quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

A conversa fica por aqui.

Na terça-feira foi dia de ir ao pediatra. Estava eu e o F. na sala de espera, à espera, quando entra um homem na dita sala de seu nome Jorge Ritto, ring a bell?, pois a mim, assim que o vi soaram os alarmes todos (e eu estava sem óculos!).
O F. achou piada à situação, eu fiquei em estado de choque, e não conseguia deixar de olhar para ele.
Resta referir que onde nós vamos ao pediatra existem outras especialidades, como psiquiatria, consulta externa etc…

...

Este Natal decidi oferecer à minha mãe uma massagem dos pés à cabeça no LeSpa.
Primeira reacção: “Para que é que eu quero isto?”
Segunda reacção: “Então estou deitada na minha casa e vou levantar-me para me ir deitar noutro sítio?”
Na noite de Natal tentei disfarçar a minha desilusão… e dias depois voltámos a falar no assunto, e a minha mãe disse-me com todas as letras que me dava a massagem que não queria aquilo para nada.
Eu sei que os meus pais são os “reis da electricidade” que não param quietos um segundo mas não exageremos… para a minha mãe ir fazer uma massagem é sentir-se inútil. Provavelmente se fosse, a sessão no spa acabaria com a minha mãe a fazer massagens à senhora massagista!
Tantos anos depois e ainda não conheço a minha mãe…

domingo, 27 de dezembro de 2009

1 Natal, 3 Marias, 3 Franciscos

Este foi o primeiro Natal do Francisco. Família e amigos perderam a cabeça e deram kilos de presentes para o nosso baby. Nas noites de 24 e 25 não fiz outra coisa se não abrir presentes “alheios”.
Na noite de 24 com a minha família, o F. foi o “Pai Natal” de serviço, e decidiu ler mal os nomes de toda gente nas etiquetas de todos os presentes.
No dia 25, com a família do F., o primo Francisco foi quem distribuiu os presentes, e a confusão ainda foi maior… Neste jantar estavam presentes 3 Franciscos, um deles casado com uma Maria, e os outros dois tinham como segundo nome Maria. O caos estava instalado: o primo Francisco achava que estava a dar presentes em conjunto comigo e com o F. (já que decidi acrescentar nas etiquetas de todos os presentes que oferecemos o nome do Francisco), o outro Francisco (o nº3) abriu um presente para o Francisco bebé, porque achava que era um presente para o casal “Francisco e Maria”… e só deu conta do engano quando viu um conjunto de babetes (já recebi tantos babetes que quase que conseguia abrir uma loja da especialidade).
Este Natal ficou ainda marcado por discussões acesas de futebol, a nova concorrência fotográfica da prima Constança, o facto da cozinha ter virado a nova sala do vício (onde se podia fumar) e de repente estar quase a família em peso em amena cavaqueira na dita divisória da casa, o M. recebeu mais uma guitarra (já deve ter umas cinco) e não sei onde é que ele vai buscar uma nova cara de surpresa, nós decidimos oferecer T-shirts com dizeres do tipo “ London, Paris, Amadora, New York” e mais uma vez fez falta o reboliço dos cães (que não foram convidados).

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Foleiro, foleiro é…

roubar presentes de Natal.
Foi o que aconteceu à minha sogra num dos seus “tours de compras”, quando se apercebeu, faltavam-lhe três presentes, e um deles era do F.

Comemorações natalícias

Para além dos “jantares do Sapatinho” todas as sextas, as minhas comemorações natalícias extra-Natal, começaram e terminaram este fim-de-semana. Jantar na sexta, jantar no sábado da Ca. e almoço no domingo das amiguinhas da faculdade, sempre com o Francisco atrelado.

A não repetir, levar um bebé tão pequenino para um convívio que tem cerca de 30 pessoas. Esteve muito bem o jantar de sábado todo, mas quando chegou a hora de dormir fez uma super birra e nós fomos para a nossa casinha. As crianças dos outros (que neste caso éramos nós) são muito giras, mas caladas, e já estava mais do que na altura de irmos à nossa vidinha. Fenómeno: ao contrário do que estamos habituados, éramos os únicos com filho”s”. Estranho…

Os presentes dos vários “amigos invisíveis” deste ano que levámos para casa foram: chocolate para fondue, pulseiras, uma bomba para encher balões, um cubo mágico, uma moldura-cubo muito gira e um DVD. Para o ano há mais!

Sismo

O relógio marcava 01h40 minutos, e eu estava na sala a ver um documentário sinistro na televisão. O F. dormia ferrado no sofá.
Apanhei um grande susto, demorou o suficiente para ter noção do sismo, mas foi ao mesmo tempo tão rápido que não pensei em nada nem em ninguém… acordei o F. e perguntei se tinha sentido alguma coisa, mas pelo ar dele não me pareceu… E a única prova do que eu tinha acabado de sentir era a decoração da árvore de Natal que ainda estava toda a tremer, e ficou assim uns bons segundos, a bailar.
As pessoas normais teriam esperado por uma réplica… nós fomos dormir.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Baptizado do Zé Maria

Foi no feriado de 8 de Dezembro lá para os lados da Praia Grande, a igreja escolhida foi a mesma onde havia sido o casamento da C. (começa a tornar-se um local familiar), o padre foi o mesmo que fez o casamento da mana M. (quase que o tratamos por tu) e para não variar chegámos atrasados (o que começa a tornar-se um péssimo hábito). Quase não assisti ao baptizado porque passados dois minutos de entrar na igreja, o Francisco lembrou-se que tinha fome.
A celebração continuou numa casa na Praia Grande, e grande parte dos convidados eram casais novos com um filho bebé ou pequenino… havia até um quarto especial para os bebés dormirem, mudarem a fralda… um luxo.
Foi uma tarde muito bem passada na companhia de amigos, comida excelente, e ainda tirámos umas quantas fotos. Neste dia tirámos a primeira foto do Francisco com o amigo Zé Maria em grande confraternização. Está linda!

Bem se calhar o próximo baptizado vai ser o do Francisco… e pelo andar das negociações será no Porto, na mesma igreja onde o F. foi baptizado.
Mais informações para breve…

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

New season

Começa hoje mais uma temporada do Jantar do Sapatinho. Em 2009, temos mais um elemento para se “sentar à mesa”, e o primeiro jantar de Natal começa bem, com casa cheia! Quase tantos membros da família como no dia 25 de Dezembro.

Prémio

Que a Família Tanaka tira fotografias a tudo, não é novidade. Agora que recebeu um prémio recentemente por isso… é digno de post. O F. respondeu a um concurso de um Resort com várias fotos. Como achava que tinha tantas tão boas, concorreu em nome dele, e em meu nome. E adivinhem quem é que ganhou o prémio? Eu!
Ele ganhou apenas uma menção honrosa, que significa 50% de desconto em alojamento num Hotel caríssimo, e eu ganhei o 2º lugar, que é a estadia de uma noite nesse dito Hotel, e mais uma menção honrosa. Até ao fim de Março temos de gozar o prémio.

“Sai a mim” parte II

O Francisco está com duplo queixo (a pediatra diz que é triplo) e de repente ninguém se lembra de quem é aquele queixo… não sai a ninguém. Avô paterno está ai?
O novo queixo da nossa criança morre solteiro…

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Luxo é…

…dormir 4h30 minutos de seguida! Algo que não acontecia desde 28 de Outubro. Sinto-me revitalizada!

Canções de embalar precisam-se

Há mais ou menos três semanas que o Francisco está com o nariz entupido, e o que é que isto leva? Ora a uma sequência de problemas: o nariz está entupido, logo demora mais tempo a adormecer, eu durmo menos e tenho que investir mais em estratégias de “adormecimento”. E é aqui que entram as canções de embalar… primeiro dava-lhe conversa no geral, depois cheguei à conclusão que como não percebia nada do que eu dizia, não valia a pena em preocupar-me com discursos que fizessem muito sentido, já cheguei ao ponto de lhe dar uma receita de um bolo “300gr de açúcar, 200gr de farinha, 4 ovos etc, etc…” não lhe interessa o que eu digo, desde que fale.
E depois a conversa por si só já não chegava, e tive que começar a cantar qualquer coisa. O problema é que em situações de emergência, só me vem à cabeça músicas como “atirei o pau ao gato” “Minha machadinha” ou melhor…o “Malhão”, músicas que definitivamente não são muito calmas.
O F. canta ou músicas dos Maristas que eu não conheço e que são do género “Vede Senhor” ou então inventa canções que por norma rimam sempre, e dão-me imensa vontade de rir.
Eu aguardo que os meus cultíssimos leitores sugiram algumas músicas, para eu poder brilhar cá por casa…

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

“Sai a mim”

Não sou tão observadora como gostaria de ser, mas certos “tiques” são tão repetitivos que até o mais distraído acaba por reparar…
O pai do F. estava sempre a dizer que qualquer coisa que o Francisco fizesse (ainda dentro da minha barriga) era tipicamente da sua família. Por exemplo, eu dizia “esta criança não pára quieta um segundo” e logo o avô paterno dizia “isso é típico da nossa família”, ou então “está cheio de soluços”, “ah! a nossa família, há mais de três gerações que têm soluços…”. Mais um bocadinho e sentia-me barriga de aluguer…
Adiante.
Um belo dia a criança nasceu, e logo na primeira visita na maternidade, tentou encontrar traços da sua família (o que até é normal). Actualmente, e quase um mês depois, de cada vez que o avô paterno visita o Francisco, o nosso bebé tem um traço e/ou característica novos que são do seu lado da família…
Ainda ontem: “estou a ver que ele farta-se de falar…” disse o avô. E pergunto eu: “Será que sai a mim? Não, claro que não…”. O pai do F. desvenda-vos o mistério “sai à bisavó”. Pois claro. A mãe aqui é só um mero adorno…

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Basicamente é isto... II

Pensei muito antes de escrever este post… mas fiquei tão irritada… E se calhar daqui a um ano estou a engolir um super sapão, mas cá vai.

Desde que o Francisco nasceu temos recebido muitas visitas, uma delas (e a única) parecia que nunca mais acabava. Dessa visita constava uma criança com pouco mais de um ano que me deixou com os nervos em franja: atirou as minhas revistas todas para o chão, divertindo-se a rasgar algumas delas, fartou-se de berrar (com o Francisco a dormir), queria agarrar tudo onde chegava e atirar para o chão, fez o maior chiqueiral a lanchar (o chão da sala ficou repleto de migalhas), agarrou nas bases que estavam em cima da mesa (onde costumo almoçar e jantar) e pôs os pés em cima…
E o que é que os pais fizeram? Nada.
A próxima visita lá em casa só quando a criança tiver 12 anos (just in case).
Isto não é normal? Ou sou eu que não estou habituada a ter crianças pequenas em casa?

domingo, 22 de novembro de 2009

Basicamente é isto...

A cada dia que passa concordo cada vez mais com o dito popular “a educação que nós damos aos nossos filhos aproxima-nos ou afasta-nos dos nossos amigos e/ ou familiares”.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Ideias precisam-se

Amanhã tenho um jantar cá em casa e precisava de sugestões para o prato principal. Não pode ser frango no forno, bolonhesa ou lombo de porco no forno.
Pff alguém me dê sugestões para um prato bom, simples de fazer e para quatro pessoas.

domingo, 15 de novembro de 2009

Karma

A minha máquina fotográfica está avariada outra vez, com o mesmo problema, e vai amanhã arranjar outra vez. Alguém me rogou uma praga! E lá vão mais 50 euros…

Anedota para todas as mães de bebés

O que diz uma enfermeira ao marido na noite de núpcias?
R: Dá-me uma compressa

Toca a animar… amanhã é segunda-feira

Macaco
Dois amigos em conversa:
- Ó João sabias que o meu macaco matou o teu cão?
- Não pode ser, é impossível. O meu cão é um doberman.
- Eu sei João, mas o meu macaco é hidráulico

Febre
Uma galinha diz para a outra no galinheiro: “Esta noite estive com uma febre, que não imaginas”
A outra galinha pergunta: “Como é que tu sabes?”
Resposta: “Porque pus um ovo cozido”

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Ainda sobre o meu dia de anos

Com tanta coisa a acontecer no dia 29 de Outubro mal me lembrei que fazia anos. E quando recebi uma mensagem no telemóvel a desejar “duplos parabéns” não percebi à primeira… pensei “mas eu só tive um filho!?”. Só para terem noção do estado em que estava…

E apesar de dois dos aniversariantes estarem no Hospital, o jantar que tinha planeado aconteceu na mesma na casa dos meus pais. O bacalhau com broa escolhido/encomendado por mim (o meu prato preferido) nem lhe senti o cheiro e o cheesecake de amoras como bolo de anos provei quando regressei da maternidade.
Os meus tios, primos e pais celebraram na mesma o meu dia de anos, e o F. soprou as velas do bolo em conjunto com a minha mãe. Não sei muito mais sobre esta celebração porque não estava lá…

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

E no outro extremo...

Hoje consegui vestir finalmente um dos meus pares de calças de ganga antes de estar grávida. Não dá para descrever a alegria… Estabeleci como meta o mês de Dezembro, para conseguir vestir a minha roupa toda, sem excepção, e em Janeiro regresso à ginástica (apesar de estar com alguma preguiça). Vai ter que voltar tudo ao lugar. Se a Heidi Klum consegue, eu também consigo! Era uma piada a parte da top model…

Sapinho nº3259

Tenho tido algumas saudades de estar grávida… sinto falta do meu barrigão enorme e de sentir o Francisco. É esquisito já não sentir os seus movimentos, os soluços… Há dias que me sinto um bocadinho vazia.
Mulheres… nunca estão satisfeitas.

Hospital de Santa Maria

O próximo filho vou querer ter no Hospital de Santa Maria, está decidido. Toda a equipa foi fantástica, desde o anestesista, às enfermeiras, aos médicos que me fizeram o parto. Super atenciosos, super simpáticos, super bem-dispostos. Não me senti mais uma grávida. E o que é que todos tinham em comum? Eram jovens, fugindo ao estereótipo do médico rezingão ou da enfermeira velha que já não tem paciência para aturar ninguém.
O único senão foi a minha obstetra, a única escolhida por mim, que revelou um comportamento bastante diferente quando me atendia nas consultas privadas e quando me atendia no Hospital. Por estranho que possa parecer… ainda bem que não foi ela a fazer o parto.

O dia D

No dia 29 de Outubro fomos para as urgências de madrugada, mais precisamente à 01h30. Sei as horas porque quando estávamos a chegar ao Hospital recebi uma mensagem da E. a dizer “falhei a meia-noite [para me dar os Parabéns], imagino que estejas a dormir ou então a entrar em trabalho de parto (…)” e mal sabia ela…e mal sabia eu…
Primeiro passámos pelo Hospital S. Francisco Xavier, e eu a achar que era só um falso alarme mas tive que assinar um papel para poder sair, pois queriam que ficasse em observação. Se o Francisco estivesse para nascer seria no Hospital de Santa Maria, tal como tinha planeado. Lá fomos nós para as urgências do Sta. Maria por descargo de consciência, por mim tinha ido para casa dormir, estava podre.
Depois de passar pelo gabinete de triagem, já não me deixaram sair… iria ficar em observação, e deram-me o kit completo (camisa de noite e roupão sexy do HSM e chinelinhos de tecido). Dormi no Hospital ligada à máquina do CTG, o que para quem já experimentou, sabe que não é confortável. O F. tentou fazer-me companhia a dormir numa cadeira de ferro mas não arranjava posição… poderia ir para casa porque ainda ia demorar… Eu ainda estava na esperança de ir para casa também.
Já de manhã foi tudo muito rápido: F. regressou à hora combinada, as contracções continuaram e iam-me provocar o parto. O Francisco ia mesmo nascer no meu dia de anos. Às 14h59 minutos nasceu, numa sala de parto rodeado por uma extensa equipa médica, cerca de 10 pessoas. Foi super rápido, sem dor, e de repente já tinha o meu bebé cheio de sangue em cima da minha barriga, e segundos depois a chorar…
O F. só nos viu 45 minutos depois do nascimento. Cá fora tocava várias vezes à campainha para saber se estava tudo bem lá dentro. Mesmo. A enfermeira que era sempre a mesma já não estava a achar graça estar sempre a abrir a porta ao mesmo “inquilino”.
Sogros, tia e primo aguardavam notícias cá fora. Como prometido, assim que souberam que eu estava na maternidade “montaram arraiais” à porta do Hospital.
Neste dia não eram permitidas visitas. Eu e o F. ficámos a contemplar e a dar colo ao Francisco o dia todo. O F. tirou as primeiras fotos ao nosso filho, e há uma que até agora é a melhor de todas. Está simplesmente perfeita, apesar do Francisco também estar “equipado” com a roupa do Hospital.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Grávida para sempre

É assim que me sinto, por mais coisas que faça, programas que combine, filmes que veja… os dias não andam. Estou parada no tempo, vou ficar grávida para sempre! A obstetra só sabe dizer que “está a evoluir” mas eu não vejo nada… Na quarta-feira lá vou eu fazer o terceiro (!) CTG e aqueles extras que dispensava. Caramba deve ser mesmo bom estar dentro da minha barriga! E com tantos dias para escolher, vai escolher o meu, esta criança é do contra… e ocorrem-me duas pessoas a quem ele sai…

Recomendo vivamente este filme



O filme Rachel Getting Married é “um atractivo e emocional drama sobre crises, conflitos e tragédias familiares. A protagonista deste interessante filme é Kym (Anne Hathaway), uma jovem problemática que após ter passado uma temporada numa clínica de reabilitação, regressa a casa para participar no casamento da sua irmã Rachel (Rosemarie DeWitt). Este regresso de Kym não é pacífico e reacende uma série de problemáticas e conflitos familiares que ameaçam estragar o tão aguardado casamento.
(…)Uma obra simples e eficaz que através dum estilo quase documental, retrata de forma livre e clara as disfunções emocionais de Kym e da sua família. O trabalho de câmara de Demme, nunca oferece ao público planos extremamente elaborados mas fornece-lhes, uma visão pessoal e intimista dos acontecimentos, através duma realização próxima e atenta ao ambiente e emoções que rodeiam a personagem principal”.

Não parece que estamos a assistir a um filme, não só pela forma como está filmado mas pelo filme em si, viramos voyeurs dos preparativos de um casamento muito personalizado, a ideia deste casamento é uma boa ideia a copiar. Vejam o filme, eu e o F. recomendamos vivamente.

Nesting

Dizem que quando a mulher fica grávida, o instinto de nesting fica bem aguçado nas últimas semanas, e surge uma energia do nada e começa a arrumar as coisas em casa enquanto espera que o bebé nasça.
Ontem acho que tive um ataque de nesting: limpei o frigorífico, andei a limpar azulejos, apaguei riscos e marcas das patas do Gaudí da parede, limpei o pó aos candeeiros, arrumei saquinhos que andavam espalhados pela casa… Depois parei porque não me lembrei de mais nada para fazer.

Festival do Chocolate

Fomos no sábado ao Festival do Chocolate em Cascais no Forte, e revelou-se o maior flop. Havia poucas lojas de chocolate, as existentes, para quem não conhecia, tinham muito poucos produtos e a informação sobre as mesmas era escassa, para não dizer nenhuma.
Estava à espera de espaços com fondue de chocolate, lojas cheias de bolos de chocolate diferentes, enfim coisas óbvias (achei eu) mas afinal no sábado à tarde já não havia quase chocolate em lado nenhum e o pouco que havia era embalado.
De Festival só o nome, muito mal organizado, mal representado e em 5/10 minutos vimos tudo o que havia para oferecer…

Moral da história? Acabámos no Pasta Café a comer um “Padrinho” muito bem servido, o F. explicou ao empregado do restaurante que era a minha despedida de grávida. Para quem não conhece a sobremesa, é uma taça com brownies, gelado de nata, calda de chocolate quente e chantily. Uma coisa levezinha.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Marcação cerrada

Todos os dias, dois ou três “elementos” telefonam para saber se o Francisco já nasceu ou está em vias de… Se por acaso calha um de nós não atender o telemóvel na hora, começam logo a magicar.
O pico de “audiências” foi na quarta, mas parece que a tendência é para o Clube de fãs aumentar…

Mimos 2

E enquanto o senhor da portagem de Carcavelos deseja-me “felicidades”, a cliente que está à minha frente na fila do supermercado Pingo Doce pergunta-me se está tudo bem comigo, mas não me deixa passar à frente, apesar da chamada de atenção da senhora que está na caixa registadora. A cereja no topo do bolo, foi quando duas empregadas na Zara passaram por mim e disseram: “vê lá se queres ficar como aquela?” ao que a outra responde “como? obesa?”. Sai da loja com o ego inchado.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Superstições

Não sou supersticiosa e não tenho a menor paciência para esse tipo de crenças populares. E é claro que as grávidas, como já têm pouco com que se preocupar, também não poderiam escapar às superstições.
Aqui vão algumas delas que circulam por aí: as roupas do bebé não devem estar abotoadas, não se deve montar a cama/berço antes do bebé nascer, a grávida não deve usar roupas com laços à volta da barriga, e também não deve andar com as chaves penduradas à cintura (algo muito prático), deve comer bastante fruta para ter um filho simpático (please!) etc, etc, Na maioria dos casos quem não cumprir com estas superstições está sujeito a um rol de desgraças.
Claro está que ignorei tudo, a única coisa que ainda não está feita é a cama porque acho que faz mais sentido fazer quando o Francisco nascer, aliás a avó C. já se voluntariou para esta tarefa enquanto eu estiver na maternidade. Resta saber quando é que isso vai ser…

Faltam 7 dias

Ontem para além de ter ido ao Hospital fazer algumas “análises” de rotina aproveitei também para ter uma visita guiada no piso onde vou ter o Francisco. E vi uma grávida a preparar-se para ir ter a sua criança, com a camisa de noite sexy do Hospital vestida (toda carimbada com o logo da Instituição) e respectivo robe a condizer. Passei por mais duas salas onde estavam mais duas mulheres em trabalho de parto e vi mais uma ex-grávida com um sorriso de orelha a orelha, a sair da sala já com a criança cá fora.
Gostei da calma e silêncio que reinava naquele local.

Passo a explicar, uma vez tive que ir às urgências do Hospital S. Francisco Xavier, e estava lá uma mulher a parir e a gritar tanto que se ouvia na sala de espera… fiquei bastante traumatizada com a experiência, a senhora parecia que estava a ser torturada. Foi horrível.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Gadgets Vs Família F.

Os gadgets estão contra nós (eu e F.) logo agora quando precisamos mais deles. Primeiro foi a máquina fotográfica que avariou e teve um processo atribulado até ser arranjada, e agora o telemóvel do F. praticamente pifou… o visor apagou por completo. O que significa que se o F. não ouvir uma chamada, não sabe que lhe ligaram, tal como também não consegue ler/enviar mensagens.
Solução temporária: Esta a usar o meu Nokia 3310, esse nunca falha!

Ah! O arranjo do visor era 85 euros mais IVA. Obviamente que recusámos, por este preço compra-se um telemóvel novo.

V. prepara-te que daqui a uns tempos estou a ligar-te para me dares conselhos sobre o telemóvel ideal.

Henrique

E no sábado o meu mais recente sobrinho-lindo nasceu. A mensagem que o pai enviou não foi nada cliché… “já nasceu e chora que se farta”. Muito cómica.
Na terça-feira tive o prazer de conhecer o Henrique, e que baby mais fofinho, tão pequenino, todo tão perfeitinho, e cheio de força.
Ainda me faz alguma confusão pensar que aquele bebé estava na barriga da M., é esquisito, não consigo explicar.
Pegar no Henrique ao colo é outra sensação inexplicável, só dava vontade de dar mimos… dada a minha actual falta de espaço tive que o sentar “em cima” do Francisco, que passados alguns momentos reagiu à sua presença.
Mais um momento Kodak, desta vez na companhia da A.

Nota: tem o bronze do pai e a boca da mãe.

Parabéns aos pais!

Mimos

Não sei o que se passou hoje… mas família e amigos ligaram-me em peso para saber se eu estava bem e/ou se o Francisco já tinha nascido. Pareciam que tinham combinado, quando desligava um telefonema, recebia uma mensagem… e passado um bocado já estava o telefone a tocar outra vez…
Pelas minhas contas: Tia M., Tia A., Tia R., Sú, prima S., C. Eachtime, M. e J. E ainda tive direito a um mimo de grávida: o primo C. veio de propósito a minha casa trazer-me uma mão cheia de dvds para me animar nas minhas tardes de espera… Os avós também passaram por cá para oferecer mais uns presentinhos, parece que ainda não tinham oferecido o suficiente…

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Sempre um passo à frente



Se a minha mãe visse isto diria "eles já não sabem o que inventar..."
E eu assino por baixo.
Raquel.

Best of do C.P.P.

As minhas aulas do Curso de Preparação para o Parto estão mesmo a acabar, na próxima segunda-feira, será finalmente a última. Pelo caminho houve bastantes desistências, de uma sala cheia de 12 inscritas, ficámos reduzidas praticamente a metade. A grávida-adolescente foi a primeirinha a desistir, o que foi uma pena, porque tenho a certeza que a mãe dela (a sua acompanhante) teria dado uns bons posts…
Foram alguns os momentos hilariantes deste curso, de todos destaco três:

1)Na primeira aula a fisioterapeuta que dá o curso, disse para anotarmos o seu número de telefone que estava escrito no quadro afixado na parede… Acima desse número estava um desenho bastante gráfico de uma mulher de pernas aberta, e mais nada, ao invés do clássico nome. Será que fui só eu que reparei?

2)Na aula “higiene da grávida e respectiva preparação para o dia do parto”, a fisioterapeuta sugeriu que se a mulher não conseguisse fazer a sua depilação, que pedisse uma ajudinha ao marido, pois seria com toda a certeza mais delicado do que a enfermeira do hospital. Acho que não preciso de dizer mais nada.

3)Ontem uma das “alunas” durante o tema, “o banho do bebé”, sugeriu que se lavasse a criança com sabão azul e branco… porque de acordo com a sua experiência pessoal seria melhor, mais eficaz. Pois a dita senhora tinha tido uma inflamação nos olhos que tinha curado com o sabão azul e branco, a conselho do seu médico. Paciente estranha, médico estranho.

À espera…

E desde segunda-feira estou oficialmente em banho-maria. Estou literalmente à espera que o Francisco nasça… o que para mim é um problema, primeiro porque tenho uma certa dificuldade em esperar no geral, segundo porque já não aguento mais de curiosidade, preciso de vê-lo, e terceiro porque o tempo parece que passa arrastado, apesar de já só faltarem (supostamente) nove dias.
Apesar de tanto tempo livre, não me sinto de férias…

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Fim-de-semana em festa

O fim-de-semana começou muito bem.
No sábado nasceu num ápice o Henrique mesmo à hora do lanche… (farei um post quando o vir ao vivo e a cores), à noite fomos jantar a casa da Ca. e do X. (já tinha ouvido falar muitas vezes nesta casa através do F. que passou grandes momentos da sua infância aqui) e de facto é um espaço muito especial. Aproveitámos para ver/comentar todos juntos as fotos do casamento da M., e ter mais um jantar em família, que como sempre teve os seus momentos hilariantes…
No domingo foi a festa de anos do Estrelinho que fez 2 anos (ele faz figas quando diz que tem dois anos, o que me faz lembrar uma das primeiras fotos que lhe tirei quando era bebé e que está precisamente a fazer figas!), e para apagar duas singelas velitas deu banho ao bolo… o Kiko está cada vez maior (e já está a mudar de feições) e o Zé Maria não sei o que anda a comer… mas vai pelo mesmo caminho. De um ano para o outro “a mesma festa” ficou cheia de crianças.

A semana que passou…

Demorou a passar já que era a minha última de trabalho. Pelo meio ainda tivemos o prazer da visita da E. e do Estrelinho, que aprovou o quarto do Francisco, mas deu o seu toque pessoal, algo que estava a faltar num quarto de criança… sentou os bonecos todos alinhados no sofá (antes estavam todos ao molho numa cadeirinha). E ainda houve tempo para dar um miminho à sogra (foi jantar lá a casa), que anda um bocadinho grande triste porque já não tem nenhum filho em casa… Na sexta foi a despedida da grávida M. no Santini (somos muito originais, eu sei) e foi também a oportunidade de ver alguns amigos desaparecidos em combate…

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

15 dias é muito tempo…

Faltam 15 dias para o Francisco nascer, e eu já estou em fanicos. Hoje fiz o primeiro CTG entre outras coisas e a médica informou que a criança não vai sair daqui tão depressa… está armado em pontual! Portanto, até informações em contrário, só sai daqui (barriga) às 40 semanas.
Para a semana já estou de férias porque já não estou no meu estado normal… preciso de descansar. Estou de rastos, ou melhor dizendo, arrasto-me…

O Grande Casamento

Sábado foi o dia do casamento da mana M. Pela primeira vez na vida acompanhei de perto os preparativos de um casamento, e há um ano atrás parecia que ainda faltava tanto tempo… Num estalar de dedos estávamos no dia 10 de Outubro de 2009.
Ajudei a noiva a preparar-se em conjunto com a mãe, a tia, e as madrinhas. Fiz fotos do making off… e o F. também tirou várias fotos. A M. estava linda.
Casamento “marcado” para as 17h00, noiva chega atrasada mais de meia-hora, primeiro entra o F. e a mãe na igreja, e logo atrás o pai com a noiva. E fartei-me de chorar neste casamento, primeiro com a entrada da noiva, e depois com a leitura personalizada do F. que dedicou à avó e à mãe, neste caso ficou a igreja toda a chorar. É que não estão mesmo a ver…

A “Quinta” onde foi o copo d’água era no centro de Lisboa. Tudo estava perfeito: o jardim enorme, a iluminação do espaço, a banda Jazz a tocar, a comida, e para variar conhecia a maioria dos convidados…

Particularidades a destacar:
Na lista das mesas, o meu Francisco também teve direito a ter o seu nome inscrito, aliás a M. fez isso com todas as grávidas convidadas, seis no total.

Todos estavam super bem dispostos, cheios de energia, estava tudo eléctrico e o F. também foi contagiado pelo ambiente. Só saímos de lá quando a pista fechou às 6h30. Mais as despedidas e tal chegámos a casa às 7h30! Relembro que estou grávida. Não consegui arrastar o F. da pista. Estava acelerado!

Foi o primeiro casamento a que fui, onde 100 dos convidados eram os amigos mais chegados... dos noivos.

O primo M. apanhou a sua primeira bebedeira mas alguém apanhou o seu primeiro vomitado, se soubesse que era dele tinha tirado foto. Juro!

O fotógrafo não era o típico dos casamentos, aliás ele nunca tinha fotografado um casamento na vida, era amigo do noivo e a área dele é o desporto… portanto ao contrário dos fotógrafos “normais” que tiram fotos espaçadas, ele disparava cinco fotos de seguida como se fosse apanhar um golo ou um lance espectacular.

Fui altamente assediada por um amigo do noivo, e o F. ao lado a achar imensa graça…abraçou-me, fez festinhas à minha barriga…parecia que nunca tinha visto uma grávida.

Tirámos fotos comprometedoras a uma babysiter que por lá andava, que por acaso era irmã de uma grande amiga nossa…

Tirámos muitas fotos e fizemos vários filmes.
Foi mesmo muito giro.
Melhor impossível.
Não consigo encontrar um defeito…

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

E depois os americanos querem ser levados a sério...


New Anti-Smoking Ads Warn Teens 'It's Gay To Smoke'

Fim-de-semana prolongado

Com tantos dias, todos os programas tinham que calhar no domingo. Lanche infantilóide do primo R. que fez um ano, e depois ir a correr para o jantar de despedida das barrigas da “Colecção Outono/Inverno” e infelizmente não ter energia para ir à despedida de solteira da mana M.
O jantar tinha mais grávidas do que não-grávidas, será que estamos a ficar velhas?, a Maria revelou-me o nome do seu namorado, e de mais dois pretendentes que não resistem ao seu charme, aproveitou ainda para deixar os peixes do aquário do restaurante completamente assustados com as suas flashadas patrocinadas pela máquina da tia M., o Afonso não parou quieto um segundo, o oposto do Andrézinho que é a calma em pessoa. Crianças…
Estava lá quase toda a gente, só faltou mesmo a presidenta da junta, o marido da A. e mais recentemente, a ex-coleguinha do colégio…
O Francisco recebeu ainda um presente muito giro da tia J.

Primo C.

Ou não lhe ponho a vista em cima durante meses, andamos sempre desencontrados… ou tenho o prazer da sua companhia para lanchar lá em casa, e na mesma semana ainda vamos almoçar fora.

sábado, 3 de outubro de 2009

BMW viral 1

"Concebida pela agência Fallon Minneapolis e protagonizada por Clive Owen, esta série destinada apenas à Internet conta ainda com a participação de Gary Oldman, James Brown, Don Cheadle, F. Murray Abraham, Maury Chaykin e Kathryn Morris. Outras personalidades como Marilyn Manson, Ray Liotta, Robert Patrick, Dennis Haysbert e, claro, Madonna também se sentiram atraídas por este desafio da marca alemã.

Mais de cem milhões de pessoas em todo o mundo visionaram estes filmes. A BMW abria, assim, as fronteiras no início da década a uma nova forma de comunicação. Chamando, para o ecrã on-line prestigiados realizadores de Hollywood e actores de renome".

Imagens de marca

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Outubro

É oficial, chegámos ao mês de Outubro.
É que com tanta coisa que vai acontecer neste mês nem me lembro que faço anos… Há alguns meses atrás ainda falei com o F. de fazermos um jantarzinho para os amiguinhos mais chegados mas ele lá me convenceu que é capaz de ser arriscado… E depois a criança se lhe dava para nascer a meio do dito jantar, era chato mandar os nossos convivas embora sem sobremesa nem nada.
Pela primeira vez na minha vida não vou celebrar os meus anos.

Tortura de chocolate

Esta semana enviei um email geral a solicitar ajuda para um artigo sobre Chocolate! E quilos de amiguinhos responderam com sugestões muito boas.
Grávida, e cheia de restrições alimentares escrever seis páginas sobre o meu vício ia ser complicado… por isso fiquei com outros temas, mas a minha editora pediu-me ajuda para a acompanhar no tour pelas lojas da especialidade. Na terça-feira descobrimos lojas fantásticas em Lisboa, e só uma vez experimentei duas pontinhas de chocolate, um era bom, o outro parecia que estava a comer terra, era 100% cacao. Blargh!
Não sei como resisti à tentação… o cheiro, chocolate do chão ao tecto, de todos os sabores e feitios…
Pelo meu périplo fui encontrada pela J. e respectivo o Zé Maria.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Fim-de-semana em família

Sexta foi dia de jantar de anos do pai e aproveitar para estar com tios e primos que não via há algum tempo. O Gaudí aproveitou também para matar saudades da perna do meu primo e incomodá-lo o tempo todo. Sábado de manhã compras em família, almoço com os sogros (e mais presentes para o Francisco, e roupa emprestada do Manana!), e à tarde aproveitámos para estar com os primos F. e C. e pôr os cães a esticar as pernas na praia de Carcavelos, é claro que ficámos cheios de areia porque com tanto espaço na praia tinham que correr, fazer buracos e rebolar em cima de nós. O Francisco provou pela primeira vez areia… espero que tenha gostado…
Domingo, tivemos convívio/jantar das legislativas na casa da J., e finalmente peguei no Zé Maria ao colo! E como esta cabeça não anda muito boa, a pensar em mil coisas ao mesmo tempo, esqueci-me de tirar fotos! Acho que ainda não recuperei o ritmo…

sábado, 26 de setembro de 2009

Quem é a máquina fotográfica mais linda do mundo? Quem é?



Os contactos fazem maravilhas. Usei o neurónio e perguntei à trupe de fotógrafos com quem trabalho no dia a dia se conheciam algum sítio que não fosse “o oficial” a arranjar máquinas fotográficas. Um deles tinha um contacto em Lisboa. Fomos lá.
Em síntese: os empregados eram simpáticos, entregámos a máquina na terça e na sexta-feira da mesma semana estava pronta (não foi mais rápido porque o F. esqueceu-se de deixar a bateria) e pagámos a módica quantia de 50 euros… A máquina está impecável, teve o bónus de vir toda limpinha e tem um ano de garantia a reparação. É que não posso pedir mais nada…
Ah! Eles arranjam várias marcas para além da Nikon. Quando precisarem do contacto, posso cedê-lo por 25 euros.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

E andava eu preocupada com os 3,500 Kg do Francisco...

Informação para quem ainda não tinha olhado para o calendário

Faltam só cinco (por extenso parece que demora mais) dias para chegar o mês de Outubro, 15 para o casamento da mana M, e quantos será que faltam para o Francisco...
Estava só a dizer…

A praxe da praxe

A casa dos meus pais está localizada muito perto de uma faculdade. E todos os anos lá passam os caloiros na minha antiga rua a fazer o maior chinfrim e a fazer todo o tipo de figuras que possam imaginar. A rua enche-se como nunca, os passeios não chegam para tanta gente, que decide fazer da estrada esplanada. As velhotas que estão à janela já sabem que têm serenata garantida (de joelhos e tudo), e pelo caminho os caloiros vão gritando e cantando o que os mais velhos lhes mandam… Ontem ia eu a sair muito descansada da casa dos meus pais, quando por acaso as palavras de ordem eram “Sexo e desporto só faz bem ao corpo!”, e eu a passar com a minha grande/gigante/XXL barriga de grávida, e a rezar para passar o mais despercebida possível. E felizmente, ninguém me disse nada.
Está uma pessoa do alto dos seus 19/ 20 anos a gritar sexo e passo eu só para ser “corta-barato”… Que falta de graça.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Estranhos parte II

No domingo quando o F. estava na fila do Santini, uma senhora aproximou-se dele e perguntou:
“Olhe, desculpe, podia-me dizer o que é que estão a dar?”
E o F. a achar muita graça à pergunta respondeu: “Não estão a dar nada, é a pagar”.
A senhora estranhou a resposta, mas não alongou mais a conversa, e foi-se afastando a olhar para trás…

Estranhos parte I

Ontem quando regressava para o trabalho a pé, depois do almoço na casa dos meus pais, uma senhora passou por mim, do outro lado do passeio, e disse “Uma hora pequenina!”.
E eu, surpreendida respondi “Muito obrigada!”.
Que querida.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Percalço

A designer/ estilista/ criadora (eu sei lá como é que lhes hei-de chamar) que está a tratar do vestido de noiva da mana do F. apanhou o vírus H1N1… e a nossa noiva ficou stressada.
Agora tem que esperar que a dita modista-chique fique boa para fazer a prova final. Ai que nervos! Coitada a M. (a noiva) está prestes a ter um colapso.
Pensamento positivo: faltam três semanas para o casamento… a senhora-estilista até lá cura-se.

Problema de comunicação

Que eu digo uma coisa e do outro lado a mensagem não é recebida da mesma forma, já se sabia. Uns dias melhores outros dias piores. Tinha encomendado um baby que no máximo pesasse 2.900Kg, já com muito boa vontade, e ontem na ecografia (a última) o médico informa que o Francisco já pesa 2.492Kg (and counting). Quero com isto dizer que o médico nazi disse que a criança vai ganhar mais um quilo (pelo menos) e que tem um percentil acima da média… passo a citá-lo “sem menosprezo para a mãe, mas o Francisco sai ao pai”.
Ainda houve tempo para vê-lo a mexer os olhos (que giro!), abrir e fechar a boca, mexer a mão… confirma é mesmo um bebé.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

No fim-de-semana...

Sábado foi dia de ir ao almoço pré-casamento da mana do F. E o que é isto? O pai do noivo (que é separado da mãe) quis dar um almoço para que os seus convidados conhecessem o novo lado da família antes do casamento. A princípio a ideia pareceu-me esquisita mas afinal resultou muito bem, foi mesmo uma boa ideia. E assim, o pai fechou um restaurante na Ericeira para os seus 50 convidados, mais a família mais próxima da noiva e respectivos padrinhos de casamento. Foi mesmo giro, o ambiente não poderia estar melhor, a comida do “Tik Tapas” mais que aprovada, e adorei conhecer os padrinhos do noivo, super queridos.
O objectivo foi mais que conseguido, houve uma grande empatia entre os vários convidados, correu muito bem. O “segundo” café foi na casa do pai, que estava tão bem decorada, ao mais ínfimo pormenor, que não me importava nada de morar lá.
No domingo, mergulho de fugida no Guincho (estava tanto vento que parecia um encontro internacional de windsurf e kite-surf) e passeio/ lanche com o sobrinho Estrelinho, que está gigante, já diz quilos de palavras (bolacha com um mix de “chachacha” é a minha favorita) e tem medo de ir às cavalitas do tio Pipo.
Decidi experimentar um novo sabor no Santini (correm sempre mal estas experiências) melancia, que era uma bela porcaria. Não aprendo. Hoje ainda não tinha dito isto…

34 semanas

Nos últimos dias qualquer pessoa que se cruze comigo diz-me “está quase…” e eu acho um exagero… Não estou a dar pelo tempo passar, é um facto. Da minha perspectiva, de cima para baixo, não noto diferença no tamanho da barriga, a única novidade assinalável é que quando estou sentada, dá para pousar o pratinho da torrada em cima da mesma. De resto parece-me tudo igual. Bom, já vários vestidos não me servem, as mãos e os pés estão assumidamente inchados e na batalha contra o cansaço não sou uma rival à altura.
Ainda não estou a ver que tenho um bebé dentro da minha barriga, e muito menos que vai viver lá para casa. Pensando assim: em Novembro já tenho um filho nos braços é… estranho, que no Natal já há mais um membro na família é esquisito. E porque ainda não estou bem a ver o turbilhão de emoções que vem por aí… não estou preocupada. Para mim ainda falta uma eternidade para o dia do parto. Se calhar em Outubro quando a contagem decrescente começar à séria, talvez volte a dormir (sempre para o lado esquerdo) sobre o assunto. A ver vamos.

domingo, 20 de setembro de 2009

Malas à porta

E hoje finalmente fiz as malas para levar para a maternidade, a minha e a do Francisco.
“Caro senhor, quando quiser chegar é só dizer. Estou às suas ordens!”

Vejam o vídeo

E mais não digo.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Experimenta Design

Já começou mais uma edição da Experimenta Design (a 10ª para ser mais precisa) e que vai durar até ao dia 8 de Novembro. A não perder uma lista infindável de exposições, conferências, ciclos de debate e cinema sob o tema “It’s about time”, uma edição sobre o “tempo” em todas as suas vertentes. Destaque para a reabilitação urbana, que vai ser visível no Jardim de Santos há tantos anos caído no esquecimento, e para a responsabilidade social com o projecto “Efeito D” (um trocadilho com a palavra “defeito”) que pretende ajudar crianças com síndroma de Down, e que desafiou vários designers a criar peças que também marquem pela diferença. Por exemplo, Fernando Brizío criou uma mesinha de cabeceira intitulada “The big drawer”, que tem uma gaveta enorme aberta, que nunca caberia dentro deste móvel. Só vendo.

Mais informações no site oficial www.experimentadesign.pt.

"A ExperimentaDesign Lisboa 2009 vai olhar para o tempo enquanto material, recurso e desafio: tempo para pensar, tempo para colaborar, tempo para reflectir.Está na hora. E vem mesmo a tempo".

E novidade da semana…

… mãos inchadas por dois dias consecutivos. Quero as minhas mãos de volta!

Máquina fotográfica, o drama

Durante as férias grandes a minha querida máquina fotográfica avariou-se… ainda em Agosto pusemos o dito aparelhómetro no representante, a Nikon, que nos fez um orçamento (a pagar independentemente de ficar lá a arranjar ou não… é só regalias!) de 180 euros para voltar a pôr a objectiva no sítio. Obviamente recusámos, agora poderemos esperar até 8 dias até que a máquina volte do laboratório, para a podermos levantar. Que rapidez…
Ora com estas demoras todas (ah! Enviaram-nos o orçamento por email, que não chegou, ligámos para lá, e a resposta que tivemos foi “de facto é possível que não tenham recebido porque tivemos com problema no servidor”. Que competência!) falta um mês e meio para o Francisco nascer e a máquina nunca mais fica arranjada…
Agora ainda vai a arranjar para outra loja e portanto a previsão para ter a máquina pronta é lá para o início de Outubro.
Com tantos dias do ano para se avariar, tinha que ser agora… Quero a minha máquina de volta!

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Imbróglio

E eu que queria que o momento do parto fosse só meu e do F. parece que vai ser complicado… a família dele quer ir em peso para o hospital esperar que a criança nasça. Como já estava pouco stressada e ansiosa agora tenho mais este extra para me preocupar. Dá para respeitar a minha vontade? O Francisco parece que é de todos menos meu.
Fico muito feliz que estejam todos na maior excitação com o novo membro da família e que me queiram apoiar, mas naquele momento quanto menos confusão melhor. Só vou querer paz e sossego. Parece que estou a pedir muito.
Quando acho que já tenho muito com que me preocupar aparece sempre mais alguma coisa… Ainda bem que vou ter o bebé num hospital público, um local com horários para cumprir.
Alguma sugestão para contornar esta questão?

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Maratona 2

E porque os meus leitores são muito despachados… a E. acrescentou mais umas coisinhas ao nosso fim-de-semana de conbibio. Ora domingo, antes da hora do almoço fomos visitar o Tio T. do Porto à CUF e aproveitámos para estar com o resto da família.
A seguir, e a caminho do Guincho apanhámos uma estrela que andava de patins na ciclovia, e já na praia eles aproveitaram para dar um mergulho, antes do almoço com a Cata e o Pica. Um verdadeiro almoço de Verão, do qual só senti o cheiro…sangria, pimentos padrón… Para sobremesa mais um mergulho, desta vez também fui. Estava um dia fantástico no Guincho, sem ponta de vento, e não havia quase ninguém na praia. Uma maravilha.
Ao fim da tarde, lanche com os primos C. e F., com direito a Santini, “Padrinho” e presentes bem giros para o Francisco.
Foi mesmo uma semana cheia.

Na semana passada esqueci-me…

de dizer que o Francisco já está de cabeça para baixo, a primeira aula de preparação para o parto do F. foi uma seca para ele, chegou a uma altura em que ele estava com a cabeça apoiada na mão, e o respectivo cotovelo apoiado na perna. Se é que estão a conseguir ver o ar dele…

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Maratona

E tal como tinha dito, o mês de Setembro foi escolhido para pôr família e amigos em dia, e “despedir da boa vida”. Aproveitar enquanto quem determina os horários lá em casa ainda somos nós.
E esta semana até ao domingo vai ser uma verdadeira maratona: terça foi dia de fazer tricôt de grávida, de trocar informações com a M. (acabamos sempre por ter coisas novas para dizer uma à outra) e de ver as mudanças que o Quique anda a fazer lá por casa. Á noite peixe cozido para toda a gente, e tivemos a amiga E. a jantar lá em casa, só a ela é que oferecia peixe cozido (juro que não a queria mandar embora).
Ontem, foi dia de ter a cunhada e o noivo a jantar (também) lá em casa, queria porque queria ver o quarto do Francisco. E quem sou eu para contrariar. A reacção dela foi mesmo gira, a ver tudo ao pormenor… e depois ficou agarrada ao berço a olhar lá para dentro, e não queria sair dali. Muito cómica.
Sábado é dia de almoço com os sogros, lanche infantilóide do primo G. que faz 4 anos, e jantar da amiga J. que faz 30 e aproveitar para ver os amigos católicos. No domingo, café com primo C. e prima F. Uff!
Isto tudo… sem máquina fotográfica! Só me apetece é chorar.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Arriba... arriba...

Já não aguento mais notícias sobre este vírus. Por variadíssimas razões, primeiro, e principalmente porque estou grávida., porque as notícias não passam de uma mera contagem das pessoas infectadas, porque os media só se focam nas desgraças, porque o nosso Governo ainda não fez nada para travar esta pandemia, porque a informação disponível (relativa às grávidas) é inconclusiva, porque ainda ninguém percebeu quando é que chega ao nosso país a dita vacina. Como já tinha pouca coisa para me preocupar… tinha que vir esta gripe.
Evito ao máximo estar em locais públicos cheios de gente (deixei de ir ao cinema, por exemplo), deixei de fazer viagens para o estrangeiro em trabalho (agora só deslocações nacionais), quando tenho que ir às compras não toco em nada, botões de elevador, portas, corrimões…. Mas é inevitável não tocar no multibanco (como é que pago as contas?), ou no carrinho das compras.
Sim, estou um bocadinho paranóica. Estou a pensar seriamente em fazer uma promessa, para pelo menos não apanhar este vírus durante a gravidez, e pelo meio lavar muitas vezes as mãos.

Casório da prima 2

Outra situação a destacar deste casamento.
Quando chegámos à igreja, encontrámos logo um dos primos a que sou mais ligada, o F. e respectiva mulher (damo-nos muito bem com este casal) e a primeira coisa que o meu primo faz é gozar connosco, eu e a mulher (a C.), porque estávamos as duas com vestidos da mesma cor*.
Ao que a C. responde: “Ah não faz mal, ela está grávida”.
E eu agradeci a gentileza.

*Aliás era a cor predominante. Estamos a falar do roxo.
Bem que a senhora da loja da Pedra Dura avisou, “olhe que todas as clientes que querem comprar bijutaria para casamentos vão de vestido roxo ou verde”. E de facto confirmou-se.

Casório da prima

Sábado foi dia de ir a mais um casamento, desta vez de uma prima do lado paterno, e como já é tradição neste lado da família, quem celebrou esta união foi o meu tio padre. Até aqui tudo bem. O problema é que eu gravidérrima tive que apresentar o F. ao meu tio (das poucas pessoas que ainda não conhecia).
E assim de uma cajadada só meti-me em apuros. Das duas uma:
• Ou estou casada, e foi outro padre que celebrou a missa (o que é uma afronta familiar)
• Ou não estou casada, e estou grávida, a viver em pecado com o meu namorado (o que ultrapassa a afronta, é portanto um sacrilégio aos olhos de Deus)
E então apresentei-o ao meu tio só pelo nome, sem dizer qual era a sua ligação a mim… Ao que o meu tio, que não estava nada a perceber aquelas apresentações perguntou-me de quem é que ele era? (tradução: era filho de quem?), e eu respondi em tom de brincadeira que “era meu”. Baralhação completa. E no meio do stress da noiva a chegar à igreja, e nós a entrar, a conversa ficou por ali.
Horas mais tarde, o tio padre esteve a falar com os meus pais na Quinta do copo de água, e perguntou por mim (!?), como é que estava, o que é que andava a fazer… Ou seja…não me tinha reconhecido (sim, não nos víamos há muitos anos). Moral da história, veio falar comigo outra vez, a pedir desculpas por não me ter reconhecido… e nós os dois a falar, com uma barriga de grávida no meio, e sem tocar no assunto.
Não tenho mais comentários a fazer.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Replay

Tem sido uma animação montar o quarto do Francisco. Já só faltam pequenas coisas, pequenos detalhes, e tal como na montagem do resto da casa, todos quiseram dar o seu contributo. Os avós foram os principais intervenientes: a minha mãe a pintar o quarto e a reciclar móveis (digamos que a avó Catarina é um concentrado da equipa do “Querido mudei a casa”), o meu pai a pendurar o varão dos cortinados, a tia G. a fazer lençóis de raiz e os avós paternos a oferecerem também boa parte do recheio. Vistas bem as coisas os quatro avós e a tia favorita do F. ofereceram tudo. Quando penso no que é que eu ofereci ao meu filho… ficamo-nos por um body com gola e uma moldura. Mais nada.
A faltar mesmo para o quarto estar pronto só uns bonecos que a prima-artista vai desenhar nas paredes, no segundo fim-de-semana de Setembro, e uns origamis e outras artes em papel feitos pelo primo R. que vão encher (finalmente!) o candeeiro do quarto.
Como a minha mãe costuma dizer eu “faço tudo com as mãos dos outros”, e eu digo em minha defesa que sou a criativa. Alguém tem que ter as ideias! E luzes é o que não me falta!

Setembro em Lisboa

E afinal já só vamos regressar a Tróia para o ano. A praia é fantástica e toda aquela lenga-lenga que se sabe, mas se eu precisar de alguma coisa não tenho onde ir… só por ferry e dependendo das horas, senão tenho que ir dar a volta por Alcácer para chegar a um hospital… Não vamos arriscar. E assim sendo, vamos começar a pôr família e amigos em dia.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Os outros pais

O bom de já termos muitos casais que nos rodeiam com filhos, é que podemos ver o que vamos querer repetir e não fazer de todo. Aprendemos com os “erros” dos nossos amigos, e observamos em versão “low-profile”. Temos os nossos pais favoritos e lá por casa vamos debatendo o que faríamos na situação X e Y. Nem vou arriscar a dar exemplos, porque estou fartinha de engolir crocodilos (sapos, já era), mas tenho a perfeita noção que eu vou ser o “bad cop” e o senhor F. o “good cop”. Nada de novo, portanto.

Curso de preparação para o parto

Hoje tive a minha primeira aula, uma turma grande (12 grávidas) e bastante homogénea em muitas coisas: exercício físico nem vê-lo, quase nenhuma com excesso de peso e a maioria com profissões “cheias” (a terapeuta da fala, a arquitecta, a marketeer, a directora comercial, a técnica de marketing etc…). Não faltou também no ramalhete uma adolescente acompanhada pela mãe, que mal deixava a rapariga falar, respondendo a quase tudo que era perguntado à sua filha e a brasileira que tinha como única profissão tomar conta de um idoso 4/5 horas por dia e que ia ter o filho na CUF. Aliás, quase ninguém vai ter o filho no Hospital onde este curso decorre.
Todas tinham a sua particularidade: tínhamos a fumadora (que confesso que me fez muita confusão), outra que tinha lido num livro de grávida que deveria comer 5 porções de fruta por dia (!?) e beber sumos de fruta (e está com diabetes), a grávida irritante que não lhe doía nada, nunca enjoou, dorme lindamente, não tinha nada de nada, só barriga, e no outro extremo a que antes de vomitar tinha que ir à casa de banho fazer xixi primeiro, porque sofria de incontinência, ou ainda a tal brasileira que ainda vai nas 28 semanas e já tem 12 quilos em cima.
A enfermeira que dá o curso é bastante simpática, paciente, boa comunicadora e educada. Pais presentes… apenas 5. O F. vai começar a ir a partir da próxima aula.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Divórcios à vista

E em menos de 2/3 meses, casais que já estavam casados há 8 anos e tal (primos mais velhos) separaram-se. De repente, dois casais vão oficialmente separar-se, outro casal já se separou (mas ainda não é oficial) e outro parece que está em vias de… Más novidades assim tão rápido e de repente até fazem mal à digestão. Pela lógica, e na linha da sucessão, eu e o F. somos os próximos…
Fico sempre triste com estas notícias… mas se calhar é melhor assim, não vale a pena insistir no que não tem solução. Não dá, não dá.

Férias Grandes

E falta um dia para acabarem as minhas férias grandes. Foram 15 dias que deram para descansar, e que se passaram entre Moledo e Tróia.
Em Moledo, as férias foram também um ponto de viragem: os amigos com quem costumamos estar, estão todos casados e cheios de filhos. Assim de um ano para o outro. Sem mais nem menos as rotinas mudaram… para pior, a meu ver. Andámos desencontrados.
E ainda: o M. teve as primeiras aulas de condução com o F., andei a receber parabéns pelo Francisco de quilos de tios, a tarde da praxe na piscina da tia G., uma tarde na praia de Sta. Tecla, mais presentes para a nossa criançola, o Gaudí é o chefe da matilha e mordeu o primo SenhorSouza (só para mostrar quem manda) que foi directo para o veterinário com o focinho a sangrar e com uma unha a menos, conversas no alpendre até às tantas, muita sorte com o tempo, circo em todo o lado e o carro do “Homem-bala” que se fazia anunciar às 11h00 sem falta, os caniches afinal são só pretos, pequenos, médios e grandes, o border collie Diego que está mais crescido saltava a vedação sempre que queria ladrar mais de perto a um cão que fosse a passar na rua (o cabo dos trabalhos), a nossa máquina fotográfica levou um pequeno toque do Diego e ficou avariada quase as férias todas (estamos a aguardar orçamento em profunda depressão), a festinha inesperada da Carminho na minha barriga, a nova empregada lá de casa era uma verdadeira personagem e sempre que dizia qual a data prevista para o parto, alguém me pedia uma data especifica porque era o seu aniversário (descobri que meio mundo faz anos em Outubro… até eu!).
Em Tróia, para a despedida, tivemos os melhores dias de praia de sempre, este fim-de-semana esteve no ponto.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Por falar em casamentos…

O segundo, e último, casamento que vou este ano vai ser a 10 de Outubro, vou estar uma super baleia, recordo que a data prevista para o parto (medo!) é dia 29 de Outubro, e para ajudar à festa vão estar mais 4 grávidas neste mesmo casório… Com a sorte que tenho, outra das baleias leva um vestido igual ao meu. É que a probabilidade é grande, por três razões:
1. Comprei o vestido nos saldos
2. Não foi propriamente numa loja exclusiva (Lanidor)
3. E tendo em conta o formato do nosso corpo, falo em nome das baleias, não há assim tanta variedade no mercado…

Bom, bom, era que uma top-model levasse um vestido igual ao meu. Nesta situação só me restaria “nadar” de fininho… a ver se não dava muito nas vistas. Ou então, quem sabe, pôr uma jarra em cima da barriga e fazer de mesa… Enfim, o que não me falta são planos B.

Informação aos ouvintes

E antes que me esqueça, como por vezes acontece… este blog vai de férias no sábado e só regressa (mais redondo ainda) no dia 1 de Setembro.

Estado de graça

A cada dia que passa estou cada vez mais uma mistura de Dolly Parton e Homer Simpson, um bocadinho mais da segunda personagem.

E… (nada a ver) não meço bem as distâncias entre a minha barriga e os objectos no geral, não dou o devido desconto, até parece que fiquei grávida ontem…

Corte de cabelo, a saga

E mais uma vez fui cortar o cabelo, e mais uma vez não ficou como eu pedi, e mais uma vez não gostei do efeito final…

Último fim-de-semana em Agosto em Tróia



No fim-de-semana que passou “despedimo-nos” de Tróia, só lá iremos regressar em Setembro, pelo meio temos 15 dias de férias, e o primeiro casamento da temporada.
Para não variar (e ainda bem), tivemos visitas, desta vez foi a mana M. e o noivo, que ganham o prémio dos mais sortudos com o tempo. Esteve um sábado fantástico, e tivemos como bónus dois golfinhos que passaram aos saltos no mar, a poucos metros da praia. E é claro que registamos o momento. O F. tirou uma foto de um golfinho com um peixe na boca em pleno salto (foto abaixo). Lindo!
Á noite fomos jantar ao restaurante da praia, e estava uma temperatura fantástica e foi de facto diferente ter de atravessar a areia para chegar ao local do repasto. A empregada que nos atendeu não tinha os parafusos todos no sítio (é karma!) e de vez em quando o seu discurso não fazia muito sentido…

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Post tudo ao molho...

O post que se segue é uma grande salganhada porque não tenho tempo para mais:

• No fim-de-semana que passou recebemos em Tróia, sim comprámos a localidade, a Família Quique. Muita praia, refeições na varanda, conversas sobre tudo e mais alguma coisa, um BMW que foi um óptimo companheiro de viagem, F. a tentar dominar o papagaio, muitas fotos (que ficaram bem giras), três vivas para o pára-vento e senti o Henrique! Destaque para uma situação insólita na praia: uns pais a tirar fotos a cair para o pornográficas, do tipo o pai a agarrar as maminhas da mãe (que estava de topless) e a filha, que deveria ter uns 5 anos a fazer de fotógrafa… O F. claro que fotografou este momento muito sinistro.

• O meu sobrinho-lindo Zé Maria lá nasceu por si, no dia que estava marcada a indução, a 1 de Agosto. Não é parecido com ninguém, mas com ele mesmo (opinião de todos os que já o visitaram), a mãe estava com óptimo aspecto, nem parecia que tinha acabado de ter um filho. O rapazola pesa 3,500 e não consigo imaginar como é que tamanha criança saiu da barriga da J. E claro que já o tenho dentro da minha máquina fotográfica.

• De vez em quando penso no parto, e não estou mesmo a ver como é que o Francisco vai sair daqui. Sem medos digo que tenho medo. É que não estou mesmo a visualizar mesmo a situação…

• A minha barriga cresce de dia para dia e as minhas t-shirts encolhem, é um fenómeno.

• O Francisco mexe-se cada vez mais, e os movimentos tendem a ser rebuscados/esquisitos. Esta criança ou vai ser baterista, ou Fred Astaire… ou qualquer coisa que implique muito movimento. Não sei onde é que ele foi buscar tanta energia… E se sair ao pai (leia-se terrorista) vai passar grandes temporadas nas casas das tias-queridas. E quando acabo de escrever este post levo mais uns pontapés ou qualquer coisa do género, que é para não me estar a queixar.

• Bem, malta, vou descansar para o sofá… Até breve.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Pontualidade nem vê-la

Ora era só para ficar registado que o meu sobrinho Zé Maria já devia ter nascido ontem (prazo limite) e ainda anda pela barriga da mãe… Gostávamos todos de saber do que é que sua excelência está à espera…

Irmandade Secreta do Tricô

E soube hoje que a Irmandade Secreta do Tricô (IST) tem mais um membro. E mais não posso dizer porque estou a escrever este post sem ter falado com a visada… mas é que estou tão feliz que tinha que marcar este momento! Parabéns!!!

Caixa exclusiva IKEA

Definição de exclusivo: restrita, particular, privativa, privilégio, especial…

De todas as vezes que fui ao Ikea, desde que estou grávida, e fui pagar na caixa EXCLUSIVA para grávidas, crianças de colo e velhinhos, há sempre alguém que tenta pagar nesta caixa sem cumprir os requisitos… Uma vez foi um casal, depois de avisados pelo empregado da caixa, ele disse que era deficiente (assim que ele disse isto, a mulher pirou-se logo para outra caixa), perguntou qual o grau de deficiência que tinha que ter, e o senhor da caixa a explicar que tinha que ter um atestado médico que o comprovasse… Ele que tinha bom ar estragou logo tudo com tanta estupidez. Ficou lá décadas a insistir.
Depois outra vez foi um homem a dizer que estava manco da perna, se não dava para ser atendido… e ontem foi a gota de água: um casal que estava na fila foi avisado da exclusividade da caixa, ela, brasileira, começou logo a dizer:”Ah! Então se é preciso estar grávida, eu estou grávida”. E a senhora da caixa a explicar que quando não é visível tem que ter um comprovativo, e a brasileira a levantar a t-shirt a mostrar o pneu e a falar no néném (não faço ideia como é que se escreve nesta língua), e a levantar o tom de voz e a fazer a maior peixeirada. E a perguntar à senhora da caixa se estava a desconfiar dela…um filme, a senhora da caixa teve que a deixar pagar… E por acaso, atrás estava uma grávida (de verdade) para ser atendida…

Até agora consegui-me controlar e não defender o senhor da caixa…até agora… Dizem os especialistas que as grávidas de verdade ficam “alteradas”, quantos mais meses têm em cima…

Nota: Roguei uma praga à brasileira para não ser espertinha.

Nova perspectiva

Na minha primeira consulta com uma Obstetra… quando chegou a altura de me pesar, a médica perguntou, então diga-me lá quanto é que marca na balança? E eu simplesmente não conseguia ver nada, nem pés, nem balança e muito menos os números, não dava. Foi uma situação estranha. Quilos à parte, gostei muito da obstetra, só foi pena ter saído da consulta às 10 da noite…

quarta-feira, 29 de julho de 2009

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Sábado por Lisboa

Para variar ficámos por Lisboa este fim-de-semana. No sábado, parecia que estava tudo contra nós para não ficarmos no Guincho. Primeiro estava vento, mas tolerava-se, depois com areia à mistura, mas tolerava-se e por fim quando estávamos deitados na toalha de olhos fechados, a lutar contra as intempéries, só ouvimos uma senhora a gritar (não nos lembramos o que é que ela disse), mas a minha reacção foi levantar e agarrar a mala. Foi tudo muito rápido. E em segundos, uma onda rasteira-matreira ensopou-nos as toalhas de uma ponta à outra, agora não tínhamos mesmo como ficar na praia. Fomos os únicos atingidos pela onda, porque a dita só fez a curva onde nós estávamos, de resto não se aproximou da areia mais do que costume…
Na fila do Santini encontrámos por acaso a Presidente da Junta, e ficámos a saber que o Salvador já começou a andar. Ainda ontem nasceu….
Sentados perto de uma esplanada a comer um gelado que sabe sempre a pouco, fomos brindados com uma animação de rua, dois homens e duas mulheres mascarados de pescadores/ peixeiras à antiga, fizeram o maior alarido, mais do que possam imaginar. E por tudo e por nada faziam trocadilhos/piadas com os mais variados peixes: “Pcht, calula!”, “Quem não tem cão, caça com peixe-gato”, “para mim é pão-pão, peixe-peixe” etc… etc… Era impossível não rir com tanta parvoíce.
Antes de um jantar lá em casa com a família do F. (o pretexto era verem o quarto do Francisco), ainda demos um saltinho ao Aki e ao Staples… há sempre coisas a faltar… O jantar foi muito giro, e a Tia R. que se tinha oferecido para levar as entradas, levou tanta coisa, que vamos ficar semanas a comer quilos de queijos…
O Francisco recebeu mais presentes da tia e da avó.

Segunda casa

Quase que arrisco a dizer que o Ikea, Aki, Leroy Merlin,Staples, Zara Home Kids, Area e afins viraram a nossa segunda casa. O escritório sempre esteve com um ar semi-acabado, com restos dos nossos quartos de “solteiros”… mas agora com a chegada do Francisco voltámos às obras de fundo.
Pintar de novo (a azul de macho), forrar a tecido o armário antigo da minha avó, comprar novas estantes, reciclar uma mesinha de cabeceira, comprar novas peças de mobiliário para o quartinho do Francisco e esperar por mais uma visita da prima-artista que vai fazer novos desenhos nas paredes. Finalmente o antigo escritório vai ficar como eu gosto. Estou em picos para que fique pronto. E já falta pouco.

domingo, 19 de julho de 2009

Oficialmente, baleia

E de um dia para o outro passei do comentário/ pergunta: “Está grávida?!” para um “Então isso está quase!”. E eu respondo sempre: “Ainda falta muito, é só em Outubro…”.

Tróia non-stop

Não há mesmo nada para contar… o máximo de acção que tive foi partir as armações dos óculos de sol no segundo dia de férias (que deu imenso jeito), e portanto para ler um livro na praia arriscava-me a ficar estilo-Camões porque a qualquer instante poderia saltar uma lente… De resto recebemos a visita de mais uns primos a “família Bernardo”, o Gaudí tentou violar mais uns quantos estranhos, muitas fotos à barriga, e dias a fio com a praia quase sempre vazia (vá, num dia cheio, tínhamos cerca de 30 pessoas na praia!), num dos dias apanhámos uma instituição de rapazes que foi passar o dia todo para a praia e os nomes (continuo a reparar nos nomes de tudo o que é rapaz) eram do género: Sandro, Ruben, Igor, Ivan, Renato… (aqui ficam algumas sugestões para quem precise).

De regresso

Este blog esteve de papo para o ar durante uma semana… e está de regresso. Uma semana de férias a meio de Julho soube mesmo muito bem…e por incrível que pareça não estou com neura. Será porque em Agosto tenho mais uma quinzena sem fazer nenhum?
Uma semana inteirinha em Tróia só a fazer praia, sestas e a passear o cão. Foi muito duro! Estou assumidamente a despedir-me da boa vida.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Despedida da barriga da J.

E finalmente os católicos conseguiram juntar-se todos com um propósito muito nobre: despedir da barriga da J. O nosso sobrinho está quase quase cá fora, e era uma pena não tirarmos umas últimas fotos aquele barrigão. A J. está uma grávida fantástica, também quero ficar assim no fim da gravidez, estava muito jeitosa.
O encontro foi na casa da J. e aproveitámos para ver o quarto já montado do Zé Maria, que tem um berço de família muito fofinho. A conversa foi à volta de um sorbet de tangerina do Pingo Doce muito bom. Recomendo a compra.
E para não variar falámos uns por cima dos outros, e com muita gargalhada pelo meio. O Francisco fartou-se de mexer e todas as tias conseguiram senti-lo. Os tios J&J aproveitaram a oportunidade para oferecer um brinquedo muito querido ao Francisco.
Foram todos ao encontro menos a A.Larika porque ficou sem electricidade em casa (esta rapariga inventa com cada treta).

Da próxima vez que vir a J. vai ser na maternidade da Cruz Vermelha… que excitação.

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Confesso que não gosto muito de ti avó...

Em sentido!

Ontem foi dia de fazer a ecografia morfológica (estava tudo bem) e o meu médico (que é muito conceituado no meio) fica sempre muito “aceso” quando defende as suas ideias.
Ninguém escapou à sua crítica.
Disse mal dos 1001 cremes anti-estrias que existem no mercado para as grávidas, que não têm bula, e deviam ter. Que muitos dos ingredientes são potencialmente cancerígenos, mas que a indústria trata de contornar essa questão. No entanto ainda há esperança, parece que a União Europeia já está a começar a regulamentar isso (assim que tiver mais informações publicarei aqui no blog).
Então e qual foi a solução que ele apresentou? Óleo de amêndoas doces, não só para a grávida mas também para o bebé quando já estiver cá fora. E passo a citá-lo “todos os meus filhos só usaram óleo de amêndoas doces e nada mais”. E para além disso alimentação saudável, muita água e exercicío, são os melhores remédios para não ter estrias.
Depois criticou as mães e avós que acompanham a grávida nas ecografias e que dizem que no tempo delas comiam como se não houvesse amanhã, e as crianças nasciam todas saudáveis, que engordavam 100 quilos e não havia problema nenhum para a saúde dos bebés. O médico a fazer as vozes das mães e avós tinha muita graça.
E depois os obstetras ainda levaram por tabela porque não acompanham as grávidas como deve ser e que dizem que podem comer tudo, com conta peso e medida, quando não é verdade!
Enfim, sai de lá em sentido. O F. rejubilou com a conversa.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Santini-expresso

E depois de tentar combinar, no mínimo 50 mil vezes (fora de exageros) um café com a C.S., finalmente conseguimo-nos encontrar in loco, e pôr a conversa em dia. E foi muito bom fazer um tricôt de amigas e comer um gelado sem os olhares reprovadores de aquele que todos nós sabemos o nome. A repetir.

Francisco anda na montanha-russa

Ora na semana que passou fui a uma apresentação de uma pick-up, algo completamente novo para mim. E de uma sala pacata na Av. Da Liberdade dei por mim a trepar montes e valas em Alenquer. Nunca este bebé saltou tanto na vida, e o colega com quem fazia dupla, era super cuidadoso a conduzir e andava o mais devagar possível, mas em certas situações, como subidas íngremes, tinha que acelerar um bocadinho se não ficávamos enterrados.
O que salvou o dia foi o almoço na Quinta do Convento, com comida fantástica e uma paisagem de perder de vista. Não me importava nada de morar ali…


Fumo branco

O F. divulgou hoje o nome escolhido para o nosso bebé (ainda é esquisito dizer isto) no messenger, portanto para uma boa parte dos meus leitores já não é novidade… ora ficou mesmo decidido que se vai chamar Francisco. Era de facto o único nome que tinha consenso entre nós os dois desde o início, e o único que gostávamos verdadeiramente, todos os outros nomes soavam a segunda hipótese, fraquinhos…

E para que certas pessoas se deleitem comigo a engolir mais um sapo, caramba não aprendo, o bebé cá de casa vai chamar-se Francisco Maria, o segundo nome a pedido do pai que gosta da combinação e pelo caminho aproveita para homenagear a sua avó materna.
Glup! Sapo engolido. Venha o próximo.

Preparativos

Lá em casa andamos na excitação com a preparação do quarto do bebé: o sofá do escritório já foi para Tróia, o armário dos shots já foi esvaziado e está pronto a forrar de tecido para pôr as roupinhas miniatura (parece-me tudo tão pequeno!), e as velhas prateleiras já foram para a arrecadação e deram lugar a umas todas modernaças do IKEA. O F. hoje foi fazer umas trocas à dita loja e não resistiu a comprar mais umas coisinhas. Vai ficar mesmo giro.

Próximo passo: mudar a pintura da árvore tenebrosa e invernal que ainda lá mora…

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Primeiro prémio para a “Tocador de barriga” (so far)

Ontem numa loja de acessórios à procura de uma mala para os dois casamentos que vou ter em breve (Setembro e Outubro, respectivamente), a empregada super solícita, deu a volta comigo pela loja como se estivéssemos no paraíso. A festa total. De repente, e do nada pergunta/afirma “está grávida!”, e eu pensei “queres ver que eu não telefonei à senhora da Acessorize?”. Ao que respondi “É verdade!”, e ainda não tinha acabado a frase, já o Nico estava a ser massajado de alto a baixo. Naquele momento não me ocorreu nenhum dos truques que o livro de grávida ensinava (não tossi, não gritei como se fosse um assalto nem colei a minha mão na barriga da rapariga). Fiquei estática, petrificada sem saber o que fazer… Longos segundos depois tirou a mão da minha barriga e voltei a respirar normal. Claramente eu não sabia o que fazer… Antes de sair da loja levei mais umas festinhas na barriga para a despedida, e muita sorte para a gravidez/ parto. O rapaz que estava na loja, o outro empregado, só se ria…

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Mitos da gravidez

Ficaria aqui a noite toda só para escrever a lista essencial… mas vamo-nos focar em três pontos: comer como se não houvesse amanhã, ninfomaníaca e lerdice.
Ora no primeiro ponto, não dei por nada, continuo com a mesma vontade de comer de sempre, ou seja, nenhuma. Continuo a manter o traço da infância em que a minha mãe chegava ao ponto de dizer (e ainda hoje diz) “se quiseres eu mastigo-te a comida”. E portanto porque não quero que o Nico passe fome, tenho que comer como uma pessoa normal, a muito custo, confesso. Transformei-me numa máquina de comida.

Ninfomaníaca, também não dei por nada, continua a ser seguro para o F. passear-se pela casa.

E por fim, a lerdice, e aqui tenho que admitir que passei a esquecer-me de tudo, a trocar/ esquecer datas, a não saber o que estava a fazer, não sei quem sou nem para onde vou. Neste momento pedir-me para tratar de um assunto ou dar-me um recado é a mesma coisa que falar para as paredes. Esqueçam! Porque eu também esqueci. Li não sei onde que o cérebro chega a encolher… o que me parece um pouco exagerado mas pensando bem, de repente fiquei sem espaço para nada. O F. já desistiu de se chatear quando respondo "esqueci-me..."

É um menino!*

Hoje às 7 e tal da manhã tivemos a confirmação que é mesmo um rapaz. Era suposto fazer duas ecografias, uma só ao coração do bebé com um especialista da área e a segunda, a famosa morfológica com o meu médico, mas uma emergência fez com que a segunda eco ficasse adiada para a próxima terça-feira, dia 7… Porque queríamos mesmo ter a certeza se era um menino ou menina, falei ao coração do especialista e pedi se podia espreitar para dentro da minha barriga. A medo fez-me a vontade e lá estava uma pilinha a nadar no infinito… A criançola estava a dormir toda enrroladinha, que fofinha, também àquela hora da madrugada não poderia estar a fazer outra coisa.

Cá em casa já se fazem planos para partidas de bola e ténis… e quanto a nomes ainda não há certeza absoluta mas em principio será Francisco. Outras hipóteses na mesa: Manel e João…

A J. assim que soube da novidade disse logo que estávamos a trabalhar para uma equipa de futebol… e só em filhos de amigos as contas são assim: Católicos (4 rapazolas a contar com o Nico), Faculdade (mais 2) e Parede (mais 4). Quando alguém me disser que vai ter uma menina, vou achar que é mito mas pensado bem, alguém tem que fazer de árbitro…

*Para que conste, este ponto de exclamação teria sido escrito com a mesma intensidade se fosse uma menina.

domingo, 28 de junho de 2009

A Apresentação

Lá fui eu a uma apresentação de um livro na quinta-feira que passou. Cheio de vips, muito pouco gang do croquete, e quilos de fotógrafos/ cameramans e jornalistas (a importância era por esta ordem). E porque de repente dei por mim no meio destas festas… reparei que alguns “famosos” vão à festa cinco minutos, literalmente, são fotografados, e vão-se embora. O que explica o facto de quando vejo as foto-reportagens dos ditos eventos não me lembrar de ter visto metade das pessoas que lá aparecem.

A apresentação foi muito emocionante, ou o tema do livro não fosse a trisomia 21. Estava a controlar-me para não chorar, e muitas pessoas da audiência também, e o facto de estar grávida não ajudou… (em todos os sentidos). O F. também ficou emocionado, e em 12 anos que o conheço vi-o chorar duas vezes (se não me falha a memória), só para terem um bocadinho noção do ambiente…
A apresentação correu muito bem, o local escolhido à beira-rio era perfeito, as hospedeiras muito jeitosas e o espaço estava a abarrotar.

Cheira tão bem...

A mãe avestruz aconselha a comprar o ambientador X porque sempre que vão lá a casa os ursos dos amigos do marido ver a bola, o filho porco convida os amigos gorilas para cantar karaoke, ou a amiga elefante vai lá a casa tomar chá… a casa cheira sempre bem.
E eu pergunto: “E isto é credível? Alguém vai comprar este produto porque uma avestruz casada com um urso aconselha? Ou será uma metáfora, e somos todos uns grandes animais que cheiramos tão mal, que só dá para conviver com um ambientador pelo meio?"

Não percebo esta publicidade e gostava mesmo de saber se funciona. Algum especialista que me explique!

Ah! E já agora: “Como é que uma avestruz e um urso tem um filho leitão?” Aqui há gato…

terça-feira, 23 de junho de 2009

29 de Junho

Falta menos de uma semana para saber se vamos ter um Nico ou uma Nica. No dia 29 de Junho, segunda-feira, de manhã vamos saber se os palpites dos especialistas e videntes, e já percebi que existem muitos, estão certos. As borbulhas, a barriga bicuda, a barriga redonda, o engordar ou não engordar etc, etc.
Certeza só há uma, alguém vai acertar…

Próximo…

Nas duas últimas duas semanas tenho tido pesadelos muito jeitosos, no primeiro o meu pai morria de ataque cardíaco e não chegava a conhecer o Nico, e no segundo sonhei que um tio meu tinha uma doença gravíssima e só tinha uma semana de vida… Enfim tenho tido um sono descansado. Vamos lá ver quem é que vou despachar da minha família já esta semana.

Desafio

E porque nesta gravidez não estou sozinha, para além da J. que está quase a ser mãe (falta um mês!) a M. está grávida do Henrique com quatro dias de diferença de mim. E porque gravidez não é só dor de costas e de pernas, decidi desafiar a M. para uma corrida nos carrinhos eléctricos do Continente.
Passo a explicar, o Continente tem uns carros eléctricos para fazer compras só para grávidas e velhinhos queridos, e adivinhem quem é que vai conduzir um brevemente? O desafio está feito, só falta marcar o dia!

Elogio ao Continente

Para que fique registado o Hipermercado Continente tem uma caixa EXCLUSIVA para grávidas e pessoas acompanhadas com crianças de colo. E qual é a diferença da concorrência? Chegamos à dita caixa tocamos à campainha e aparece uma senhora para nos atender a nós e mais ninguém. O que evita o incómodo de numa caixa prioritária ter de perguntar “não se importa que passe à frente?”.

Tróia e Companhia

No inicio da temporada em Tróia tivemos a companhia dos meus pais, no fim-de-semana seguinte a família do F. apareceu em peso com direito a churrasco para o jantar e tudo, e no sábado que passou foi a vez dos meus primos passarem o dia todo na praia connosco, ficarem para jantar e só regressarem a Lisboa no ferry da 1 da manhã. Vamos lá ver quais são os senhores que se seguem…

Nota: Temos ainda a companhia de um casal de andorinhas que decidiu montar ninho no candeeiro mesmo por cima da porta da nossa casa. O que mudou completamente a nossa entrada, nos dois sentidos, agora entramos devagarinho e sem fazer barulho para não as assustar…respeito pelos vizinhos é muito bonito.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Festa do social

Ontem por questões laborais tive que ir a uma festa do social (trabalho e social não combinam na mesma frase mas enfim) … daquelas organizadas em parceria por uma marca de carros conhecida e uma revista da imprensa cor-de-rosa. Nunca tinha visto tanta gente famosa por m2: Alexandra Lencastre, Ana Salazar, Manuel Marques, Raquel Loureiro, Bibá Pita, o quinteto do Fama Show, Telma Monteiro, Sofia Sá da Bandeira, Rodrigo Herédia, outros tantos estilistas, cabeleireiros, gangue do croquete, avós com vestidos mais curtos que os meus (quando eu digo curtos, digo que as senhoras não se podiam dobrar um milímetro sequer), alguns fósseis a morrer nos sofás, muita maquilhagem, muito botox, muita silicone e aposto um dente de ouro (que não tenho) muitos vestidos emprestados.
De destacar os quilos de focos de luz por todo o lado, os “croquetes” mais pequenos de sempre, um calor infernal (não havia ar condicionado) e aquela miséria engravatada toda não arredou pé da festa enquanto não foi sorteada a viagem de uma semana com tudo pago.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Os “tocadores de barriga”

Emprestaram-me um livro sobre a gravidez que é a minha cara, super prático, sem texto a mais e conversa pegajosa. E no capítulo reservado ao segundo trimestre da gravidez vem um tópico relativo aos “tocadores de barriga”, um tipo de pessoas das quais fujo a sete pés, e como o livro ironiza “vêm de todos os cantos do mundo”.
E quem são estes indivíduos? “Desconhecidos que têm uma vontade incontrolável de tocar nas barrigas salientes das grávidas”. Amigos e família é normal e não me incomoda de todo, agora estranhos… fico sempre sem saber onde enfiar a barriga... e o truque dos tops largos já não pega, porque já não é possível disfarçar.

Aqui vão algumas técnicas para “enxotar com delicadeza” estranhos que não têm noção:

“Vire-se ligeiramente ou dê um ou dois passos para trás afastando-se do transgressor”
“Vá falando. As pessoas tendem a não fazer o movimento de tocar na sua barriga a meio de uma conversa, por isso mantenha o contacto visual e não pare de tagarelar” (esta parece-me fácil…)
“Agache-se subitamente para atar o atacador do sapato” (caros autores do livro, quanto muito coçar o joelho, porque nos dias que correm atar um atacador requer uma ginástica complicada e estranha)
“Finja um súbito ataque de tosse”

Quanto às técnicas verbais, um pouco despropositadas, mas que sempre dá para rir só de imaginar a minha cara a dizer o que se segue a um estranho:

“Não, obrigada”
“Se quer tocar na minha barriga, vai ter de me deixar tocar na sua primeiro”
“Eu conheço-o?”
“Simplesmente grite: TIRE AS MÃOS DAÍ!”

Confesso que nas minhas experiências com “tocadores de barriga” não tive tempo nem para me aperceber da situação, foi tudo tão rápido que quando olhei já tinha uma mão estranha colada à minha barriga… Dava tudo para ter visto a minha cara…


segunda-feira, 8 de junho de 2009

Nico, cheio de pica

E este fim-de-semana o Nico fartou-se de mexer, o F. sentiu, a avó materna sentiu, enfim só faltou o padeiro… mais pessoas houvesse ao pé de mim…
Enquanto escrevo este post a criança continua a mexer, está me a parecer que vamos ter um Nico energético.

XS versus XL

A cada dia que passa despeço-me de uma peça de roupa, na dúvida se da próxima vez que a vestir me vai servir (algumas já só me servem nas orelhas) … O senhor F. é ao contrário (temos que ser sempre os opostos…) como está a elegância em pessoa, teve que ir comprar roupa não sei quantos tamanhos abaixo porque anda tudo a cair-lhe. Indecente.
Já para não falar nas alcunhas que me vai arranjando: Sancha (Sancho + pança), bola, e outros que tais…

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Dramático, diria eu

Prisões na Holanda encerram por falta de criminosos

“A secretária de Estado da Justiça, Nebahat Albayrak, anunciou o encerramento de oito prisões nos Países Baixos. O encerramento provocará a supressão de 1.200 empregos. Actualmente, o sistema penitenciário conta 14.000 celas, o que já não corresponde às necessidades reais, de apenas 12.000 celas. O excedente de celas explica-se pela baixa da criminalidade nos Países Baixos, sobretudo da criminalidade grave. Uma das medidas encaradas é a transferência de prisioneiros belgas, em sobrelotação, para prisões neerlandesas. Estão a decorrer negociações a este respeito com o ministro da Justiça belga Stefaan de Clerck. Enquanto o sistema neerlandês se debate com um excesso de capacidade, o sistema belga está precisamente em carência de espaço. A falta de celas na Bélgica é tal que pessoas condenadas a penas de menos de três anos, não são encarceradas. Em vez da reclusão, põem-lhes pulseira electrónica, o que, por sua vez, gerou uma falta de pulseiras. Nas próximas semanas, será tomada uma decisão relativa à transferência de 500 prisioneiros belgas para a prisão da cidade neerlandesa de Tilburg”.

Borboletas

Depois de ser portadora de um bebé durante quatro meses e uns quantos dias, e não dar por nada, só via mesmo a barriga a crescer, senti finalmente na semana passada (terça e quarta-feira, e sábado) o Nico a mexer.
Perguntei a tudo o que era grávida e mães qual era a sensação (era algo novo para mim, precisava de saber com o que contar) e cada uma descreveu à sua maneira: “parece um aranhiço”, “parece uma dormência”, “parecem borboletas”… A mim pareceu-me mais a terceira hipótese, um toquezinho muito leve e passageiro.

Soprar de velas

E ainda no mesmo domingo fomos assistir à minha amiga grávida-gémea a soprar 31 velas, agora que escrevo este post causa-me alguma estranheza uma festa só da M. e organizada pela própria.
Antes de nos cumprimentarmos, baby Nico e baby Santos deram o seu primeiro “passou- bem”, família e amigos reunidos.
Gostei do facto de haver comida “grávida-free”, das fotos da praxe, de pôr um bocadinho a conversa em dia e da casa cheia de crianças.
O F. conheceu finalmente a mãe da M. que foi uma grande amiga da tia dele.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Baptizado da Maria foi…

na mesma igreja onde vai ser o casamento da mana do F., ele aproveitou para rever amigos dos Maristas, o local do almoço e lanche foi na casa da M., na Malveira, e esteve um dia fantástico. Na mesa ficámos com os amigos divertidos do F., e mais um casal e respectivos três filhos (com tanta criança na festa, calharam-nos os terroristas, que apagaram a luz que iluminava a Nossa Sra durante o baptizado, fizeram guerras de garfos, correram de faca em punho pelo jardim, eu sei lá… tinha alguma graça porque não eram meus). A dita mãe disse-me tudo o que não se diz a uma grávida, dos horrores que passou nos três partos, e sangue, das enfermeiras antipáticas, e mais sangue… tudo o que possam imaginar para desmoralizar… Tentei acabar a conversa de todas as maneiras possíveis mas não deu, às tantas já não a estava a ouvir, ela não desligou, desliguei eu. Quanto aos comes e bebes (agora posso falar nestas coisas) tinham limonada, que adoro, tinham bacalhau com broa, que é o meu prato favorito, e um bolo de chocolate igualmente bom… só em momentos de festa é que tenho vontade de comer… porque nos outros dias é um castigo. A estrela da festa que celebrou um ano no dia 30 de Maio é super simpática: a fazer adeus e a cumprimentar toda a gente (mesmo durante o baptizado, quando deveria estar super concentrada). Um domingo diferente e muito agradável.

Jantar em Belém

A sogra fez anos e fomos os 8 do costume comemorar para um dos vários restaurantes que se situa naquela ruazinha em Belém mesmo à frente do jardim. O tempo estava óptimo, ficámos a jantar nas mesas cá fora e tivemos direito a um mega fogo de artifício e tudo! Que noite tão agradável… toda a gente teve a mesma ideia e todas as esplanadas estavam cheias, até os pastéis de Belém tinham fila às 21h… Os portugueses saíram à rua.

Nota: Alguém sabe a razão do fogo de artifício em Belém no sábado à noite?

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Fraude Facebook

Quem anda no Facebook regularmente já está habituado a receber “propostas” para responder a 1001 Quizs… O F. que não liga muito a isto respondeu a um que lhe dizia que para receber a resposta do questionário que tinha acabado de responder, tinha que introduzir o seu número de telemóvel. E desde então começou a receber umas mensagens esquisitas que lhe descontavam dois euros de cada vez que as recebia… quando se apercebeu ligou para a Vodafone (o seu Operador) e do lado de lá disseram que estavam fartos de receber queixas semelhantes, e que para acabar com esta roubalheira tinha que enviar uma mensagem para um numero especifico a anular a inscrição, mensagem de anulação que também se pagava. Depois de seguir todos os procedimentos ficou uns dias sem receber mensagens mas parece que voltou tudo a acontecer de novo… Cenas dos próximos capítulos para breve.

Divulguem a toda a gente que conhecem...

terça-feira, 26 de maio de 2009

29 de Outubro

Ainda não tinha feito as contas só para não chegar à conclusão que cheguei. A data prevista para o parto é dia 29 de Outubro, ou seja, o meu dia de anos, e o dia de anos da minha mãe. Não queria mesmo.
No meu dia de anos se me virem de perna cruzada não estranhem, vou mostrar ao Nico* quem é que manda aqui.

*Nome provisório para o bebé

A sério, é mesmo para responder?

Perturba-me solenemente que pessoas que sabem que estou grávida me perguntem: “Importas-te que fume?”. Que é o mesmo que dizer, olha vou fumar de qualquer maneira mesmo sabendo que o teu filho, que ainda nem tem estatuto de recém-nascido, leve com o fumo. O vício tolda a inteligência… ou agrava a estupidez.
Custa assim tanto?




Nota: Descobri este cartaz hoje... parece que foi de propósito.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

2780 Taberna

Ontem foi dia de celebração e fomos jantar a um restaurante novo, o “2780 Taberna”. Fartinha de ouvir falar (bem) nesta novidade localizada em Santo Amaro de Oeiras, não poderia perder a primeira oportunidade para ir lá.
O restaurante só tem 30 lugares, por isso convém marcar com 2/3 dias de antecedência, o menu é de degustação, ou seja, é fixo e servido em pequenas quantidades, e a única coisa que escolhem é a sobremesa. Se não estou em erro, o menu muda todas as semanas.

O menu desta semana foi (estava tudo óptimo):
Sopa fria de melão e manga com espuma de hortelã
Arancini de cogumelos selvagens
Alheira com grelos
Risotto de courgettes com salmão marinado em citrinos
Migas com lombinhos de porco recheados

As sobremesas para escolher eram muitas, nós escolhemos Bolo de chocolate Eusébio e Cheesecake de Maracujá. Das muitas sugestões que a simpática empregada fez fiquei com vontade de experimentar o arroz doce com sopa de morangos.

Para beber dediquei-me à groselha e o F. deliciou-se com uma sangria que disse que era de beber e chorar por mais. Quanto a preços terão de perguntar ao F., mas ele disse que não era caro.

Vá, agora vão lá almoçar a vossa massa fria com atum enlatado. Bom apetite.

Para os mais curiosos o site é www.2780taberna.com

Festival Islâmico de Mértola

Mais uma sugestão para este fim-de-semana.

“De dois em dois anos, Mértola recua até à Idade Média e transforma-se num gigantesco souk islâmico, onde músicos e bailarinas exibem as suas artes, os artesãos vendem os seus artefactos e os cozinheiros oferecem cuscuz e chá de menta aos visitantes.
A 5ª edição terá lugar de 21 a 24 de Maio, e conte com o mercado de rua de manhã à noite, com animação, leitura de contos, lançamentos de livros e muitas outras actividades, por entre a venda de objectos como as tagines de barro ou os chinelos de pele colorida, e a degustação de sabores exóticos. O cair da tarde trará teatro e dança. À luz do luar não faltarão concertos de música de raízes islâmicas, em cenários como o castelo ou o cais do Guadiana. O fim-de-semana oferece, ainda, uma feira do livro e o prolongamento da noite de sábado com uma dance party. A programação detalhada pode ser consultada no site da Câmara Municipal de Mértola, em www.cm-mertola.pt”.

In Lifecooler

É de aproveitar

“Almoçar no Olivier Café por vinte euros ou tomar uma refeição completa no Eleven pelo mesmo preço? Se achava que tal não era possível, saiba que durante o evento restaurant-week, conceito que teve a sua origem em Nova Iorque, estes valores são uma realidade. De 21 a 31 de Maio, vinte e cinco dos mais reputados restaurantes lisboetas vão ter menus especiais a vinte euros, com direito a entrada, prato principal e sobremesa. São eles: A Varanda, Alecrim às Flores, Alma, Aviz, Bocca, Casa da Comida, Coisas de Comer, Comida de Santo, Conventual, Cop’3, Eleven, Faz Figura, Flores, Gemelli, L’appart, Lord’s Bistrô, Mezalluna, Olivier Café, Quinta dos Frades, Restaurante Clara Jardim, Restaurante El Corte Inglês, Spot São Luiz, Suite – Food and Dance, Varanda de Lisboa e XL. Um euro do preço da refeição reverte a favor de instituições de solidariedade”.

In Lifecooler

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Hemisfério Sul

Ontem passou por mim uma super grávida, que tinha uma camisola vestida que não lhe servia, pelo menos há três meses. E vai uma pessoa descansada na rua e tem de levar com o hemisfério sul da senhora de fora… desagradável.
Ele há gostos para tudo.

As aparências…

Esta semana em pleno trânsito de Lisboa, parada num semáforo ao volante de um Jaguar. E o que é que acontece? Aparece um grupo de bombeiros a fazer um peditório. E quando chegou à minha vez, o bombeiro a pedir-me ajuda, e eu, dentro de um Jaguar enorme, vermelho berrante, ultra potente a dizer que não tinha dinheiro.
Senti-me muito mal… o olhar de desilusão do bombeiro…

E vão 10...

anos desde que eu e o F. passámos a oficializar os nossos beijinhos. Que fofos.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Sócrates revelou que tem insónias por causa do desemprego

“O primeiro-ministro revelou, esta terça-feira, que tem momentos de “angústia” e de falta de sono por causa do desemprego, a sua única prioridade neste momento”.
In Público

Mas alguém ainda acredita nos políticos? A sério…

terça-feira, 12 de maio de 2009

Publicidade

O anúncio não interessa ao Pai Natal mas a Nicole Kidman é tão bonita que não resisti a pôr aqui o anúncio.

Kate Moss come carne de porco magra

Não sei se já repararam nuns cartazes publicitários que estão actualmente espalhados por Lisboa, a frase é muito interessante “Eu amo/gosto porco magro” e tem a foto de uma barriga impecável.
Primeiro ponto, alguém acredita que existe porco magro?
Segundo ponto, alguém que queira manter/ recuperar a linha vai comer carne de porco?
Terceiro ponto, apareceu a gripe suína, e apesar do contágio não estar relacionado com a ingestão de carne de porco, há quem tenha deixado de comer. O timing não foi perfeito.

Esta campanha é completamente despropositada, e gostava de saber se realmente vai funcionar… Não ponho as minhas mãos no fogo.


segunda-feira, 11 de maio de 2009

Altos e baixos

O fim-de-semana que passou começou bem… sexta jantar de anos do afilhado do F. (a família agora já se coordena nestes encontros e à mesa há agora uma zona de fumadores e não-fumadores). O M. fez 16 anos!

No sábado de manhã decidi aspirar finalmente o Pony que estava nojento (tinha vergonha de dar boleia) e à tarde tivemos a festa de anos do Salvador, que já fez um ano! A festa “apesar” de infantil durou até às 23h00 (já sem crianças… e alguns adultos). E eu no picanço com a Lara (para quem não sabe é uma criança de 9 anos).

No domingo, almoço com mãe, lanche com primo C. e ao fim da tarde estive num velório e tive a capacidade de me apresentar a um primo meu em segundo grau (só para terem noção do tamanho da família, e para terem noção de como a conheço tão bem… somos muito unidos).

Enfim, não terminei muito bem o domingo…

Estreia absoluta

E na sexta-feira feira estacionei pela primeira vez num estacionamento para grávidas num centro comercial. E deu muito jeito ter lugar à porta. Há que aproveitar as benesses…

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Enfermeira-nazi

A enfermeira que me acompanha é lixada (peço desculpa pela expressão, mas era a mais indicada). Quer que eu faça tudo bem, que ande sempre na ordem. Já não vou falar do creme gorduroso para as estrias, as collants de descanso em dias com 29º graus à sombra, ter que estar atenta às horas para comer (continuo a não ter fome), ok, não vou falar nestas secas todas… mas recuso-me a manter o silêncio relativamente aos doces! Claro que durante a primeira consulta tinha que colocar a questão “então e quantos doces posso comer por semana?” perguntei.
A enfermeira-nazi respondeu “um por mês”.
Engoli em seco e disse que ia tentar cumprir… E é claro que não estou a cumprir coisa nenhuma! Em média como dois doces por semana. É o meu único vício. E para quem antes comia um doce por dia… nada mal, digo eu.
Claro que na consulta de ontem tive que confessar o meu pecado e tive como prémio uma cara de desaprovação. Mas como engordei apenas os quilos “supostos” menos mal.

Para que conste na acta, o top model que quando estava de dieta proibiu a entrada lá em casa de qualquer tipo de alimento que tivesse um grão de açúcar em cima… agora que eu preciso de me controlar por causa do bebé, aparece lá em casa com tabletes de chocolate em tamanho XL! Isto quando não se lembra de comprar o meu favorito. É um querido.