terça-feira, 28 de maio de 2013

Hamburgueria do Bairro

Os hambúrgueres são maravilhosos, as batatas fritas com ervas e molho de alho são maravilhosas. Tanta maravilha junta fica por 6.90€, ou seja, o kit: hambúrguer + batatas fritas.

Eu comi o hambúrguer do caco com tomate frito, manteiga de alho, queijo brie, rúcula, carne suculenta, e pão do caco artesanal.Tudo muito bem temperado. Sabor, sabor e sabor.

As batatas fritas de comer e chorar por mais, salpicadas com ervas aromáticas e com direito a molho de alho. Uma maravilha. Tudo muito bem servido, ali ninguém passa fome.

Poderão visitar uma Hamburgueria do Bairro no Príncipe Real, São Bento ou Restelo. Bom apetite!


segunda-feira, 27 de maio de 2013

Preparativos do Baptizado da Benedita

Até agora o prémio para o "melhor momento" vai para: o coro da igreja onde vai ser o baptizado da Beni. Todas as "cantoras" com ar de solteironas, esforçadas mas desafinadas, e a líder da grupeta, que tocava órgão eram simplesmente espetaculares. A líder tocava nas teclas de plástico como se fosse o Elton John ao piano, num concerto para milhares de pessoas. Sim, porque esta senhora não só tocava órgão  como também cantava! A líder que estava a partir a loiça toda com o "13 de Maio na cova da Iria..", até fechava os olhos, com tanta emoção, até olhava para o céu, com tanta emoção... teve o agradecimento no fim da missa.

O Padre disse, e passo a citar:"Estamos a precisar de novos membros para o coro. O nosso coro está cada vez mais pequeno. E como vêm já não temos o critério de que saibam a cantar, basta apenas quererem fazer parte do coro. E não queiram que seja eu a cantar, porque se não ninguém vem mais à missa".

Genial.

domingo, 26 de maio de 2013

Os óculos do meu pai

Eu achava que no momento que o meu pai colocasse os óculos novos, ia ser uma festa... mas não foi. Pelos vistos tinha as expectativas muito altas, e infelizmente não foram correspondidas. Já é novamente uma pessoa autónoma, consegue ir à rua sozinho, mas tudo o que estiver em movimento, ou que seja de ver ao perto, o meu pai não consegue ver. Não consegue ler um livro, as legendas de um filme, ver para onde vai determinado autocarro se estiver em marcha, não consegue escrever, não consegue ver as letras do teclado do computador, não consegue distinguir os valores das moedas. Continua triste. E eu também.

sábado, 25 de maio de 2013

Reviravolta

Depois de ler este post da Mary vieram-me logo à cabeça dois momentos da minha vida, não relacionados com a maternidade, mas mais pelo facto de serem momentos bons, que ficaram congelados em papel, mas que estavam prestes a tornarem-se muito maus.

1ª Foto
Foto do meu/ do meu filho e da minha mãe jantar de anos num restaurante. Olho para a foto de nós os 3 a apagar as velas, todos contentinhos, e penso sempre a mesma coisa: hoje estás em comemoração e a rir, e amanhã vais estar a chorar porque o teu filho vai ficar internado no hospital.

2ª Foto
A foto da passagem de ano, todos a brindar na maior alegria. Se eu soubesse o que este ano me tinha reservado (alguém está muito empenhado em rogar-me pragas) eu tinha pedido no primeiro minuto de 2013, guarida na casa da anfitriã. E não saía mais de lá. O pior é que aconteceria tudo na mesma, tudinho, quer eu estivesse ali ou na China!

Melhores dias virão.

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Um achado:

as gomas da marca Chupa Chups.
Para quem gosta destas "porcarias" como eu, aconselho a experimentar pelo menos as da foto.


quinta-feira, 23 de maio de 2013

Reunião de pais parte II

Faltou dizer uma coisa importante, a professora disse que o Francisco apesar das traquinices, não era mal-educado, quando recebe um castigo, não protesta, não faz fita, não espreneia, não guincha. Come e cala, e no fim, se lhe perguntarem, ainda diz que gostou.

domingo, 19 de maio de 2013

Padaria Portuguesa

Eu, que me considero uma especialista em pão, andava há algum tempo com curiosidade para experimentar os pães e os bolos da tão badalada Padaria Portuguesa. E como é que hei-de dizer isto... um verdadeiro flop. Não percebo tanto alarido. Experimentei a especialidade da casa o "pão de deus" e achei fraquinho, a massa um pouco enfarinhada, e a parte do coco demasiado húmida.
Depois experimentei um pão básico, uma bolinha, que comprei para manter a Benedita calada, e também achei mauzinho, e para além de mauzinho, achei caro! 30 cêntimos por um pão bolinha minúsculo? Mais vale sair à sua e ser assaltado!

Que o espaço é muito bonito, é sim senhora, que a disposição dos bolos e pães é muito bonita, é sim senhora, que é tudo muito organizado, está sim senhora MAS eu não vou dar uma trinca nem no espaço, nem na disposição, nem na organização... por isso só volto a experimentar outra coisa, só se me pagarem.

O pão da minha mercearia de bairro, um pão de mafra maravilhoso, dá 10 a 0 à Padaria portuguesa. Ah! e um pão enorme que custa 90 cêntimos. Um verdadeiro achado. Aliás, não é preciso procurar muito, qualquer padaria de bairro, aquelas da APAPOL, por exemplo, têm pão que sabe a pão, a senhora já nos conhece de ginjeira, e um preço justo. Acho que anda tudo a dormir, as pessoas cada vez mais preferem mais a embalagem do que o conteúdo. Anda tudo a comer ideias...


sábado, 18 de maio de 2013

Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça...


Reunião de pais

Tivemos uma reunião em exclusivo com a educadora do Francisco. Neste colégio funciona assim, não sei como é que é nos outros. E estávamos preparados para ouvir o pior... tipo "o vosso filho bate em tudo o que mexe" e coisas que tais.

A síntese da reunião: O meu filho é aquele que põe sopa na cabeça da criança do lado, é aquele que distribui a sopa por todos os colegas, é aquele entorna a comida no chão e fica de castigo a limpar o refeitório todo, na companhia de uma empregada, e no fim não dá a parte fraca (diz que gostou muito), é aquele que quando é para estar em silêncio, num momento empolgante da história, faz um som, e depois mais uns quantos imitam. No entanto, a educadora não contou estas aventuras em tom de crítica, contou em tom de "coisas de criança", disse que ele era muito cómico, que tinha muita graça, que sabe ocupar o seu espaço, e que sabe quando pode e deve fazer uma piada. Disse também, que se o Francisco apanhar um professor que não compreenda a sua maneira de ser, que pode ter a vida dificultada. A ver vamos ....
Na infantil todas as educadoras e auxiliares sabem quem é o Francisco.

Pensamento positivo: ao menos o meu filho não é o rei da pancadaria.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

É mesmo filho da mãe!

À mesa, à hora de jantar.

Eu: "Francisco, pára de comer assim, pareces uma galinha"

Ele (com o ar mais sério deste mundo):" Mãe, posso antes ser um eléctrico?"

Nota de autor: E eu a achar que a ironia, o sarcasmo, os jogos de palavras eram só meus. Eu mereço!

sábado, 11 de maio de 2013

A caça ao padre


Pedimos ajuda à tia hiper-mega-super beata, pedimos ajuda a tias católicas no geral, pedimos ajuda a amigas, à madrinha, liguei para o convento onde a minha tia-freira viveu, mandei emails, telefonei, fui in loco à casa do Senhor. E finalmente uma amiga arranjou-nos um Padre! Temos um padre que aceita a versão "madrinha + testemunha (que será o padrinho)". E já não está nada mal...

A saga com a igreja também não foi melhor: “aqui não fazemos baptizados, nem temos pia baptismal”, “aqui só celebramos casamentos”, “aqui só celebramos a primeira comunhão”, “aqui é uma capela privada não é permitido por lei”, “temos baptizados aos 4 de uma vez só, marcados até às Janeiras”. Querem que continue, ou já deu para ter uma ideia?

Amanhã vamos marcar (espero) finalmente a data!

Na dúvida rezem um avé-maria por mim.

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Às vezes esqueço-me que tenho um filho no colégio

No sábado de manhã, com as malas à porta, prontinhos para ir para Tróia, pergunto ao Francisco se sabe para onde vamos.

A resposta: "Sim, para a casa de praia".

Para a casa de praia? Definição nunca usada nesta casa, e sim "vamos para Tróia".
O meu filho vai-me sair cá um betinho... qualquer dia cumprimenta-me com um beijinho!

terça-feira, 7 de maio de 2013

A mãe, em resumo

O depoimento do  meu filho Francisco sobre mim. Cá vai:

"A mãe chama-se Raquel e tem 3 anos. A mãe trabalha na ginástica. Em casa também faz ginástica... (mãos no chão e uma perna no ar). A mãe dá o jantar. A mãe leva-me ao parque, eu gosto muito de ir ao parque. A mãe não dá miminhos".

E pronto, o seu depoimento acaba com uma reclamação. Eu a criar uma máquina de guerra, que não chora por tudo e por nada, que se sabe defender na escola. E afinal o meu filho quer ser a máquina do amorrrr... Fiquei traumatizada com o testemunho, andei o fim-de-semana todo armada em mãe-ambulância, em mãe-burro-de-carga, em mãe-come-os-doces-que-quiseres-até-te-caírem-os-dentes. E agora já passou, uma amiga tranquilizou-me, diz que é tudo manipulado, que as perguntas já trazem água no bico... lá vou eu voltar à carga mas em modo soft.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Dia de Santa Benedita

Foi no sábado, e nenhuma das minhas amigas beatas ligou a informar... menos 2 pontos para vocês!
Quem safou este dia foi a tia mega-super-hiper-beata do F. que ligou só para dar essa informação.

Quem sabe, sabe. Dia 4 de Maio, esse grande dia!

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Presente de Verão


A mana do F. ofereceu o fato de banho que se vê na foto, à Beni. E é ainda mais giro ao vivo! Já encomendou os calções de banho para o Francisco e para o primo Diogo. Este ano, na praia, os primos vão estar a fazer pandan. E deste pandan eu gosto!
Esta loja, perto do jardim da Estrela, tem roupas lindas de morrer, principalmente para as meninas, a loja chama-se M-a-r-i-a-z-i-n-h-a (tudo junto, escrevi assim propositadamente para nas pesquisas não aparecer o meu blog). Se estiverem em modo poupança, é melhor nem espreitarem a página no FB.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Farinha do mesmo saco

Eu a desabafar com uma tia da minha criançada, sobre o facto de termos alguns "contras" para este baptizado: "Pois, o Padrinho não tem o crisma, e eu e o F. não somos casados, o que também não ajuda...".

Resposta do outro lado: "Ai, isso com os pais não tem qualquer problema, os pais até podem ser bandidos, que a criança é baptizada na mesma".

Eu já era pecadora, nem carne nem peixe, e agora aprendi que faço parte do grupo dos bandidos! Finalmente arranjei o conceito adequado para apresentar o F. às pessoas. Tinha imaginado qualquer coisa do género: "Este é o F., o bandido com quem partilho uma vida de crime".

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Luz ao fundo do túnel


O meu pai perdeu quase na totalidade a visão no olho direito, mas o olho esquerdo anda a evoluir (dentro do possível) benzinho. E assim sendo vai voltar a usar óculos. O meu pai está na maior excitação, como devem calcular, e neste sábado, em princípio estão prontos os óculos-maravilha.

O meu pai só dizia: “Eu não acredito que vou voltar a ver os olhos das pessoas. Vou ver os olhos da Benedita…”

Imaginem-se a ver tudo muito desfocado, dia e noite, durante meses a fio. Não imaginam pois não? Eu fiquei com uma leve ideia, muito pequena mesma, de como deve ser viver na penumbra.

Stylista


Não tenho muita paciência para me vestir, ter que acordar de manhã e decidir o que vou vestir chateia-me. E por isso, muitas vezes, o meu corta-mato, para esta tarefa do dia é vestir ou um macação ou um vestido. E está feito. Não me ocupo mais sobre o assunto.

O problema é que nos últimos tempos também tenho que me preocupar com o que o Nico e a Beni vestem. É às vezes quando acabo de vestir a maralha, eu incluída, reparo que estamos todos a fazer pandan. Isto funciona mais ou menos assim: hoje apetece-me vestir qualquer coisa verde… e inconscientemente vai tudo corrido a verde. Depois olho para a família, e tenho que trocar uma peça ou outra, para não parecermos todos trabalhadores da mesma fábrica ou então aquelas famílias assustadoras que andam sempre a condizer.