemplos fresquinhos:

• O El Corte Inglés no fim-de-semana que passou anunciou que na compra de qualquer brinquedo acima dos 10€ dava um vale com o mesmo valor. E agora apresento-vos as entrelinhas:
Por exemplo compravam um brinquedo no valor de 50€, o Corte Inglés entregava 10 vales no valor de 10€, que só poderiam ser usados individualmente, cada em compras superiores a 50€.
Com o prazo de uma semana.

• O Jumbo anunciou que a partir do domingo, o que passou, iria ter brinquedos com desconto imediato de 70%. Esqueceram-se de mencionar que eram brinquedos que não interessavam nem ao Pai Natal e, que para encontrá-los nas prateleiras era preciso uma lupa.

Não percebo porque é que as marcas fazem este tipo de campanhas mal explicadas, o cliente não fica satisfeito, perde tempo, não gasta dinheiro, e provavelmente da próxima vez não repete a proeza de se deslocar ao dito estabelecimento comercial. O objectivo é afugentar clientes ou ganhar clientes novos?

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

As coisas que se lê nas receitas de culinária...

"Ai, quem me dera ser frango! Poderia usufruir de um tratamento de mel e relaxar no forno, para em seguida deslumbrar todos como tenríssima tentação."

Nunca me tinha passado pela cabeça... quem sou eu para criticar as fantasias do senhor que escreve as receitas...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Natal

Para não variar, um Natal cheio. Primeiro jantar do sapatinho na sexta, ganhei um isqueiro para ligar o fogão (eu que fujo da cozinha a sete pés), no sábado, jantar no palácio da Joana, sim porque dizer casa é pouco. Jantares com este grupo de amigos por norma tocam os extremos vão das lágrimas à gargalhada. Domingo, lanche lá em casa só de primas. O F. roubou-me o pouco destaque que tinha na cozinha, e fez uns scones simplesmente fantásticos!!!

Já percebi porque é que deixei de ver telenovelas…

a vida real é muito melhor! A última história que ouvi deixou-me em estado de choque!

Ora imaginem uma ex-mulher a fazer de baby-sitter dos novos filhos do ex-marido! Eu não acho normal… e ninguém no seu perfeito juízo, em primeiro lugar faria esse pedido, e em segundo lugar, aceitaria. Os humanos estão me sempre a surprrender.
Se alguém encontrar o amor próprio desta senhora, pff avise!

Na ilha da Madeira, no sábado à noite que passou…

Uma amiga minha está num bar, e olha para um rapaz que também lá está e, a cara dele não lhe é estranha…

E como é toda despachada, levanta-se vai até à mesa dele e pergunta: “Desculpa lá, mas tu não és primo da Raquel?”

Olhem só o estatuto! Não é uma porcaria qualquer… E a latosa dela é simplesmente genial.

Confirmava-se era mesmo meu primo, ela apresentou-se como minha amiga, e ainda lhe perguntou se ele não se lembrava dela (das minhas festas de anos)! Não, não era engate, era simplesmente ingenuidade…

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O novo membro da família que rivaliza com o Francisco




Nota: E não sou materialista... imaginem se fosse.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Tanta animação logo de manhã

De manhã quando vou para o trabalho, já no fim do percurso, naquela parte em que vamos a pé… passo por putas, galinhas e galos, vendedores ambulantes de toalhas e bordados, turistas sempre de t-shirt (faça chuva ou faça sol) e alguns tios e tias (que não são meus)… Se decidir sair na paragem antes, para andar mais um bocadinho, ainda passo pela prisão (isto quase parece o monopólio) e vejo familiares e amigos (que também não são meus) na fila para a visita matinal.

Onde é que eu trabalho? No coração de Lisboa.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Casório em Dezembro 2

Relativamente aos excessos das duas senhoras que referi acima… Juro que não percebo. Certas mulheres têm tanta necessidade de se mostrar, de dar nas vistas que caiem no ridículo e passam, se calhar, a imagem errada.
Se me pedirem para descrever cada uma das senhoras não conseguiria. Só me lembro das pernas e dos melões. À grávida do decote alguém lhe deve ter dado o toque e, por magia apareceu com um top branco a tapar a abertura monumental que tinha no vestido. A outra senhora que só levou o cinto não se mexeu a noite toda porque à mínima inclinação via-se tudo. Qual é o interesse de ir a uma festa e não se poder mexer…
Não havia necessidade.

Casório em Dezembro

Neste fim-de-semana a família Tanaka foi até ao Porto para um casamento. E depois desta piquena (homenagem à Ferreira Leite) introdução, aquí vão notas soltas sobre o evento:

* Foi a primeira vez que fui a um casamento no Inverno. A sorte é que tinha um vestido óptimo para a ocasião, e a amiga Cata safou-me nas écharpes, casacos e acessórios que tais.

* Foi a primeira vez que fui a um segundo casamento (para o noivo).

* Pela primeira vez não havia ninguém vestido de branco exceptuando a noiva.

* Vi a mini-saia mais curta que possam imaginar e o decote mais voluptuoso que possam imaginar (esta segunda senhora estava grávida por tanto tentem visualizar o excesso).

* Estava um frio de rachar. Ia morrendo congelada.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Obsessão

Ainda não percebi esta obsessão que as pessoas têm com o facto do Francisco ainda não ter provado os 1001 sabores da roda dos alimentos. A sério, é assim tão urgente? Tão essencial? A criança é infeliz por causa disso?
E portanto quando menos se espera lá estou eu a ouvir a pergunta:
“Ainda não provou azeitonas? Coitadinho… Só um bocadinho. Um bocadinho não faz mal.
Ainda não provou Cozido à portuguesa? Coitadinho… Só um bocadinho. Um bocadinho não faz mal.
Ainda não provou Tripas à moda do Porto? Coitadinho… Só um bocadinho. Um bocadinho não faz mal.

IRRA!

E depois a mãe, má, malvada e galinácea, tem que explicar que ainda é muito novo, só tem um ano, etc… etc… esta conversa passa-se com adultos que têm idade para ser meus pais… Deus dê-me paciência! Muita. Alguma. Qualquer coisa.

A meio caminho

Durante dois dias tive um bocado de torrada atravessada na garganta.
E o que é que eu fiz? Liguei para a saúde 24 e liguei ao meu primo C. que riu à gargalhada. Nenhuma das hipóteses funcionou.

Depois de dois dias de finca pé a torrada lá desceu.

Pony, o fim

O nosso carro velho ficou revoltado por tanta ingratidão. E para se vingar foi a deitar fumo até à garagem onde íamos fazer a entrega. Já muito perto do seu destino, quando digo perto, digo literalmente a poucos metros, tivemos que parar para o pony arrefecer os ânimos. Conseguimos chegar ao destino. O F. avisou a senhora do stand do sucedido e disse-lhe para ter cuidado. A senhora não se mostrou preocupada.
No dia da senhora e um colega do stand levarem o carro para o abate, o pony fez birra a meio do caminho, em plena auto-estrada, e simplesmente deixou de funcionar.
Teve que ir de reboque até ao local do abate.
Foi à vida, mas deu luta!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Natal

Estão oficialmente fechadas as compras de Natal. Alguns presentes já estão com etiquetas e tudo! Um espectáculo!
Pode começar o Natal sff.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

E antes que a Sofia me apague...*

Ando com trabalho até às pontas dos cabelos (e por isso não tenho tempo para nada), cortei o cabelo e detestei (e novidades), coisas menos boas aconteceram na minha ausência de blog e lá por casa anda a minha família nuclear a refazer a sua vida, estamos quase em Dezembro e os presentes quase todos comprados, faltam 5! E em Novembro vão estar todos despachados.
Em breve posts mais divertidos...

*Amiga que disse que apagou uma lista de blogs que seguia mas que os respectivos donos não escreviam há muito tempo.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Na perfumaria

A senhora que me ajuda a comprar um presente pergunta:
„Podia-me ensinar como é que se fazem rapazes? (É que eu só sei fazer meninas)“
Eu estava acompanhada pelo Francisco e pela minha mãe.
A minha resposta pronta (ou não seria de esperar outra coisa): „Tente no Carnaval“.
A senhora disse que ia tentar. Daqui a uns meses passo pela Sephora a confirmar.

Nota: Esta mesma senhora inicialmente havia elogiado a minha filha tão bonita. Sim estou a escrever no feminino. Depois de ter clarificado a confusão. A senhora justificou-se pelo facto do Francisco estar de calções encarnados (!?). Os Benfiquistas que se cuidem...

Vivafit

Desde que estou no Vivafit, 1 de Setembro, tenho vindo a piorar. Vou duas vezes por semana, e pelas medições mensais que me fazem, estava melhor quando aterrava no sofá e não me mexia.
A minha vontade de ir ao ginásio é menos que nada, e obrigo-me a ir. Na primeira medição aumentei exponencialmente de peito (!?)* e na segunda já tenho mais um kilo e mais um centímetro na coxa. Um espectáculo.

* Enganaram-se a anotar as minhas medidas. E ficaram espantadas com o meu aumento de 6cm no peito! Perguntaram-me se estava grávida, a amamentar, na fase do mês... enfim só faltou a pergunta dos implantes. Uma estupidez pegada.

Abate

Acabou-se o rádio que se desliga quando passamos numa lomba, ou liga (às vezes também acontece), acabou-se o cheiro a caril (que nunca percebi porque é que aparece), acabou-se ter que agarrar na porta pesada do porta-bagagens (porque não se segura sózinha), acabou-se o barulho peculiar quando começa a funcionar (o F. poderia estar no trânsito a quilómetros de distância, e eu de olhos fechados conseguiria localizá-lo em três tempos), acabaram-se os cálculos dos quilómetros que já andámos (o ponteiro do depósito da gasolina morreu há muitos anos). Acabou-se!
Se tudo correr bem hoje o pony vai ser abatido.

Agora a outra versão.

Este carro velho como tudo nunca falhou no essencial. Nunca tivemos problemas com o motor, nunca. Nunca ficámos pendurados. Aliás, enquanto o Saxo, qual hipocondriaco, se divertia a passar os dias na oficina, o Pony cumpria a sua função. Foi sempre a segunda opção, desde que o Saxo apareceu, mas lutou sempre pelo primeiro lugar. O problema era e é tudo o resto... o conforto também conta. Se desse para andar na estrada só com o motor, eu escolhia o Pony, sem margem para dúvidas.
E nunca, nunca tivemos um acidente com este carro.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

As coisas que eles inventam

No meu bairro existe um Clube de Fitness mental que dá pelo nome de "Passeio da tarde". Quando tiver paciência vou informar-me... conheço umas quantas pessoas que não se importavam de ser sócias...

O nosso carro atrai...

... pessoas sérias mas que não sabem conduzir.
Bateram-nos no carro outra vez, no Saxo, mas desta vez ninguém ia a conduzir. Estava estacionado. A senhora deixou um bilhete a identificar-se. E lá vai o carro para a oficina outra vez. Eu já perdi a conta das vezes que nos bateram neste carro...

Música do Francisco e do F. no meu telemóvel xpto

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Nova era

Recebi de presente do F. um telemóvel, o Nokia 5800. Não estava à espera, e inicialmente não fiquei propriamente deslumbrada (isto porque o meu critério para comprar um telemóvel é porque o anterior avariou). Tentei disfarçar mas o F. topa-me a milhas… Depois comecei a mexer naquela gingajoga e fiquei viciada. Este telemóvel quebra com décadas de trambolhos, pesados, desactualizados e que só davam mesmo para telefonar (o que traduzido para miúdos significa que tive em toda a minha vida 3 telemóveis, o terceiro herdei do meu pai em segunda mão).
O novo telemóvel é táctil, dá para carregar quilos de música, fazer vídeos, tirar fotos com qualidade, é extremamente intuitivo, a música do despertador não é nada irritante (pelo contrário), tem um sistema que quando recebemos uma mensagem ou telefonema e não nos apercebemos, fica uma luzinha a piscar a avisar e é super fácil de "passear" pelos ficheiros. Enfim, um presente surpresa mais do que aprovado e cheio de qualidades.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Festas

No próprio do dia fomos almoçar às 3 da tarde à Capricciosa, um sol desgraçado que não dava para ficar junto da janela… Á noite jantar com a família mais próxima lá em casa, éramos 12, porque não cabia mais ninguém na mesa. Para além da roupa, que deu muito jeito, o Francisco recebeu ainda uma mota (a única que vai ter na vida) e um jambé que vinha recheado com uma matraca, e coisas no geral que fazem barullo.
Nessa mesma noite deu-me um “vaipe” e enviei uma mensagem nocturna/relâmpago a convidar os amigos mais próximos para um lanchinho lá em casa. Contas feitas: 11 adultos e 8 crianças. O caos estava instalado mas valeu muito a pena, apesar de não conseguir acabar nenhuma conversa com ninguém, pôr a Patricía a mudar a fralda ao meu filho, fazer scones como se não houvesse amanhã, e andar a esconder os brinquedos ao Afonso.

A música do Francisco



E porquê? Foi a primeira música escolhida para um vídeo que o F. fez sobre o Francisco desde que nasceu até aos dias de hoje. E o início dá-me sempre vontade de chorar, é um vídeo do nosso baby, na maternidade, ao colo do F.
Este best off que só tinha 55 minutos passou durante o jantar de anos do Franciscote, está lá toda a gente! Até o Papa (não estou a gozar).

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Fazer anos no mesmo dia que a minha mãe e o meu filho é…

  • Preocupar-me com presentes importantes
  • Ter sempre a companhia de umas quantas velas no “meu” bolo
  • Não ser dona e senhora do “meu” dia
  • Pegar no telefone para dar os parabéns a alguém (a minha mãe)
  • Receber parabéns a triplicar ou a quadriplicar

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Gajas boas

Não sou de apreciar mulheres mas há umas que até eu fico de boca aberta… vi (desculpem a expressão) uma gaja tão boa na rua, mas tão boa, que era impossível passar despercebida à pessoa mais distraída. Aquela rapariga por onde passava deslumbrava. T-shirt justa branca, uma grande mini-saia, botas cano alto, cheia de curvas (mesmo) e cabelo castanho comprido selvagem. Era uma bomba. Contei a cena ao F. a dizer-lhe que até eu tive vontade de lhe contar uma história… E ele refilou que se fosse ele a dizer aquilo já estava a levar na cabeça. Ah! Pois claro!

No dia seguinte foi a vez do F. deparar-se com uma cena semelhante… no meio do trânsito, estranho e estúpido, porque pelo que ele tinha conseguido perceber era só um carro avariado. O F. não estava a conseguir deslindar o mistério de três faixas de rodagem estarem a andar em câmara lenta. O tal carro avariado tinha uma dona que estava debruçada sobre o motor, vestia umas calças de ganga hiper mega justas, uma camisa branca que depois de tanta chuva em cima tinha ficado transparente e aquilo era cena para começar pelo menos um filmezinho erótico… O polícia que já lá estava ao lado devia estar cheio de vontade de levá-la ao castigo, perdão, de multá-la toda. Melhorou o meu reparo.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Desabafo...

Não tenho capacidade para gerir a desilusão.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Lisboa, versão cool

Típico português é conformarmo-nos com as coisas. Centenas de prédios devolutos, verdadeiras preciosidades relegadas ao abandono, e a nossa Câmara de Lisboa não faz nada. Ora andam aí uns artistas a embelezar estas casas esquecidas.



quinta-feira, 21 de outubro de 2010

2 Fins-de-semana zipados (adenda)

E ainda conheci o meu novo sobrinho, o Gonçalo, que gostou tanto de mim, que dormiu uma sesta ao meu colo. Um fofinho.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O novo Hospital de Cascais

Preenche na perfeição todos os requisitos para eu poder usar uma das expressões favoritas da minha mãe: “Miséria engravatada”.
Por fora parece um centro comercial, tudo muito bem arranjado e equipado, quartos com LCD etc.. etc.. um verdadeiro hospital particular mas… depois falha nos recursos humanos. Um verdadeiro hospital fantasma.

Entrei no piso da maternidade, passando apenas por um segurança, que estava quatro pisos abaixo, ou seja, perto da recepção, e só lhe faltava ter um cafézinho na mão.

Já no 4º piso, toquei à campainha para poder entrar na zona onde estão as mães e os recém-nascidos e abriram-me a porta sem perguntar quem estava do outro lado (a recepção do lado de fora já estava com as luzes apagadas e tudo arrumado, em pleno horário de visitas). Andei com toda a liberdade pelo corredor e espreitei para dentro dos quartos, ao fundo do corredor (?) havia uma recepção onde pedi informações. E finalmente vi a minha prima.

Outro dos indícios de que estava num hospital público é que… o comando da televisão já não existia, porque tinha sido roubado, faltava um cabo à televisão para ligar a um hipotético DVD, porque tinha sido roubado, e em muitos quartos já não havia a banheira para dar banho ao recém-nascido, porque tinha sido roubada… E outro tipo de roubos não acontecem porque não calha.

Alguém só vai ao Hospital de Cascais por puro desconhecimento.

A prima

A famosa prima que ia nascer no dia 29 de Outubro, fez a vontade à outra prima, eu, e nasceu noutro dia que não este. Nasceu no dia 17 de Outubro.
A mulher do meu primo, de quem sou muito amiga, enviou-me uma mensagem quando estava a caminho da maternidade (senti-me super honrada), e como estou sempre com o telemóvel sem som para não acordar o Francisco… só vi a mensagem duas horas depois. Que frustração! Levei um sermão do F. com razão.
Quando telefonei já tinha entrado na sala de parto. Andei o dia todo com o telemóvel no bolso sempre à espera de novidades. Correu tudo bem e a Margarida está fantástica.
No dia seguinte fui directa do trabalho (Lisboa) para Cascais (onde era o Hospital) para poder vê-la ao vivo e a cores. Éramos 3 no carro, eu, o F. e a Nikon. O outro elemento da família, o Francisco, ficou com os avós porque não dava tempo para andar a fazer recolhas pelo caminho. Foi muito bom conhecê-la.

2 Fins-de-semana zipados

Nos dois últimos fins-de-semana foi tempo de pôr a sobrinhada em dia: o Francisco apanhar do Zé Maria, eu apanhar o Vasquinho ao colo, conhecer o lado selvagem do Kiko, festejar os 3 anos do Vicente (as tias babadas ofereceram um órgão com microfone incorporado, banquinho e pedal, já para não falar de todos os sons que faz e da quantidade de luzes que pisca), festejar o 1º ano do Henrique, e ver que a Maria, o Afonso, o Vicentinho, o Salvador, o André e a Madalena estão cada vez mais crescidos. Bem que me podiam ensinar o truque…

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Francisco, o pacífico

Se o Francisco já falasse e desse uma entrevista a uma dessas revistas para os miúdos da idade dele, sei lá uma “Pais e Filhos” ou o género… ele descrever-se-ia assim:
“Sou uma pessoa calma, gosto de ver formigas a passar, olhar para o céu e coisas que tais. Sempre que entro num espaço novo ou do costume tiro-lhe as medidas todas, também gosto de tirar as medidas às pessoas no geral. Sou muito observador.
Estou bem ao colo de qualquer pessoa excepto de uma prima da mãe que sempre que me toca dá-me uma vontade de chorar louca.
Nada me chateia, tiram-me os brinquedos e eu escolho outro, mordem-me o lábio, puxam-me os cabelos, empurram-me e não dou resposta, choro, e a minha mãe vem-me salvar.
Qualquer coisa dá-me vontade de rir, e se repetirem muitas vezes ainda me rio mais.
Adoro andar ao colo, adoro adormecer ao colo. Adoro dormir. Adoro comer.
Ponho tudo à boca, já gatinho a uma velocidade considerável mas gosto de fazer várias pausas no caminho, e qualquer motivo é bom para eu me sentar.
O que mais me fazem é apertar as bochechas, seja família, amigos ou desconhecidos.

Ah! E tenho uns pais fantásticos!

RTP Memória

Nos últimos tempos, leia-se anos, o F. está sempre a fazer a piadinha que eu sou muito mais velha que ele, que vivemos em duas realidades paralelas. Quando a diferença de idades é de pouco mais que três meses. A questão aqui é que eu sou de 78, e ele de 79.
No sábado de manhã estávamos a arrumar umas coisas na sala, com a televisão ligada na RTP Memória, normalmente vemos este canal em versão zapping, e estava a dar um documentário sobre a Lisboa antiga, a expo antes de ser expo, o Terreiro do Paço a fazer de parque de estacionamento, o Casal Ventoso decrépito como sempre. Pérolas da cidade. Eis se não quando decidem mostrar as gentes de Lisboa… e filmam um grupo de estudantes a olhar para um Mimo em pleno Chiado… e depois um grande plano do F. mais uma amiga a olhar também para o tal artista de rua…
O F. ficou em estado de choque. Qual a probabilidade de nos vermos na televisão? E ainda para mais na RTP Memória? O F. está a ficar velho…

Nota: Nós filmámos a televisão nesta parte do documentário, terei muito gosto em mostrar esta pérola.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Li no blog da Sofia (clicar no título para ir ao post original)

Que ela estava preocupada com o facto de ser boa mãe ou não. E fez uma lista de coisas que não faz e que eu faço quase tudo… parecia que me estava a caracterizar:

 Quando deixei o Francisco pelas primeiras vezes em casa dos meus pais, depois de uma licença de 6 meses, fui com a lágrima no canto do olho a caminho do trabalho
 Estou sempre com medo que se magoe
 Ainda não fui capaz de deixar o Francisco dormir fora de casa
 Fico alarmada com eventuais sinais de doença
 Tenho a foto dele no meu telemóvel, muito brevemente na carteira e só não tenho no desktop porque seria uma tortura (longe da vista, longe do coração)

Não acho que este tipo de comportamento faça de mim boa ou má mãe, simplesmente me caracteriza. É só isso.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Pesadelo

Sonhei que o FMI tinha entrado em Portugal. Se a memória não me falha nunca tinha tido um “sonho económico” e a influência é mais do que do F. que papa todo o tipo de programas, debates, documentários e reportagens sobre o assunto, e eu acabo por ver também. Vamos lá ver com que é que vou sonhar hoje… provavelmente com a Bolsa!

Coca-cola

Para mim nunca fez muito sentido a variante de um produto em versão light... E na coca-cola é um exagero, há a light, a zero, sem cafeína, com sabor a cereja (nos EUA), com sabor a limão. E de repente aquela bebida sabe a tudo menos a coca-cola... mas pelos vistos sou a única a pensar assim porque o que não faltam é consumidores.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Informação fantástica para quem tem filhos, sobrinhos e afins...

Já não sabem que mais actividades inventar com os mais pequenos? O site estrelas e ouriços dá ideias para todas as idades e tipo de crianças das mais radicais às mais culturais. A página está muito bem construída e é bastante intuitiva.
Recomendo muito!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Vizinhos

Ontem a minha vizinha da frente contou-me que se separou do marido. E fiquei cheia de pena, mesmo. Um casal que eu e o F. sempre gostámos, que tinham imensa pinta, bom gosto, atenciosos e com um filho super querido.
Contei ao F. quando cheguei a casa.
E claro que a conversa resvalou logo para a parvalheira… o F. disse logo que o que era bom era que os nossos vizinhos do lado se separassem e levassem o barulho com eles. Claro que se isso algum dia acontecer, o pai leva os três filhos adolescentes (sim, eu disse TRÊS filhos ADOLESCENTES), a mãe vai gritar para outra freguesia, e claro o cão “mais querido do planeta” fica a morar na casa sozinho e a ladrar por tudo e por nada só para testar a nossa impaciência.
Confirma-se, não tivemos muita sorte com os vizinhos do lado…

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Hoje foi dia de…

Deixar os óculos em casa, o lenço no autocarro, descer o Parque Eduardo VII a correr para voltar ao autocarro a ver se encontrava o meu lenço… que por estas horas já tem nova dona, “recuperar” o telemóvel que tinha ficado no trabalho mas que fica sem bateria logo agora que preciso de fazer 1000 telefonemas para ver se decido o que faço nos anos do Francisco. E quando é que ganho juízo? Nunca.

Coisas...

Se vejo uma senhora mais velha ou alguém que considero que deixa muito a desejar no capítulo do bom gosto com uma peça de roupa igual à minha, deixo de a usar imediatamente, e questiono-me onde é que estaria com a cabeça para comprar aquilo. Não consigo evitar.


sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Parece que os autógrafos já não chegam…

Ontem o F. no elevador do nosso prédio com o Francisco ao colo e a companhia extra de mais um casal vizinho. A mulher mete conversa sobre as modernices de ver um pai com o filho ao colo* e por aí… e pelo meio diz “o seu bebé é tão fofinho posso lhe dar um beijinho?”. Dava tudo para ter visto a cara do F. Não consigo mesmo imaginar.
E sim, o Francisco levou uma beija da senhora do 8º andar.

*O F. aproveitou a deixa para dizer que ainda por cima tinha ido sozinho à mercearia. O mártir! Coisa que tinha feito pela primeira vez na sua vida naquele dia..

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Pregas

Adoro novidades mas não me consigo imaginar numas calças destas. Sinceramente, as pregas ficam bem a alguém? Nem nestas modelos.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

11 meses

Era só para dizer que hoje o Francisco faz 11 meses. E ainda não sei o que fazer no dia de anos dele.

Trocos

Na semana passada dois portugueses ganharam o primeiro prémio do euromilhões. Cada um levou para casa 14 milhões de euros. E claro que após esta notícia no telejornal seguiu-se a reportagem de rua a perguntar a uma data de gente o que fariam com a dita quantia…

A minha resposta favorita foi esta: “Já dava para chegar mais tarde ao trabalho”.

Eu tinha em mente coisas mais interessantes para fazer… mas se calhar não estou a pôr em perspectiva os 14 milhões…


terça-feira, 28 de setembro de 2010

Loja Fashion Bazar no centro comercial Saldanha Residence

Já tinha sido mal tratada nesta loja quando andava à procura de um vestido para o baptizado do meu filho. O empregado na altura perguntou se precisava de ajuda, e eu disse que precisava de um vestido. O homem olhou para mim e disse “para a sua altura não temos nada que lhe sirva, vai ficar tudo grande”. Fiquei boquiaberta, e a mana do F. que estava comigo, mais escandalizada ficou. Obviamente saímos da loja.

Eu que sou masoquista voltei a semana passada à Fashion Bazar. E desta vez foi uma empregada que me atendeu. Vi um vestido que gostei e perguntei se tinha noutras cores. Resposta da rapariga: “Só temos esse vestido que tem na mão, e é um 36, mas como é de uma marca brasileira, os tamanhos são mais pequenos que os nossos, por isso não lhe deve servir”.

Porra! Nunca vi tantos empregados com tão pouca vontade de vender e mal-educados! Nunca tinha sido mal tratada numa loja até entrar nesta. Duas vezes.

Desaconselho vivamente a entrada nesta loja.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Bom fim de semana

A semana começou muito, muito mal e acaba mesmo muito bem... nasceu ontem o Gonçalo, filho de uma amiga very dear to me, lá para as 23h30. Chegou tarde nas horas mas cedo nas semanas já que era suposto ter nascido em Outubro, mais ou menos no dia 15.
Estou em picos para o conhecer e guardar na minha máquina fotográfica!

Nota: Reparem bem que disse guardar e não partilhar...

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

...

Há semanas infelizes… uma antiga colega de trabalho perde o bebé, um fotógrafo com quem fiz vários trabalhos, entre eles o primeiro de todos, morre sozinho em casa, e outro antigo colega perde o filho com 6 anos… Há dias que não me apetece estar em lado nenhum. Hoje é um deles.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Estranhos 2 (o post que se segue é sem pontos finais que é para se tornar mais ofegante)

O único susto que apanhei com estranhos já tinha 16/17 anos…estava a correr no circuito do Estádio Nacional, que para quem não sabe, é no meio do bosque (à lá filme de terror) e quase a chegar ao fim da minha maratona matinal, sim estava sozinha, um homem que tinha idade para ser meu pai aproximou-se do nada, isto sempre em passo de corrida, e disse “tens uma grande pedalada, podíamos começar a correr juntos”… assustei-me, fiquei a morrer de medo, e nem disse nada, acelerei com todas as minhas forças e sai do circuito, bosque portanto, o mais depressa possível… não estava totalmente sozinha, o meu pai estava à minha espera no fim do circuito, mas de facto se tivesse que acontecer alguma coisa o meu pai “na outra ponta do mundo” não me ia servir de muito…
Uff!!!

Nota: Nunca mais corri sózinha e deixei de ir para o circuito.

Estranhos

Quando era pequenina os meus pais ensinaram-me que não deveria falar com estranhos, não deveria aceitar nada dos estranhos, não deveria confiar nos estranhos. A mensagem foi bastante clara mas nem sempre cumpri o que devia.
Quando comecei a ir sozinha do colégio para casa, ia de comboio que era directo, fui várias vezes abordada por estranhos, havia dias que os ignorava e outros que lhes dava conversa. Lembro-me de um homem que do nada me ofereceu um rebuçado, e eu respondi-lhe peremptoriamente: “A minha mãe diz que não devo aceitar nada de estranhos. Obrigada.” O homem ainda insistiu mas eu fui à minha vida. Mas nem sempre fui obediente.
Lembro-me que enquanto esperava na estação pelo meu comboio para ir para casa, fiz amizade com uma mulher de 30 e tal anos, com quem conversava imenso e que me oferecia gelados. Quase sempre apanhávamos o mesmo comboio. Lembro-me também de uns velhotes que do lado de fora do muro do colégio metiam conversa comigo e com os meus amigos. Esta última contei à minha mãe, por acaso, e as educadoras nunca mais permitiram que nos aproximássemos do dito muro. E este tipo de memórias assustam-me.

Estava eu a ter esta conversa toda com o F. e ele disse que não tinha qualquer historial com estranhos porque só começou a ir sozinho do colégio para casa a partir do 9º ano. E é o que vamos fazer com o Francisco.

Homem que é Homem 2

Tal como tudo na vida… se elas gostam e se os homens se sentem mais bonitos, sou a primeira a dar uma banda veet ao primeiro homem que me aparecer à frente.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Homem que é Homem…

Depois de ter visto o filme Robin Hood, a mais recente versão, de Ridley Scott com o Russel Crow, ocorreu-me que os homens, de hoje, não estão mesmo a perceber o que é que as mulheres gostam.

Homem que é homem não se depila*, era o que me faltava agora que o meu marido andasse a usar as minhas bandas de cera Veet (!!!), não usa gel e faz aqueles “penteados” assustadores do tipo ouriço caixeiro ou apanhei uma ventania desgraçada e fiquei assim, não tem mais roupa no armário que a mulher, não demora horas a arranjar-se, não pinta as unhas (tenham santa paciência!), não usa brincos (blargh!) e não anda com calças tão justas, tão justas que mal se consegue sentar. E não me venham com a conversa do metrosexual porque com estes apetrechos todos ocorrem inúmeros conceitos menos esse. Os homens estão a ficar cada vez mais femininos, e para mim, estão a perder a graça toda.
Lamento, eu sou da velha guarda.

*Abro uma excepção ao actor brasileiro, aquele que faz de galã (!?)o Tony Ramos. Aquilo não tem ponta por onde se pegue...

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Bainhas

Ainda sobre o macaco, ou jumpsuit (como dizem as fashion victims), comprei mais outro. Estou fã. A grande vantagem desta indumentária é que não é preciso fazer bainhas! Coisa que sempre “fiz” toda a vida. Todas as calças que eu tenho, todas, tiveram que ir á faca. Uma SECA!
Para além da espera, ainda tenho que escolher um par de sapatos/botas modelo que irá ser a medida para determinadas calças, por essa razão algumas só posso usar com salto e outras só posso usar com sapato raso.
Uma amiga minha que não tinha paciência para esperar pela costureira agrafava as bainhas… eu quando queria vestir muito alguma coisa nova prendia com alfinetes de dama. Qualquer das opções nada prática e eficaz. Ainda há uma versão “fita-cola” mas com a quantidade de tecido que tenho que cortar acho que este método não ia aguentar o peso.
Lembro-me que o caso mais flagrante neste capítulo foi ver uma ex- do F. com as mesmas calças que eu vestidas, a ela ficava género corsários, a mim a arrastar pelo chão, depois de ter cortado boa parte das calças...

"The Expendables"

Este filme é muito mau. Tão mau, tão mau que adormeci no fim.
Os actores são alguns dos mais conhecidos dos filmes de acção mas tudo o resto é péssimo. Não há qualquer história, anda tudo de um lado para o outro aos tiros e pronto. Nada faz sentido. O Bruce Willis e o Arnold Swarzeneger aparecem por breves minutos para dizer pouco mais que três frases. De fugir.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Borlas

As perfumarias Marionnaud estão a vender alguns perfumes com 50% de desconto, e outros tantos com 20%.

Nota: Se não fosse eu o que seria de vocês!

Lamechices

Desde a semana passada que o Francisco começou a dizer "mamã". O que me deixou toda derretida. A avó é que é a culpada desta "habilidade". Aposto que a próxima palavra que ele vai dizer é... "santinho"! E porquê? Porque acha imensa piada à palavra, farta-se de rir, não se percebe muito bem porquê, e por isso a família por tudo e por nada diz santinho sem ninguém ter que espirrar.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Sinistro é…

estar numa perfumaria a escolher um presente, leia-se a cheirar dezenas de fragrâncias, e reconhecer o perfume de um cliente com quem estive duas vezes na vida.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Viagem no tempo

Na sexta-feira encontrei uma amiguinha da adolescência. Daquelas com quem saía à noite, ia para esplanada, programas com o grupo de amigos. Não éramos íntimas mas dávamo-nos bastante bem. Não a via desde o 12º ano. O que fazendo contas assim por alto foi há mais de dez anos, mínimo… Em menos de cinco minutos pusemos mais de uma década em dia. Quando ela disse “estavas a pensar seguir jornalismo, não era?”. Ia morrendo, não pela pergunta em si, mas porque apercebi-me que quando começamos a reencontrar amigos da adolescência é porque não estamos a caminhar para novos…
Fiquei um bocadinho deprimida.
Quis mostrar-lhe a foto do meu filho, a única que anda comigo, no visor do telemóvel, mas com os ícones da agenda, sms, calendário e afins em cima da cara do Francisco, acho que não deu para ver grande coisa. Agora já percebo porque é que os pais andam com as fotos dos filhos na carteira.

Esta coleguinha de escola desde os 15/16 anos que tinha um namorado, um pouco mais velho, ele devia ter uns 24. Adoravam-se. Ou pelo menos ela adorava-o. Muitos anos depois, descobri sem querer (preferia não ter sabido) que o tal namorado dedicado tinha também uma namorada no Porto. Sim, ao mesmo tempo. Desta vez optei por não me meter, por duas razões porque já não tínhamos qualquer tipo de intimidade e depois porque já me tinha metido numa situação bem desagradável por querer avisar uma coleguinha de carteira (outra, portanto) de uma infidelidadezita. O namorado dela tinha curtido com uma amiga minha. Também descobri esta história, por estar no sítio errado à hora errada.
É um dom que eu tenho.
Neste último caso avisei a minha coleguinha, enchi-me de coragem, e contei-lhe. Reacção dela: “Ah, está bem”. E foi-se embora. Fiquei para morrer. O namorado é que não se controla e eu é que fico mal! Achei que devia agir como gostaria que agissem comigo. Achei mal, portanto.
A miúda estava roxa de saber das traições do namorado e perdoava sempre. Para mim, pelos vistos, é que era novidade…
Em ambos os casos já nenhuma delas está com o namorado-maravilha. Uma arranjou um decente e a outra está solteira.

domingo, 12 de setembro de 2010

Vai uma limonada?

São desenhos animados muito fofinhos, coloridos, com um coração na ponta do nariz. E em menos de nada estão todos a sangrar, sem cabeça, com o cérebro com vista para a rua e por fim, mortos. Tudo mortes uma pior que a outra. Nunca nada corre bem, nem que seja a fazer uma limonada. A sorte é que no episódio seguinte já estão todos vivos outra vez, prontos para mais um banho de sangue… Passa na Fox.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Para variar

Pescada cozida, bacalhau cozido, bolonhesa, bifes de peru, frango no forno e lulas (tudo com muita sopa e salada). Acabaram de ler o menu completo lá de casa nos últimos três anos (desde que vivemos juntos, portanto). Salvo raras excepções (se são excepções deverão ser raras…) quando fazemos algo diferente para os convidados ou a minha mãe manda refeições já feitas… nós assumidamente não temos paciência para cozinhar e pensar em refeições diferentes. É que quando encostamos a barriga ao fogão não nos ocorre nada de diferente para fazer. Nada.
Tenho bimby mas uso quase só para doces (crumble de maça, cheesecake de frutos silvestres, mousse de limão, delicia de chocolate, bolo de chocolate, gelado de morango etc... já fiz de tudo). Tenho preguiça de olhar para o livro de receitas. Eu sei que é um sacrilégio o que estou a dizer mas é a mais pura das verdades.
Até que comecei a explorar o blog da colher de pau e estamos a começar a comer umas coisas diferentes: ontem foi dia de ovos mexidos com tomate e queijo feta, a acompanhar com bife grelhado e salada de pepino. Uma delicia. Fiquei com uma barriga do tamanho do mundo e fui a rebolar para a cama.
Recomendo.

Bitaite #1 (castigo)

Depois do último post que escrevi, a pessoa visada (que não sabe sequer que este blog existe) convidou a família F. para ir passar o fim-de-semana ao Algarve.
Nada a acrescentar.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Bitaite #1

O prémio para o comentário/pergunta mais simpático que já recebi até hoje, desde que sou mãe, vai para:
“É impressão minha ou o Francisco anda com o mesmo par de meias há uma semana?”

Elogios

Nunca soube reagir aos elogios. Se alguém diz “adoro o teu vestido ou que brincos tão giros” a minha resposta típica é “comprei na loja XYZ ou ah! já usei isto muitas vezes…”. Com o Francisco não dá para dizer “trouxe do Hospital de Santa Maria”. Bem, não é mentira nenhuma mas acho que a resposta não seria a mais adequada… Claro que não me custa nada dizer obrigada mas fico sempre sem graça.

O prémio para o melhor elogio vai para a Filipa. Quando ela diz “não é péssimo” não nos está a insultar mas a dar um grande elogio. Este comentário só me dá vontade de rir…

Mães

Se eu dissesse à minha mãe: “Mãe tenho um extra-terrestre cá em casa”. A minha mãe reagiria assim: “Então e tens jantar suficiente para o senhor? O que é que vais fazer?”

Se o F. dissesse à mãe dele: “Mãe tenho um extra-terrestre cá em casa” A mãe dele diria: “Está bem, beijinhos até amanhã”.

Esta conversa toda porque o F. ligou para a mãe a perguntar se o bouquet que apanhámos no casamento da Joana estava no porta-bagagens do carro, dizendo que era dele, e a mãe limitou-se a procurar e a ligar de volta a dizer que não tinha encontrado nada. Zero de curiosidade para saber a que propósito é que o bouquet tinha ido parar às mãos do filho.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Casa de férias

O F. há alguns meses está responsável por arrendar a casa de férias da família. Até aqui tudo bem. E então pôs a casa em vários sites estrangeiros, portugueses, divulgou no Facebook, por email para os amigos etc, etc.
Ora na semana que passou um croata (nunca acerto na nacionalidade, mas o F. que me corrija) mandou um email para o F. a dizer que estava interessado na casa. O F. responde-lhe de volta a dizer que precisa que preencha uma ficha com dados pessoais (que enviou em anexo) para que seja feita uma pré-reserva. A resposta do senhor não tardou: “sou loiro, tenho olhos azuis, 1.85m, romântico, afável….” E uma lista infindável de qualidades.
Estávamos à espera de todo o tipo de respostas menos desta! Acho que o F. não está com muita vontade de arrendar a casa de férias a este “potencial cliente”…

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Vivafit ou toma lá uma aula puxada para te calares

Ontem foi dia de experimentar uma aula de Body Vive. Que é o mesmo que dizer fazer flexões, agachamentos, abdominais e outras coisas que tais acabadas em Ai!
A professora não foi para lá picar o ponto… saí da aula completamente suada, em alguns momentos dos exercícios desequilibrei-me e vi-me grega em algumas séries… No fim da aula perguntei à instrutora qual tinha sido o grau de dificuldade da aula, arrisquei um “médio?” e ela respondeu “não, um fácil…”.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Casamento JB

Foi de facto um casamento muito diferente. Os noivos já viviam juntos há muitos anos e já têm dois filhos. E se calhar esta versão invertida é a mais acertada, já se conhecem muito bem e têm a certeza ao que vão. E é de facto muito giro os filhos irem ao casamento dos pais.

A noiva estava mesmo muito bonita, estava um calor de derreter as pedras da calçada, nunca vi tantas crianças por m2 (segundo a Maria, 30 no total) estão a imaginar o caos, um fotógrafo e a menina do chapéu de chuva muito simpáticos, o Henrique a fazer piscinas no jardim da Quinta e o Francisco a apreciar uma formiga a andar, nós os amigos a fazer de adultos (sim, já não estávamos na mesa das crianças), o Salvador a mexer em propriedade alheia e a deitar-se no chão para dormir (bastante prático) e a mãe dele a rir à gargalhada e a não mexer sequer um dedo mindinho, música dos 80’s na pista, mãe do noivo e mãe da chefa da noiva no picanço a dançar o twist (estava a ver quando uma das mães deslocava a anca), o F. foi quem apanhou o bouquet (não, ele não estava no grupo das solteiras mas no extremo oposto para tirar foto ao momento) achei que se devia repetir, e ainda estava eu a organizar as solteiras já a noiva tinha atirado o bouquet que foi parar em cima da minha cabeça (era bastante pesado diga-se) e foi gargalhada geral. Eu, a Fil. e o Tê (voluntários à força) a dançar “I love Rock’n’Roll” aos saltos, eu e o F. iniciámos oficialmente neste casamento um “Álbum do pé descalço”. Neste evento apanhámos a mãe do Vicente e a mãe do Salvador, e já tínhamos em arquivo a madrinha do Francisco com o pé a arejar no baptizado do afilhado.
Foi muito giro e fiquei com pena de ter que sair mais cedo…
Este casamento fecha assim um ciclo nos amigos do colégio, foi o segundo e último.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Música para ouvir na véspera deste sábado

E por falar em memória curta...

Estava eu e o F. a falar dos presentes de anos que tínhamos que comprar ainda este ano, e no meio da conversa ele pergunta: “Quando é que a tua mãe faz anos mesmo?”. Ainda perguntei se estava a gozar mas não estava. Esqueceu-se mesmo. Como é que é possível?!

A minha resposta: “Faz anos no dia do teu filho e no meu”.

Cabelo

Ando com muita vontade de cortar o cabelo. Muita mesmo.
Tenho a memória mesmo curta.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Na farmácia

Ontem, enquanto esperava na farmácia pela minha vez de ser atendida, uma criança aproximou-se de mim e do Francisco. Estava abismada com as bochechas do meu bebé. E perguntou-me se eram verdadeiras… ainda estava eu a responder que sim e o rapazinho de quatro anos já estava a beliscar cada bochecha para confirmar se era mesmo verdade. Tive que me controlar para não me rir de acto tão espontâneo.
E não satisfeito com a prova ainda perguntou se já tinha nascido com aquelas bochechas…

Não percebo o sucesso desta pulseira do "equilíbrio"...

Sinceramente… alguém acha que isto funciona mesmo?
Faz-me lembrar aquela pulseira metálica que também fazia muito bem ao reumático… Lembram-se?



quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Vivafit ou eu gostaria de ficar em forma só a mexer o dedo mindinho

Apesar dos avisos de quem já lá andou acabei por me inscrever neste ginásio. Apenas e só porque é perto de casa e porque o preço não é mau de todo.
Ainda é muito cedo para falar mas posso já adiantar que de facto este é um tipo de ginásio para as preguiçosas, para quem não gosta de ginasticar, para quem quer milagres…
Na aula de pilates, a professora diz para fazer três séries de determinado exercício, o que com o tempo que tínhamos dava para fazer aquela série e mais duas. À vontade. Eu continuei até a professora mandar parar a aula, a preguiçosa que estava ao meu lado perguntou logo “então não eram só três séries?”. Eu poderia fazer um comentário vil e venenoso sobre o pacote da senhora mas vou remeter-me ao silêncio…

Crocodilo com sotaque português

“Um dos logótipos mais emblemáticos (…), o crocodilo da Lacoste, está agora à responsabilidade de Felipe Oliveira Baptista, o designer português acaba de ser apontado como novo director criativo da marca (…).
Filipe (…) assinará a sua primeira colecção Lacoste no Verão de 2012. A marca pretende avançar com uma nova estratégia de posicionamento no mercado com o objectivo de fazer subir as vendas na internet e em mercados emergentes, ao mesmo tempo que espera recuperar quota no mercado norte-americano.”

in MP

Humor MUITO muito negro...


terça-feira, 31 de agosto de 2010

Small talk

Primeiro foi com o cão. As pessoas metiam conversa para saber o nome, a raça, a idade, para fazer uma festinha, para o filho fazer uma festinha, para dizer que também tinham um igual em casa, para debater os custos de “manutenção” etc… etc… E o F. sempre detestou ter que fazer conversa. Era eu que dava “trela”.
Agora com o Francisco parece que temos íman. A criança só falta dar autógrafos. E as perguntas também não mudam muito. E o F. continua com a mesma paciência de sempre. Nenhuma. E tudo o que diz sai a ferros.

Esta introdução para o post que segue.

Rodrigo, o insistente

Na praia, este fim-de-semana, uma criança que estava ao nosso lado fixou-se no Francisco. Falou com ele, perguntou-lhe o nome, fez-lhe bolos na areia, tentou convencê-lo a ir para a beira-mar. Isto tudo em versão monólogo, porque o Francisco só se ria, e mantinha-se sentado a curtir a sua piscina portátil.
E a criança que devia ter uns 4, 5 anos, era insistente. Muito mesmo. Tive que fazer de intérprete, traduzindo, ser desmancha-prazeres e dizer que os parcos 10 meses do Francisco não lhe permitiam andar nessas vidas. No meio de tanta conversa, o F. viu-se obrigado a perguntar o nome, que já sabia, mas só para dizer que tinha perguntado qualquer coisa...
O Rodrigo não desanimou, e colou-se literalmente a um grupo de crescidos desconhecidos, deviam ter uns 40 anos, que estavam a jogar à bola. E que se viram obrigados a levar com um novo membro da equipa. O miúdo tinha muita lata.
E os pais? Os pais estavam a curtir o tempo livre graças às baby-sitters improvisadas.

Nota: Neste dia perguntaram mais uma vez se o Francisco era menino ou menina... Está decidido vou comprar-lhe um bikini! Ao menos que tenha a fama e o proveito.

Telefone útil

E ainda no seguimento do email anterior.
O número que a Ana descobriu, e que me deu um jeitão em pleno trânsito.
O número azul do trânsito da Rádio Capital, 808 201 914, que dá toda a informação para escaparem aos engarrafamentos. Pagam 0,08€ e um senhor muito simpático ajuda no que for preciso. Já está memorizado no meu telemóvel.

Anjo da Guarda

De vez em quando dou por mim perdida por Portugal… Não temos GPS, sinceramente acho mais piada perguntar na rua, e por vezes vamos para locais desconhecidos e esquecemo-nos de levar a morada. Enfim. Ou então estamos no meio de um trânsito absurdo, e como também não temos rádio no carro (ou melhor, temos rádio, mas não sabemos o código de segurança para ligá-lo, a única que pessoa que sabia era o avô do F.) não temos como saber o que se passa. E nestas situações ligo para a Ana, o meu anjo da guarda, que me safa sempre!
Tenho a capacidade de estar sempre no pior sítio onde poderia estar e ela está sempre no sítio certo à hora certa para me ajudar. Até rimou!
Obrigada!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Música para ouvir à quinta

Onde é que eu já vi esta praia?

Macaco

São muito giros e tudo o que já se sabe… mas nada, nada práticos para ir à casa de banho. E no dia que decido vestir os que tenho lá por casa… parece que fico mais aflita.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Esta é nova…

“Acho o Francisco super parecido com a madrinha” (irmã do F.)
Onde? Pergunto eu. Só se for no apelido.

Eu acho que o truque é eu dizer que sou vizinha ou prima em 5º grau do Francisco.

Ginásio

Depois de muito procurar… em principio vou inscrever-me no ginásio perto de casa, o único, o Vivafit.
Ginásio que não preenche as minhas exigências mas se não for este… não é nenhum.
Quarta é dia da aula experimental e aproveitando a inscrição de 10€ em Agosto mergulho de cabeça num tipo de ginásio que sempre critiquei. Uma coleguinha do trabalho convenceu-me. Durante um ano fico por lá… depois logo se vê.

Este tipo de ginásio tem uma política muito agressiva:

 Entra-se para perguntar algumas informações e começam logo a preencher um formulário.
 Pagamentos por cheque, multibanco ou dinheiro só se pagar o ano inteiro de uma vez só. Obrigando ao débito directo, que detesto! A única forma de poder pagar mês a mês.
 Para aproveitar esta promoção, inscrição só 10€, tenho que decidir no dia da aula experimental, se não já não é válida.
 Temos que ficar obrigatoriamente um ano.

Apesar de tudo estou muito contente por voltar ao ginásio!

Neura

Ainda estou a recuperar dos meus singelos 9 dias de férias.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Saldos

E para fechar a época de borlas conto-vos o que me aconteceu no primeiro dia de saldos. Estava eu no provador da Mango do Oeiras Parque (quem conhece sabe que o último tem o dobro do tamanho dos outros cubículos) e de repente só vejo uma cliente a abrir o cortinado e a perguntar se podia entrar. E eu com a roupa atravessada, digamos assim, a olhar para a mulher e a dizer-lhe “está ocupado”. Parecia-me óbvio! Ela ficou parada a olhar para mim, houve ali um compasso de espera de uns bons segundos… Não sei se a rapariga ficou a pensar que como havia tanto espaço podíamos ficar ali as duas no veste-despe.
A contra-gosto saiu.
Só atraio gente lerda. Ou então sou mesmo muito antiquada… deve ser o último grito no estrangeiro partilhar provadores…

Chiclet deita fora... chiclet...

Experimentei as novas pastilhas Chiclets Day, e de facto o sabor a morango ácido é muito bom, o problema é que o sabor desaparece num ápice. Sugiro que mudem o nome das pastilhas para Chiclets Seconds.
Correu tão bem a experiência que já não quero gastar dinheiro nas Chiclets Night.

Lanidor 2

O departamento da Lanidor já deu o seu parecer, ligaram-me ontem para o telemóvel. Vão devolver-me o dinheiro.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Antes que me esqueça...

Sexta-feira a partir das 18h00, este blogue faz uma pausa de uma semana. Nem acredito que vou ter férias!

O circo saiu à praia

Quando vamos à praia de manhã, em Tróia, o Francisco volta sempre para casa ao colo porque vai a dormir. Não falha. Ora neste sábado vinha eu a sair da praia “pé ante pé” para não o acordar… e entra uma trupe de palhaços pela praia adentro, mesmo.
Estava à espera de tudo menos disto… (expressão que diz muita coisa e coisa nenhuma).
A palhaça da frente vinha de megafone a anunciar a chegada de tanta animação, outros tantos atrás a fazer palhaçadas mas com o ar mais profissional deste mundo, e para terminar em grande… o último palhaço trazia uma coluna de som, transportada numas rodinhas.
Acho que não é preciso dizer que a criança acordou…

Extreme

Agora que sou Extreme, nos últimos dois meses, começo a descobrir que algumas das pessoas importantes para o F. também o são. Por exemplo o afilhado e um dos grandes amigos. Adivinhem quem também poupa lá em casa?
Eu, qual Mormon, espalho a palavra e demonstro as vantagens de ter este plano tarifário da Vodafone. Eu falo cada vez mais ao telemóvel, e ao fim do mês ainda tenho dinheiro no telemóvel, o que é inédito! Andava sempre sem saldo, falava na versão rápida para gastar o menos possível, e carregava o mesmo dinheiro que carrego hoje.
Boa mudança!



Nota: Estão a imaginar-me neste look? Claro que sim, tudo para vos converter ao Extreme.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

A minha mais recente aquisição

É a piscina do Francisco, Verão 2010, que o pai descobriu no El Corte Inglés. Um verdadeiro achado. Na realidade já tinha tido uma piscina este ano, a típica insuflável, mas no segundo dia ganhou um furo graças às muitas conchas partidas que fazem parte da composição da areia da praia de Tróia.
Estou super fã da nova piscina do Francisco que é super prática, leve, tem tanto espaço como as outras do costume, não fura, não é preciso insuflar e é super fashion!

Ah! Também há em rosa. Esperem... e o preço? Bom... o original é 41,30€ mas com os saldos ficou 36€, mas com uma "ajuda" preciosa da sogra... ficou a preço de amigo.


quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Há espaço para mais um?

Na terça-feira, 3 de Agosto, foi dia do Vasquinho nascer (segundo filho, da mãe do kiko). Já não me lembrava que os bebés eram tão pequeninos… Todo enrroladinho, cheio de soluços, e super calmo, apesar das visitas barulhentas. Chegámos a ser 9 dentro do quarto! Mãe sofre.
Começo a sentir-me em casa na CUF…

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Sim, eu sei que ainda faltam 5 meses

Era só para dizer que na sexta-feira passada, dia 30 de Julho, comprei os primeiros presentes de Natal, e foram logo quatro de uma vez! Gostei tanto de um que ainda andei a reconsiderar se não ficava para mim…

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Francisco-aranha

A minha sogra ofereceu uma aranha ao Francisco. Eu que sou totalmente contra as aranhas, não só pelo perigo associado mas também como diz um amigo do F. que é pediatra, porque “torna as crianças preguiçosas”.
Fiz o meu melhor sorriso, agradeci, e enfiei lá o meu filho a muito custo. E agora vou ensinar o Francisco a andar em contra-relógio para evitar que se meta naquela gingajoga. Temos até Outubro para pô-lo a andar! Altura que deixamos de ir passar os fins-de-semana em Tróia, e vemos a sogra uma vez por semana.

Nos últimos dias

Nos últimos dias: a minha prima que acha que vai nascer a 29 de Outubro foi jantar lá a casa mais a mãe, a minha sogra ofereceu uma aranha ao Francisco, afinal (e se não houver nenhum imprevisto) vou ter 6 dias de férias (a contar com o fim-de-semana), jantámos com os pais do Kiko para nos despedirmos da barriga “Vasquinho” e tivemos a primeira festa da temporada para celebrar um ano. O sobrinho contemplado: Zé Maria.
O Francisco já tem o seu primeiro dente, e também já teve a sua primeira queda livre, eu a assistir, e a não consegui evitar…
E não chegámos atrasados a lado nenhum.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

A música para o fim-de-semana

Empregos, chefes e afins…

Já tive muitos empregos, e de cabeça não os consigo dizer todos.
Pausa. Vou contar.
Que me lembre estive em cinco empresas diferentes, nos últimos oito anos, e dentro de algumas delas tive cargos diferentes, e em áreas diferentes. Já sem contar os trabalhos em horário pós-laboral.
O meu percurso enriquecedor e atribulado fez-me conhecer centenas de pessoas interessantes, famosas e desconhecidas, viajar para locais que nunca iria por minha conta, conduzir automóveis espectaculares, não, ESPECTACULARES, ter chefes fantásticos (dos homens nada a apontar, algumas chefes mulheres que tive eram de fugir…). A minha vida profissional tem sido inesperada, atribulada mas muito divertida. E se voltasse atrás fazia quase, quase tudo igual.

Não me consigo imaginar a ter o mesmo emprego desde que sai da faculdade. A mesma função, o mesmo chefe, a mesma secretária, os mesmos colegas… Neste departamento da minha vida sou muito instável, farto-me a uma velocidade estonteante, e preciso de estar sempre a aprender coisas novas, de ter novos desafios.

C.C. Vasco da Gama

Nunca vi parque de estacionamento mais irritante que o do Centro Comercial Vasco da Gama. Não há maneira de não sair de lá furiosa.
Sempre que eu e o F. queremos sair do parque não conseguimos porque não encontramos a saída. Seguimos as placas que dizem “saída”, depois mais outra, e outra, e outra, e quando damos por nós voltámos à “casa de partida”. Andamos ali às voltas e voltas até enjoar… e depois sem querer, acho que é quando decidimos não seguir as indicações, encontramos a luz ao fundo do túnel.
Acho que da próxima vez vou usar o truque das migalhas para decorar o caminho…

Nota: A moda que agora todos os parques de estacionamento dos centros comerciais têm de dividir os espaços por cores, números e letras, imagens etc… etc… é uma confusão… E às tantas já não sei se estacionei na zona laranja J15 polvo ou na zona encarnada M16 peixe.
E simplificar? Não?

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Lanidor

Comprei um bikini nesta loja. Usei-o pouco mais que três vezes, e começou a alargar, ao ponto de ter que puxar mais as alças, e de sair da água com “cuecas de velha” com metade da água do mar dentro das mesmas. Lindo…
Regressei à Lanidor do El Corte Inglès, onde tinha comprado, faço a minha queixa perante a responsável da marca. Reacção da senhora: “É a primeira vez que estamos a receber uma reclamação relativamente a este artigo”. Nem abri a boca, nem havia mais nada a acrescentar. Se a dita empregada me quer chamar mentirosa que deixe as entrelinhas… Ficaram com o biquíni que vai ser enviado para o departamento da marca para ser analisado. Não sei qual vai ser o veredicto, mas eu é que não vou ficar a perder.
Cenas dos próximos capítulos para breve.

terça-feira, 27 de julho de 2010

40

Sábado foi dia de ir à festa de anos do primo S. Que faz 40 mas parece ter 30.
A questão é que ele só faz anos no dia 24 de Dezembro… mas decidiu fazer uma mega festa num restaurante/bar em cima da praia em conjunto com mais 7 amigos que também fazem ou já fizeram 40 anos em 2010.
Achei a ideia genial! Fazer uma festa de anos, antes de tempo! E em Dezembro há outra!
Eram mais de 350 pessoas, uma noite fantástica, não esquecer que estávamos no Porto e que é muito raro, um óptimo ambiente e (já me esquecia) bar aberto!
Foi mesmo muito giro, eu andei a saborear champanhe várias vezes, o F. e a mana meteram-se nas caipirinhas, dancei até não aguentar os meus sapatinhos com 12 centímetros, e a meio do caminho para casa (estávamos mesmo muito perto) fui literalmente a pé para casa. Regressámos eram quase 5 da manhã pois às 8 teríamos um bebé a acordar…

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Daniela Ruah a dominar a entrevista, o entrevistador...

Katyzinha que faz muito sucesso no youtube



Que personagem!

Make a whish

E assim de repente já posso riscar o meu whish da list.
Na sexta-feira à noite foi dia de ir até ao Porto passar o fim-de-semana na companhia extra da mana. E pelo caminho fizemos um desvio para Coimbra. Estranhei, e como estava meia ensonada, perguntei ao F. se não se tinha enganado. Resposta pronta: “costumamos ir por aqui, mas normalmente nesta parte já estás a dormir”. Como à noite todos os gatos são pardos, não liguei.
Depois vejo-o a virar para um centro comercial, e perguntei o que estávamos ali a fazer, disse que tinha que ir comprar uma capa para a piscina da casa de férias da tia, e que tinha que ser ele porque a tia baralha-se nos caminhos. Resignada aceitei.
Fez a compra, deu o saco à mana, que ia no banco de trás, e seguimos caminho. Pouco depois do inicio da viagem, reparo que no pulso do F. está o relógio que eu queria! Não estava mesmo nada à espera.
Adorei a surpresa! Foi mesmo muito fofinho.

Nota: Fomos a Coimbra buscar o relógio porque na cor que eu queria só havia naquela loja.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Whish list à moda da Sofia

Apaixonei-me perdidamente por este relógio... e ando a ver se a febre me passa.

Férias

Não, este não é um post em que digo que vou de férias e só volto na próxima quinzena. É um post onde chego à brilhante conclusão que preciso de férias. De facto este ano tem sido um ano de emoções fortes em todos os sentidos. Estou cansada. Estou de rastos.
E se não paro a bem paro a mal. Esqueço-me de tudo, perco tudo, chego atrasada a todo o lado. Eu não sou assim. Perdi a mala do Francisco, a carta de condução do F. e ontem o telemóvel (que acabei por encontrar embrulhado nos lençóis da cama já passava da meia-noite e acabei por deixar uma amiga pendurada no aniversário do filho). São umas atrás das outras. Estou cansada. E há dias que acordo a pensar que nunca mais chega a hora de me ir deitar.

Labirinto

Fez ontem uma semana que acordei cheia de tonturas. E durante o dia todo e até à noite a coisa não melhorou. Descer e subir escadas só apoiada, ler só de cabeça levantada, andar na rua com muita calma, movimentos bruscos nem pensar. Estava também com náuseas. Fomos às urgências para saber o que se passava. Estive a soro e deram-me uns comprimidos. Passado uma hora, nada tinha mudado. As tonturas continuaram e continuam. A médica depois da primeira hipótese brilhante. Se calhar está grávida. Tentou na segunda volta uma aproximação mais directa: primeiro vai ao otorrino e, depois, se calhar a um neurologista. Poder de síntese e muito tacto.
Hoje fui ao otorrino mais conceituado de Lisboa e arredores. Respondi a mil perguntas, fiz alguns exames “rudimentares” de olhos fechados, levei com muita teoria. E o veredicto: tenho vertigem posicional paroxistica benigna ou H…. vestibular (não percebo a letra do médico).
Em suma 80% dos casos não se sabe como aparece, e supostamente irá desaparecer dentro de três semanas. No meu caso apareceu provavelmente pelo stress. Enfim tenho uma assimetria no sistema labiríntico periférico, ou traduzido para miúdos: o meu GPS anda a mandar informações certas e erradas ao mesmo tempo para o cérebro ou um lado manda as informações à velocidade do costume e o outro lado tirou férias.
Toda a gente tira férias menos eu! Até o meu labirinto!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Ainda o polvo

O Paul polvo, enquanto for famoso, não terá que pensar sequer em comer um “dedo”. Isto de andar a brincar às bandeirinhas trás mesmo notoriedade. Até parece que um aquário em Espanha o queria comprar (não sei como é que isto ficou), o que sei é que durante a febre do Mundial as pessoas faziam fila (!?) para o ver…

Se eu fosse polvo, e com a preguiça que tenho para cozinhar e comer (os dois com o mesmo grau de intensidade) já andava a pintar quadros com os pés há muito tempo.

E por falar em pés e braços, o meu filho, não bate palmas (como os bebés normais) nem sabe o que isso é mas… meus amigos… bate os pés na perfeição, como se fossem mãos! E tenho as minhas dúvidas que alguém lhe tenha ensinado tal proeza. É um artista.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Limpezas

Que o Pony anda num estado lastimável não é novidade… ainda por cima quando a pessoa que anda com ele é o F. Uma pequena lista: terra, pó, pêlos de cão, cocó de pombo, migalhas de bolachas, folhas das árvores que ficaram coladas ao carro, jornais velhos etc, etc. Está um nojo.
O Citröen saxo, que costuma andar civilizado, nos últimos tempos anda com os vidros todos sujos, e porquê? Porque me roubaram, sim eu disse roubaram, o depósito da água para limpar os vidros.
Que este carro era o mais fácil de assaltar do mercado, já sabia, agora que era moda roubar o dito depósito…foi uma verdadeira novidade. O nosso mecânico diz que é muito comum (!?).

terça-feira, 20 de julho de 2010

Continuando a parvalheira...


Li numa revista (adoro esta deixa)que se um polvo estiver esfomeado, pode comer um dos braços.
Que prático! E que desenrascado! Estou fã do polvo.

Nota: Ao procurar na net uma imagem de um polvo, dou de caras com um homem todo nu com um polvo fresco em cima (!?). Optei por uma versão mais soft para o meu post.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Et voilá... outro vídeo muito famoso no youtube

A declaração de amor portuguesa que põe o beijo de Casillas no chinelo



Nota: Esta criança vai arrepender-se tanto deste vídeo, mas tanto...

Entrevista

Não sei se já tinha dito neste Blog, mas tenho uma tendência para entrevistar todas as pessoas com que me cruzo. Talvez influenciada pelo meu curso, e antiga profissão. E a quantidade de histórias engraçadas que oiço… não é quantificável.
Ninguém me escapa, o carteiro, o taxista, o padeiro, a florista, o homem do quiosque, a empregada da Zara. Os desconhecidos são os melhores entrevistados.

Sábado, no cabeleireiro, entrevisto a manicura/ esteticista que me atende, e que diz há cada vez mais homens a cuidarem da imagem, mas que a grande parte não o assume. Por exemplo? A maioria dos homens que vão ao tal cabeleireiro, pedem para arranjar as unhas, escondidos num gabinete, que normalmente só é utilizado para a depilação.
Sim, porque macho que é macho corta as peles das unhas com os dentes, e dispara-as para a calçada portuguesa…

Casamento II

A razão do post anterior era, primeiro, para ver se tenho vergonha na cara, e segundo porque uma das pessoas mais importantes da cerimónia, a mãe da noiva, morreu quando ela tinha 14 anos, de cancro.
E fiquei a pensar como é que uma mãe/ pai se despede de um filho quando sabe que a sua vida está por um fio. Como é que se diz tudo o que há para dizer, ensinar, falar, rir, partilhar a um filho, que ainda é tão pequenino, que tem uma vida pela frente de dúvidas, conselhos, segredos…

Fiquei muito comovida quando vi uma grande amiga da mãe da noiva chorar emocionada abraçada à C., a noiva, cheia de pena de estar a viver um momento tão importante “sozinha”...

Eu acho que tentaria escrever uma carta para cada fase da vida do meu filho, a dar conselhos, a contar histórias que me tinham acontecido quando tinha a idade dele, a fazer piadas pelo meio. Tentaria estar presente nem que fosse numa versão A4 pautada.
Enfim, há coisas que é melhor nem imaginar.

Casamento

No sábado que passou foi dia de casamento de uma amiga do F., que é mais ou menos como uma prima. A cerimónia foi na casa dos noivos, já viviam juntos antes, depois o beberete foi num espaço cheio de sol em Cascais, e a seguir a grande festa, noutro local, que para nós, a família dos F’s durou até às 23h00, já que tínhamos um bebé cansado e em picos para chegar à sua caminha.

Nota 1: Chegámos atrasados pela última vez. É uma garantia. Dos poucos lugares sentados que existiam para assistir à cerimónia, um deles a noiva reservou para mim e para o Francisco. E foi o único lugar que ficou vazio durante o “sim”. O que foi péssimo!

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Mala verde escura II

Já na esquadra para levantar a mala perguntei ao senhor polícia se não era preciso assinar nada. Perguntei várias vezes. Mas apenas foi necessário apresentar o BI, dar os meus contactos pessoais, e fui à minha vida. Acho que tinha havido um problema no sistema, e não tinha ainda sido registado a entrada da mala na esquadra.
Nesse mesmo dia o tal polícia ligou para o meu telemóvel a pedir para voltar à esquadra para assinar um papeleco com um nome pomposo, mas disse-lhe que naquele dia já não podia ir. Prometi que iria no dia seguinte. Tive que dizer a hora e tudo! No dia seguinte esqueci-me. No outro dia, isto quarta-feira, logo pela manhã, a Família dos F’s e R a sair do elevador houve alguém a falar em alta voz*. E disse em tom de gozo para o F. grande, tu queres ver que é a polícia?
E era mesmo.
Um polícia alto e espadaúdo que estava a tocar à campainha, perguntou-me por acaso se eu não era a senhora Raquel XPTO? Disse que sim, assinei os papéis, e pelo meio ainda fiz uma piadinha se o senhor me ia levar presa. O polícia não mexeu um único músculo da cara. Que falta de graça.
O F. disse que a polícia deve ouvir esta piada todos os dias… se calhar é isso, é porque a minha piada era mesmo boa.

*leia-se aqueles walkie-talkies com que costumam andar.

Mala verde escura

No fim-de-semana que passou deixei a mala de viagem do Francisco sabe se lá onde, e a criança passou dois dias em Tróia com a mesma roupa, intercalando com uns tops meus. Andou com uma fralda na cabeça (parecia que ia fazer limpezas), porque não tinha chapéu, e não tomou banho com gel duche nívea, porque tinha deixado na dita casa de férias alguns produtos de bebé.
A grande questão era, onde é que tinha ficado a mala? Ou em terra, leia-se em Lisboa, ou do lado mar, já em Tróia a descarregar as malas. Eu que tinha carregado a tal mala, não me lembrava sequer de a ter largado… Liguei para o posto da GNR, para o Hotel, para a equipa de seguranças que faz vigilância de Tróia, e nada.
Deixei avisos no prédio a dizer “Pede-se a quem tenha encontrado uma mala verde escura da Benetton, com roupa de bebé no interior o favor de entregar no andar XPTO”. Nesse mesmo dia, fui à esquadra da minha localidade, por descargo de consciência, e lá estava a minha malinha, com tudo lá dentro. Intacta.
Mas onde raio tinha deixado a mala?
Foi um vizinho meu que a encontrou, e estava na rua, em cima do passeio “a testar os seus limites” a ver quem é que a levava para casa… Teve azar. Voltou ao seu dono.

Se o F. estivesse ao meu lado enquanto escrevo este post, diria, é preciso ter descaramento! Agora a culpa é da mala que é uma vadia!

domingo, 11 de julho de 2010

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Patriotismo da treta

Não me lembro de ter visto o primeiro jogo da Selecção, no segundo jogo marquei uma consulta, e no terceiro aproveitei para ir abastecer à bomba de gasolina do Jumbo (que costuma ter filas intermináveis e neste dia tinha meia dúzia de gatos pingados, eu incluída, e a maioria dos “gatos” eram mulheres).
Este ano não apanhei a febre do futebol, nem vibrei com um grupo de “desportistas” que foram para o Mundial coçar a micose… e serem pagos por isso.
Tive sempre coisas mais úteis para fazer.

Tenho pena, muita pena é dos outros desportistas que dão o litro, sabem o hino (!), ganham medalhas (imagine-se!) e ninguém lhes liga nenhuma…

quarta-feira, 7 de julho de 2010

No menu

Os bebés que vão nascer ainda em 2010 são: o Vasquinho, lá para 2 de Agosto, e a Margarida (juro que é uma rapariga) que está prevista nascer entre 27 e 29 de Outubro.
Já não vou dizer que na minha família ninguém é original e nascemos todos no mesmo dia (29 de Outubro, para quem ainda não sabe), e que a Margarida é portanto minha prima de sangue, e só para chatear não vai querer ser diferente…

Nota de pé de página: relembro que o mês de Outubro, já para não falar nos outros, tem mais 30 dias, caramba são tantos, prontos a estrear…

As primeiras palavras

Primeiro foi “olá”, tudo pegado, tudo de seguida. E agora é “papá”. Também tudo pegado e tudo de seguida.
O Francisco que me venha pedir favores e colinho que eu digo-lhe…

Contar até 1000 (com palavrões pelo meio)

Continuo sem perceber porque é que os meus vizinhos do lado teimam em viver com a porta de casa aberta (esta situação agrava-se em dias de calor). Acrescento que a sala de jantar é mesmo em cima da porta, e por isso, nós temos que levar com o barulho dos talheres, da família a discutir (não sei onde é que arranjam tanto assunto para andar à estalada), ah! e claro, o rato (cão) que têm lá em casa ouve-se ainda mais. Ontem às 23h00 foi por um triz que não fomos lá “bater” à porta aberta e pedir um bocadinho de contenção…

terça-feira, 6 de julho de 2010

O projecto no papel e ao vivo e a cores






Saiba mais em www.favelapainting.com

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Até agora, a resistir.

E perguntam vocês “como é que sabes quando começam os saldos em todo o lado?”. Ora a resposta é simples: trabalho ao pé do El Corte Inglès, da Zara, da Massimo Dutti, da Zilian, da Pull & Bear, da C&A… Chega?
Agora é que vou pôr à prova a minha capacidade de poupança. Principalmente durante o Inverno, quando não der para ir passear para os jardins da Gulbenkian ou para passear na rua no geral.

Informação privilegiada III

A Zilian já está com promções de 30%.

Acidente 2

Ontem foi dia de ter mais um acidente de carro.
Um carro à nossa frente parou para deixar passar na passadeira, nós que vínhamos atrás parámos a tempo, os que vinham atrás de nós, não.
Desta vez o F. é que ia a conduzir, devagar, o Francisco ia no banco de trás e apanhou um valente susto, e chorou. Eu fiquei super nervosa, e nos milésimos de segundos (que parecem horas), que demoro a sair do carro para ir até ao banco de trás ver se estava tudo bem com o Francisco… foram horríveis.
Estou a começar a ter medo em andar de carro.
A seguradora que ainda não tratou de arranjar a porta do lado, tem agora a bagageira para arranjar. Desta vez todos os papéis foram preenchidos como deve ser, até tirámos foto com a nossa máquina fotográfica, o F. até ficou com o nº de telemóvel de uma testemunha.

Baptizado do Henrique

Chegámos atrasados (eu já não sei porque é que ainda digo isto), os pais também chegaram atrasados, o Bridges não desiludiu e a madrinha também chegou atrasada (escândalo!). Em síntese, três ou quatro gatos pingados chegaram a horas.
Família Tanaka foi recrutada para fotografar tudo e mais alguma coisa, e eu a achar que não tínhamos tirado muitas fotos… foram mais de 200.
Foi muito giro, correu muito bem, um dia fantástico (que também ajuda), muitas crianças, muita conversa, e o Henrique foi iniciado no vinho do Porto!

Coisas que não se percebem… os sapatos novos caiam-me dos pés (tive que andar a passo de caracol), o Puskas a tirar fotos deixa os “fotografados” plantados e vai à sua vida, a Mima pôs o Francisco na ordem, o Sal e o Afonso concorriam a ver quem é que tinha mais pilhas!, e o Vicente achou que eu ficava melhor de branco…

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Dar um tempo

Não sei se já deu para reparar mas não tenho tido muito tempo para escrever no Blog. Amanhã começo a trabalhar a tempo inteiro, e deixo o meu fantástico horário das 9h30 às 14h30. Ainda estou no mesmo local de trabalho mas… agora no departamento de marketing editorial. Parece que tenho alguém cá em casa que é capaz de me dar umas dicas…

domingo, 27 de junho de 2010

Informação privilegiada II

No dia 1 de Julho começam as promoções na Zara. Já sabem que a dita marca é um bocadinho alérgica aos saldos...

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Informação privilegiada

Começam hoje os saldos na Mango e na Zara Home.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Acidente

Ontem foi dia de ter o meu primeiro acidente de carro desde que tenho carta de condução. Fiquei super nervosa, uma pilha, porque estava sozinha com o Francisco.
Segundos depois de sair de casa dos meus pais, ia na minha faixa, e vejo um carro que quer entrar na via onde estou, e nem parou. Eu apitei três vezes, e o homem não me viu e não me ouviu. Fiquei com a porta do carro toda para dentro.
Quando tentei ligar ao meu pai fiquei sem bateria. Queria chamar a polícia. Confusão gerada na estrada com os carros a querer passar e a querer contornar o acidente e a não conseguirem. Filas em todos os sentidos. A pontaria de ter o acidente num local com seis sentidos diferentes.
Peço ao primeiro condutor que vejo se me deixa dar um toque do seu telemóvel porque tinha ficado sem bateria. Ninguém andava nem para a frente nem para trás.
O “condutor” eram três homens que iam numa daquelas carrinhas enormes, e super solícitos passaram-me logo o telemóvel para a mão, e “estacionaram” a carrinha no meio da estrada em sentido contrário. Quis pagar a chamada e não me deixaram. Não consegui falar com o meu pai que estava a poucos metros de mim, mas consegui falar com o F. que estava a mais de 20Km. Assinámos a declaração amigável.
Fiquei uma pilha o resto do dia.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Coisas novas

Andei a comprar coisas novas.
Primeiro foram uns espelhos que colam, produto do Leroy Merlin, que custou cerca de 12 euros. Toda contente colei-os, eram quatro quadrados, na vertical, e fiquei finalmente com um espelho de corpo inteiro em casa, mais precisamente dentro do meu roupeiro.
Ontem, quando cheguei a casa, um dos quadrados já estava no chão… e os outros três deslizaram uns centímetros para baixo… Hum… se calhar não foi assim tão boa compra…
Depois decidi armar-me em moderna, e investi nuns decalques de sombras, ou seja, quem não percebe nada de maquilhagem, cola um decalque em cada pálpebra e já está. Ora decidi experimentar esta ideia revolucionária minutos antes do baptizado do Francisco, e apanhei um valente susto quando olhei ao espelho. Nem sei o que parecia… por acaso até sei… parecia que me estava a preparar para o ataque… para ir trabalhar para a esquina. Demorei mais tempo a tirar a dita maquihagem, “Eyeenvy” da ColorOn Professional, do que a pôr. Este “smokey kit” comprado na Sephora custou cerca de 20 euros.
Enfim, só bons investimentos.

Praia, finalmente!

O fim-de-semana que passou foi de PRAIA! Uma estreia absoluta para o Francisco e para mim. A nossa criançola não gostou da água (será porque estava fria?), caiu de cara na areia e virou panado, e sempre que regressava da praia (quatro vezes) adormecia no caminho. Um fim-de-semana fantástico a repetir.
Ah! E tirámos quilos de fotos, pois claro.

Nota: E não custou nada fazer horários de praia de criança.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Mesmo à frente dos olhos

Agora que o Francisco tem 7 meses e tal, olho para os álbuns de fotografias dele e vejo o quão gordo ele estava. Na altura não me apercebia. O facto de estar com ele a toda a hora toldava o meu discernimento… Não que achasse que o meu filho fosse parecido com a Kate Moss mas não tinha reparado nos quilos em excesso.
Esta conversa toda começa porque a mãe do Vicentinho um dia disse que só reparava que o filho era super moreno quando estava perto dos outros bebés. O que na altura me fez uma certa confusão. Parecia-me óbvio. E agora percebo-a na perfeição.
Acho que este “problema” tem um nome, chama-se "olhos de mãe".

Resposta pronta

Desde que o Francisco nasceu, deixei de ter resposta pronta para tudo. É que não é fácil!
Na loja a comprar botões de punho e um cinto para o F., a empregada arrisca: “Acho que lhe vou pedir para adoptar o seu filho”.
O que é que se responde a isto?

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Eureka, ou talvez não

O tal vestido que fui comprar com uma trupe de fashion victims acabou por ser trocado. O corte era muito giro mas a cor… castanho, não consegui gostar. Experimentei em dias diferentes para ver se mudava de opinião mas não mudou. Acabei por ir comprar o primeirinho vestido que tinha gostado, o chamado plano B, que virou A.
Como na tal loja não devolviam o dinheiro (por exemplo, na Zara devolvem) acabei por trocar por outro vestido que elas tinham sugerido, e que vai ser estreado já no casamento que tenho este ano. Decidi também devolver os sapatos que havia comprado na Zilian e desta vez tive direito a um vale com a duração de três meses.
Enfim, tanto trabalho com coisas inúteis, tanta perda de tempo precioso, e assim do nada virei a profissional da devolução. Ai que paciência.

terça-feira, 15 de junho de 2010

domingo, 13 de junho de 2010

O Baptizado

Foi um dia fantástico. Não podia ter sido melhor. Tudo esteve a nosso favor.
Tivemos quase* tudo: família e amigos (duas grávidas, amigos com filhos que vieram de Lisboa, e uma prima que veio directa do exame para o Porto).
Sem pedirmos, a Família Tanaka teve direito a reportagem completa: o primo F. filmou o baptizado todo, o cunhado, a prima P. e o avô M. tiraram dezenas de fotografias.
Depois de uma semana de chuva e frio, no sábado tivemos direito a sol e temperaturas bem agradáveis, mesmo durante a noite (a tia-avó G. tinha apelado a todos os santinhos, colocados lado a lado na cascata).
O serviço de catering esteve à altura das minhas expectativas: churrasco para receber os convidados, comida típica portuguesa, e muitos petiscos. Tudo estava óptimo e os empregados foram sempre atenciosos e prestáveis.
Nada foi deixado ao acaso, e o jardim da casa teve direito a decoração dos Santos Populares: manjericos, balões e “grinaldas”.
Família e amigos misturaram-se como se conhecessem há anos e ouvi muitas pessoas a comentarem “que o tempo tinha passado a correr”, surpreendidos com o facto já ser tão tarde. Foi o sábado mais rápido da história.
A cereja no topo do bolo, foi o discurso de agradecimento do F., que depois de proferir algumas palavras… emocionou-se. E emocionou grande parte dos convidados, ou pelo menos os que eu consegui ver por entre lágrimas.
Não foi “só” um baptizado, foi um momento em que celebrámos o Francisco na companhia daqueles que amamos.


*Ficaram a faltar algumas pessoas especiais, não porque não puderam ir mas por questões logísticas não puderam ser convidadas, e fizeram-nos muita falta. Foi muito difícil escolher. Mesmo muito.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Conselho de amigo II

Se forem a uma parafarmácia do Continente e apresentarem o cartão do dito hipermercado tem ainda um desconto maior. Agarrando ainda no exemplo do leite em pó que era 19,50€ na farmácia, na parafarmácia Continente fica a 16,20€.
Se usarem o truque do F. dos olhinhos de carneiro mal-morto com a menina da dita parafarmácia, também têm desconto sem ser preciso o cartão. Gajas…

Agora que sou mãe II…

De cada vez que vejo um rapaz na rua que aparente ter até 31 anos (a minha idade, portanto) imagino como será o Francisco, e não consigo acreditar que vá ficar daquele tamanho.
Sim, por mim, ele ficava bebé para sempre.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Juro

Adivinhem quem esteve este fim-de-semana num daqueles programas de desporto, onde vários convidados e/ou personalidades comentam semanalmente o desporto rei? A sério, não conseguem adivinhar? O Nicolau Breyner, pois claro!
Já só falta vê-lo a apresentar o Clube Disney de totós e a dizer piadas infantilóides.

domingo, 6 de junho de 2010

Agora que sou mãe...

preocupa-me o facto de não durar para sempre. Deixar o Francisco sozinho no mundo.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Eureka!

Na companhia da cunhada e respectiva melhor amiga (que é louca por compras e tem imenso jeito para coisas relativas a trapos) encontrei finalmente um vestido!
Pergunta do F. quando viu o vestido, “terias escolhido esse vestido se estivesses sozinha?” Resposta: “Não”.
Mas para que fique registado gosto muito, e o F. também.
Ponto final nesta busca secante.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Estou por aqui (visualizar uma mão a puxar uma ponta de cabelo)

No ano corrente, tenho, até ver, dois baptizados e um casamento. E depois de ir ao Colombo, ao El Corte Inglés, ao Central Park, ao Riviera e às Amoreiras não encontrei nada. Só vestidos assim-assim. E eu que me gabo de encontrar o que quer que seja em qualquer loja que entre, começo a ficar irritada com tanta perda de tempo. Há tantas coisas mais interessantes para fazer… Estou seriamente a pensar ir num estilo “o rei vai nu”.
A minha cunhada, que é uma santa, ofereceu-se para me ajudar a encontrar um vestido. Hoje, depois do trabalho, vamos as duas ao Saldanha gastar a sola do sapato, e se tudo correr bem, gastar dinheiro a comprar um vestido.
Os critérios para a minha busca são poucos: vestido cocktail, não pode nem ser preto (o que dificulta a compra) nem branco e não queria que custasse mais de 150€, o que quanto a mim, já é um excesso.

Aceitam-se sugestões de lojas. Estou a desesperar!!!!






Bruna Real soma e segue

Depois da Playboy, e depois de começar a cobrar para dar entrevistas, agora a dita “professora” vai aparecer numa reportagem ousada na revista suplemento do Correio da Manhã. Temos progressão na carreira!

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Tarifário

Sou Vodafone e preciso mudar de tarifário urgentemente para um mais em conta. Qual é o vosso?
Obrigada.

Já?

Certas e determinadas pessoas estão me sempre a perguntar “O Francisco já tem dentes?”, “já se senta?”, “já come com pauzinhos chineses?”, “já fala?”, “já coça a micose?”, já, já, já, já… E depois quando já come com pauzinhos chineses, vem logo a pergunta seguinte “e já faz sushi?”. Ainda não? Ui que isto é caso para ficar três noites sem dormir… a mãe claro. Mãe que é mãe tem que estar sempre preocupada, e se não tiver nada que a preocupe. Invente! E se não conseguir estar stressada porque sim, só pode ser incompetente. Só pode ser má mãe. Já não se fazem mães como antigamente.

Convém não confundir com as normais perguntas de curiosidade de pessoas que querem acompanhar o crescimento do Francisco. É completamente diferente.

Fica aqui assente que assim que o Francisco souber fazer sushi temos jantarada lá em casa. Combinado? Agora ainda me está a ensinar a comer com pauzinhos!

Pesadelo americano

Nem Dora, A Exploradora escapa… Foi vítima de violência doméstica? foi assaltada? perguntou o que não devia? Dora, A Exploradora é patroa e um dos seus empregados despediu-se? Não. Nada disso. A nossa amiga Dora como tem um tom de pele mais escuro, e por coincidência mora no Arizona, Estados Unidos, ao abrigo da nova lei, poderá ser interpelada pelos agentes de autoridade para verificarem se é imigrante ilegal.

Nota: “A controversa lei do Arizona exige que as autoridades questionem as pessoas sobre a situação de imigração de qualquer pessoa, caso haja motivos para suspeitar que estão no país ilegalmente. Os críticos consideram que esta lei incentiva a discriminação racial.” no I.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Moby Dick

Voltei a andar de transportes públicos quatro anos depois…e o lado positivo é que tenho tempo para pôr a leitura em dia! Decidi começar a ler clássicos, o primeiro na calha é “Moby Dick”. E o senhor Melville para dizer que se sentou num banco demora algum tempo e enrola um bocadinho. E apesar de muita conversa e nenhuma acção estou a gostar.